Connect with us

Música

Morre o cantor português Roberto Leal

O cantor português Roberto Leal morreu na madrugada deste domingo (15), em São Paulo, aos 67 anos. A informação foi confirmada pelo Hospital Samaritano, onde o cantor estava internado.

De acordo com a assessoria do cantor, Roberto Leal faleceu às 3h37 vítima de um melanoma maligno (câncer de pele) que evoluiu, atingindo o fígado, causando síndrome de insuficiência hepato-renal. Leal estava internado no hospital desde terça-feira (10).

O velório será aberto ao público e acontecerá na segunda-feira (16) na Casa Portugal, das 7h às 14h. O enterro será às 15h, no Cemitério de Congonhas, na Zona Sul da capital paulista, informou a assessoria do cantor.

Biografia

Roberto Leal nasceu em 1951 na aldeia de Vale da Porca, no norte de Portugal. Aos 11 anos veio para o Brasil acompanhado pelos nove irmãos e pelos pais. O cantor ficou famoso no Brasil pela música “Arrebita”, que estreou nos palcos em 1971, na Discoteca do Chacrinha, da TV Globo. Em sua carreira, vendeu mais de 25 milhões de discos.

Crítica

Crítica | Chromatica – Lady Gaga

Sexto álbum de inéditas da Gaga é uma viagem pela house music dos anos 1990 em um estilo sci-fi

Há sempre uma cobrança excessiva aos artistas que produzem música pop, e ela intensifica quando a voz é feminina. Roupas extravagantes, singles explosivos que precisam dominar os charts, performances grandiosas e divulgação excessiva são só algumas das exigências que essas artistas precisam atender, caso contrário, são colocados no hall do esquecimento e suas músicas ignoradas nas rádios. 

A norte-americana Lady Gaga sentiu isso da pior forma. Fruto de uma ascensão explosiva e rápida que, com apenas um álbum e um relançamento, logo foi enquadrada como ‘rainha do pop’, Gaga se viu perdida no próprio mundo bizarro que criou por não corresponder às expectativas de um público ambicioso. Talvez, a própria Gaga tenha alimentado essa ambição ao prometer obras que revolucionariam a música pop, mas que não mostraram tal desempenho. 

Em meio a essa histórico, Chromatica, sexto e mais novo álbum de inéditas da cantora, se encaixa de forma assertiva e equilibrada em uma discografia que há anos afastou-se da música pop e das implicações que é ser uma cantora do gênero. É um disco que resgata as batidas dançantes e o pop teatral que Lady Gaga sustentou nos primeiros anos de sua carreira, entregando faixas radiofônicas e completamente viciantes. Tudo isso dentro de uma estética atrativa e bem construída, abandonando as extravagâncias de outrora e dando vida a um disco deliciosamente despretensioso. 

Ainda sim, Gaga não se poupa de utilizar elementos e referências em seu novo trabalho. A cantora cria um novo universo, onde cada batida e transição de faixa constrói os contornos que o delimitam e o caracterizam. Para isso, ela adota uma narrativa quase cinematográfica e torna Chromatica num experimento imersivo ao ouvinte, em que a estética sci-fi não se resume apenas à direção de arte dos registros visuais. E isso é audível nos segundos iniciais, quando a interlude ‘Chromatica I’ desponta como uma orquestra digna de trilha sonora de uma produção de ficção-fantástica e abre espaço para que as luzes rosa-neon de ‘Alice’ dominem e convidem o ouvinte às pistas de dança. 

Tudo torna-se ainda mais colorido e pop quando ‘Stupid Love’ surge, momento que os sintetizadores se expandem juntamente com os vocais e dissipam a atmosfera ficcional criada no início. Já ‘Rain On Me’, parceria com Ariana Grande, transita em uma das principais referências sonoras da nova era da Gaga, a House Music dos anos 1990. Durante todo o disco, a cantora passeia pela sonoridade noventista para levantar os alicerces que tornam esse trabalho tão coeso. Um catálogo repleto de hits efusivos que propõem um resgate ao passado, mas que soam tão atual. 

Faixas como ‘Replay’ e ‘Enigma’ reafirmam as referências retrô de Chromatica. São instantes em que a cantora mergulha o ouvinte em um setlist das boates e passarelas dos anos 1990. Os bailes também são resgatadas em ‘Babylon’, faixa de encerramento, que adota as batidas típicas das competições de vogue. Não é difícil se lembrar de hits da época, como ‘Supermodel (You Better Work)’ de Rupaul, por exemplo. 

Mesmo afastada da música pop, Lady Gaga se mantém como um grande nome do gênero e isso é notório nas parcerias feitas neste disco. Além de Ariana Grande, Gaga evoca a própria credibilidade em meio a artistas veteranos, com Elton Jhon, em ‘Sine From Above’, e mostra-se aberta às tendências atuais na parceria com o grupo feminino de K-pop BLACKPINK, na ótima ‘Sour Candy’. Verdadeiro exercício de renovação em meio a um mercado em constante mudança. 

Chromatica está longe de ser uma grande obra da música pop, mas, talvez, esse seja o trunfo do disco. Livre das expectativas infladas de trabalhos anteriores de Lady Gaga, o álbum chega despretensioso, divertido e dançante. É um exemplar que pulsa o pop-eletrônico típico da cantora do início ao fim, sem soar desconexo ou avulso. Ainda sim, há uma mensagem nesse disco e que reflete vivências difíceis da cantora. Em meio a tantas turbulências, Chromatica é um universo de escape para quem quer esquecer as dores enquanto se entrega a uma pista de dança.

Ano: 2020
Selo: Interscope
Gênero: Pop; Eletrônico
Faixas: 16
Duração: 43min

Leia Mais

Música

Jota Quest, Manu Gavassi, Tiago e Iorc e mais lives que ocorrem durante a semana

O Volts listou as lives que estão marcadas para esta semana, com dia, horário e canal de transmissão.

Por

Saiba onde assistir as lives que estão programadas. (Foto: reprodução)

Uma das principais distrações para amantes da música durante o período de distanciamento social causado pela pandemia do novo coronavírus tem sido as lives musicais. Com isso, as agendas de transmissões ao vivo de artistas de diversos gêneros continuam levantando interesse do público.

Nesta primeira semana de junho, cantores como Manu Gavassi, Marcelo D2, Tiago Iorc, Mumuzinho e a banda Jota Quest anunciaram suas apresentações virtuais ao vivo.

Para você se programar e acompanhar o show de seu artista favorito, o Volts listou as lives que estão programadas, com seus respectivos dias, horários e canais de exibição.

Veja:

Felipe Catto (03/06): Youtube, 19h

Tiago Iorc (03/06): Youtube, 21h

Marcelo D2 (05/06): Youtube e Multishow, 20h

Bell Marques (06/06): Youtube, 18h

Jota Quest (06/06): Youtube, 20h

Thaeme e Thiago (07/06): Youtube, 16h

Mumuzinho (07/06): Youtube, 18h

Manu Gavassi (07/06): Youtube e Multishow, 19h

Leia Mais

Música

Britiney Spears lança playlist com suas músicas favoritas dos anos 2000

Playlist faz parte da celebração de 20 anos do álbum ‘Oops!…. I Did It Again’.

A cantor Britney Spears, a nossa princesa eterna princesa do pop, lançou uma playlist com suas músicas favoritas dos anos 2000. A ideia surgiu para celebrar os 20 anos do álbum ‘Oops!…. I Did It Again‘, um dos maiores sucessos da carreira da cantora.

As seleção de músicas conta com clássicos de Madonna, Mariah Carey, Christina Aguilera, Shakira, Kylie Minogue e Destiny Child.“Essas músicas me lembram do período do lançamento de Oops!, que foi muito especial para mim. Espero que você as ame como eu”, disse Britney.

Ao falar sobre a música ‘Always Be My Baby’ de Mariah Carey, Britney Spears diz que a cantora foi uma das razões sobre ela ter começado a cantar.

A playlist está disponível para usuários da Apple Music, mas fãs da cantora reuniram as faixas em outra playlist no Spotify. Ouça abaixo:

Leia Mais