Connect with us

Música

Lista de 5 | Álbuns para iniciar no mundo do K-pop

Cinco discos que podem te introduzir a esse universo sem te tirar da zona de conforto

Foto: Cena do clipe 'How You Like That' do BLACKPINK| Reprodução

Nas últimas semanas, os kpoppers, fãs do pop sul-coreano, tornaram-se assunto nos noticiários do mundo. Nos EUA, eles se mobilizaram para enviar fancams e sobrecarregar o sistema de um aplicativo da polícia de Dallas, que buscava informações sobre os manifestantes nos protestos #blacklivesmatter. Outro fato recente foi a compra de ingressos do comício de Trump. Devido ao grande número de ingressos vendidos, a equipe do presidente dos Estados Unidos ampliou a capacidade do evento, mas, no final, foi um grande fracasso de público graças aos kpoppers.

Esses e outros motivos levaram diversas usuários do Twitter, que odiavam os fãs do gênero por flodar a rede social, a pedir desculpas e até a se propor a conhecer melhor o som produzido pelos grupos coreanos. Pensando nisso, o Volts selecionou cinco discos que podem te introduzir a esse universo e mostrar que, diferente do que você pensa, o K-pop não é um monstro de sete cabeças.

4 Walls; F(x)

Ano: 2015

Faixas: 10

Gênero: Pop, EDM; Deep-House

Para quem ouve: Lady Gaga; Dua Lipa; Rihanna

4 Walls é o primeiro álbum de estúdio do F(x) após a saída de uma das integrantes mais queridas do grupo, a Sulli, que recentemente veio a falecer vítima de suicídio. Muito se especulava como essa saída afetaria a popularidade do girlgroup. Contudo, com o lançamento do quarto álbum de inéditas, as meninas restantes comprovaram que o grupo estava longe de ser esquecido. O registro é um completo amadurecimento do som experimental testado nos trabalhos anteriores e o estabelecimento de uma fórmula que seria muito explorada por outros nomes do cenário.

São faixas que se apropriam do que há de melhor na música eletrônica ocidental, que vão desde as batidas extravagantes do EDM a sutileza sintética do deep-house. A faixa-título, single de divulgação desse trabalho, é um exemplo assertivo da incorporação desses gênero no som pop do F(x). São instantes em que as batidas crescem de forma gradativa para entregar um refrão contido, mas ambicioso. Há também momentos de completa explosão nas pistas de dança, caso das ótimas “Papi” e “Rude Love”.

Reboot; Wonder Girls

Ano: 2015

Faixas: 12

Gênero: Pop; New Wave; Synth.

Para quem ouve: Dua Lipa; Carly Rae Jepsen; Katy Perry

Wonder Girls é um dos nomes mais importantes e influentes do pop sul-coreano. Infelizmente, o grupo encerrou suas atividades em 2017, mas algumas de suas integrantes continuam em projetos solo. Assim como F(x), o terceiro álbum de estúdio do quarteto veio antecedido de especulações sobre um possível disband. Mas as meninas surpreenderam e retornaram em formato de banda, entregando um dos exemplares mais divertidos do pop coreano e, além disso, assumindo toda a produção do álbum, com exceção do single.

O disco resgata os sintetizadores e melodias oitentistas de forma despretensiosa e brinca com gêneros típicos do momento, como a new wave, synth e o citypop. É um catálogo de faixas que carrega fórmulas e clichês sonoros dos anos 1980 e que assumem um papel quase lúdico nesse registro. Um completo exercício de como seria os grupos de K-pop se tivessem surgido naquela época. “I Feel You” é faixa que mais se aproxima dessa simulação e que abre caminho para outros ótimos momentos do disco, caso de “Rewind”, “Baby Don’t Play” e “John Doe”. Um álbum que marca a autonomia das integrantes em um cenário tão controlado pelas agências.

Goodbye 20; Lim Kim

Ano: 2013

Faixas: 14

Gênero: Pop; Pop-Rock.

Para quem ouve: Taylor Swift; Kelly Clarkson; Avril Lavigne

Não só de batidão e coreografias vive o K-pop. Lim Kim é um dos nomes que prefere transitar por composições mais melódicas, pelo menos durante seu álbum de estreia. A sul-coreana debutou em 2013 com dois EPs. No mesmo ano ela uniu os catálogos dos dois registro e adicionou composição inéditas, que deram vida a seu primeiro trabalho completo, o Goodbye 20. Com pouco mais de 56 minutos de audição, Kim mostra sua versatilidade musical, indo das baladinhas típicas do pop coreano, ao pop-rock meloso do início dos anos 2000 e até a bossa-nova.

São composições que trazem o espírito inquieto do fim da adolescência, marcado pelas confissões da transição para uma nova fase. Temas que facilmente lembram o que já foi testado por cantoras como Avril Lavigne, mas Kim adota uma postura mais contida e reflexiva. Postura facilmente identificada na melancólica “Without Knowing It All” ou em “Rain”, instante em que a sul-coreana desbrava a bossa-nova para criar uma das faixas mais interessantes do disco. Um catálogo demarcado por uma base instrumental orgânica, quase crua se comparada os grupos de K-pop, e que torna Kim até mais tangível para o público.

https://open.spotify.com/album/0roRAphiBg5ENavuhYidkD

Max & Match; LOONA/ ODD EYE CIRCLE

Ano: 2017

Faixas: 8

Gênero:Synthpop; R&B; Alternativo.

Para quem ouve: Grimes; Carly Rae Jepsen; Kim Petras

Imagine um encontro entre os sintetizadores frenéticos de Grimes e o pop chiclete de Carly Rae Jepsen? Talvez essa não seja a comparação mais exata, mas é a que mais se aproxima do som dessas meninas. LOONA/ ODD EYE CIRCLE é um sub-grupo do LOONA, que debutou em 2017 com 12 garotas. Antes disso, cada integrante lançou um single solo e também outros em pequenas formações. Sonoramente, ODD EYE CIRCLE é um dos mais interessantes, pois mergulha o ouvinte num pop mais ‘experimental’, algo muito característico do grupo como todo e se assemelha ao que já foi testado pelo F(x).

Do começo ao fim do EP, o ouvinte tem uma experiência de completa imersão, começando pela atmosfera “ADD”, faixa em que os sintetizadores despontam de forma livre, apresentando as bases que sustentam esse registro. “Sweet Crazy Love|”, single de divulgação do trabalho, já inicia de forma grande graças às cordas, que se unem às linhas da guitarra e às inserções eletrônicas. A faixa seguinte, “Uncover” , com certeza é a mais interessante do catálogo. Um dream pop marcado por sintetizadores cósmicos, que dão forma a texturas rarefeitas, mas contornadas por batidas insistentes do R&B eletrônico, gênero bastante explorado nas faixas seguintes.

Crush; 2NE1

Ano: 2014

Faixas: 10

Gênero: Pop; R&B; EDM

Para quem ouve: Rihanna; Nick Minaj; Ariana Grande

Antes do BLACKPINK dominar a Coreia do Sul e o mundo com seu pop explosivo, as meninas do 2NE1 eram as responsáveis por isso. Em grau menor de popularidade mundial, o grupo dominou por diversos anos as paradas musicais na Coreia e lançaram hits que ultrapassaram as fronteiras, como a icônica “I AM THE BEST”. Infelizmente, assim como as Wonder Girls, o grupo também já encerrou suas atividades, mas deixou um legado que dificilmente outro nome sul-coreano poderá assumir, tanto no quesito sucesso comercial como autonomia artística.

Crush é o último álbum de inéditas do quarteto e um dos registros mais amados dos fãs, e mais escutado pelos não fãs de K-pop. Ainda que não seja um trabalho inventivo e recicle parte do que já foi apresentado por elas, o disco resume o que foi o 2NE1 durante os anos de carreira. São faixas que exageram, de forma positiva, nas batidas eletrônicas, como em “COME BACK HOME” e “GOTTA BE YOU”, canções que recorrem ao Trap e as rimas; ou trazem baladinhas R&B que facilmente remetem ao Good Girl Gone Bad (2007), da Rihanna. Há espaço também para composições marcada pelo pop chiclete, como na colorida “HAPPY”.

Ouça nosso podcast sobre música:

Música

Rumores apontam live patrocinada e música inédita de RBD em outubro

Especulações tomaram conta da internet após anúncio do Spotify.

Por

RBD fez sucesso no mundo inteiro e deve fazer apresentação especial em outubro (Foto: Divulgação/EMI)

Entre 2004 e 2008, a cultura pop da América Latina só falava sobre um assunto: RBD, banda originada na novela Rebelde, exibida pela Televisa e distribuida pelo canal SBT no Brasil. Após o fim apressado do grupo, os pedidos por um retorno nunca cessaram por parte de fãs apaixonados no mundo inteiro, mesmo tendo passados longos 12 anos desde o fim.

Na noite da útlima quinta-feira (27), o Spotify anunciou oficialmente, o catálogo do grupo mexicano RBD em sua plataforma de streaming. No entanto, desde o dia 28 de agosto, publicações feitas por cinco dos seis integrantes do RBD deram pistas de que essa não era a única novidade envolvendo o nome do grupo.

Anahi, Dulce Maria, Mayte Perrone, Christian Chaves e Christopher Uckerman compartilharam vídeos sobre uma página chamada RB2, linkada nas redes sociais de cada um deles, em que exibe uma contagem regressiva para o dia 4 de outubro, considerado o “Dia Mundial de RBD”.

Pista 1: Ucker muda de tom

Pistas foram deixadas pelos integrantes antes do grande anúncio. Primeiro, Christian e Christopher fizeram lives em suas respectivas sociais em que falaram, não por acaso, sobre, entre outras coisas, RBD e as novidades que virão. Fazendo mistério, Christian foi direto ao dizer que o anúncio das músicas no Spotify não era a única novidade e que os fãs ficariam felizes com o que viria a ser anunciado.

Na ocasião, Ucker falou pela primeira vez sobre a sente saudade de dividir o palco com seus colegas de banda e que aceitaria participar de um reencontro. Antes disso, o cantor evitava falar sobre o grupo publicamente.

Pista 2: comunicação do RB2

Quase nada se sabe sobre o que de fato se trata o RB2. Pode ser um retorno do grupo com outro nome, pode ser o título de um projeto específico, datado, pode ser o nome de uma turnê, ainda não há precisão. No entanto, o site do RB2 descreve o projeto da seguinte maneira:

“Registre-se para ser parte de uma nova união de amor, esperança, alegria e música para o mundo”.

Pista 3: ênfase no Spotify

A partir de outubro, as músicas de RBD estarão disponíveis em todas as plataformas digitais de streaming de áudio. No entanto, a campanha envolvendo os integrantes da banda chama atenção, exclusivamente, para o Spotify.

Com isso, rumores apontam que um reencontro da banda estaria sendo patrocinado pela plataforma e que, com a oportunidade, o grupo estaria planejando lançar uma música inédita no dia 4 de outubro. Convidados especiais estariam sendo negociados para essa live.

https://twitter.com/SpotifyBR/status/1299135755005161473

Alfonso Herrera

Desde quando os integrantes da banda iniciaram as promoções do RB2, Alfonso Herrera, protagonista da principal dupla do projeto Rebelde, não foi mencionado em nenhuma peça de divulgação. Há quem diga que o ator não quer mais se envolver com o projeto, mas os principais rumores apontam que a negociação com Alfonso não foi fechada por discordâncias sobre se tratar, supostamente, do retorno da banda em uma live paga. Especulações dizem que Alfonso é contra a ideia e que o projeto devia ser gratuito. Tudo, por enquanto, apenas rumores.

Vale lembrar, portanto, que, a partir do dia 3 de outubro, todas as músicas do grupo estarão disponíveis no Spotify, Deezer e Apple Music a partir das 21h.

Leia Mais

Música

Segundo colunista, cantores chegam a lucrar o dobro do cachê normal em live

O sertanejo Gustavo Lima é um dos que mais faturaram no auge das apresentações online.

Segundo o colunista, a cantora Luisa Sonza faturou R$ 120 mil em show online (Foto: Reprodução/YouTube).

Sem poder promover seus trabalhos devido ao novo Coronavírus, artistas do mundo todo encontraram nas lives a melhor ferramenta para divulgar seus lançamentos e gerar receita. No Brasil, a transmissão de shows online vem sempre acompanhada por merchan, com a logomarca dos patrocinadores estampada nas telas e nos materiais de divulgação.

Ainda que esses shows, para o público, estejam longe de ter a mesma energia que nos espaços físicos, para os artistas a coisa é bem diferente. Segundo o Leo Dias, colunista do Metrópoles, o cachê dessas transmissões chegam a custar o dobro do valor normal, totalizando em média R$ 120 mil a R$ 300 mil.

Contudo, esse valor pode mudar de acordo com o segmento do artista. De acordo com o colunista, as lives do sertanejo Gustavo Lima, por exemplo, têm orçamento estimado em R$ 400 mil. Além disso, no auge desse tipo de apresentação, no mês de maio deste ano, o cantor pode ter recebido R$ 3 milhões pelo show do dia 22.

Atrás do sertanejo, lives como a de Wesley Safadão + Raça Negra e Fernando e Sorocaba custaram aproximadamente R$ 230 mil e R$ 144 mil, respectivamente. Luisa Sonza, Carlinhos Brown, Belo, Lucas Lucco também são outros nomes citados pelo colunista, com orçamento estimada entre R$ 100 mil a R$ 120 mil.

Confira a tabela divulgada por Leo Dias:

Leia Mais

Música

Claudia Leitte: 40 anos e seus maiores sucessos da carreira reunidos em homenagem

Veja o levantamento sobre as músicas que se destacaram nos últimos anos, em homenagem ao aniversário da cantora.

Por

(Foto: reprodução/Instagram).

Claudia Leitte já anunciou que a sua semana será animada. Afinal, ela vai comemorar seu aniversário de 40 anos com uma live, nesta sexta-feira (10). “Claudinha”, como é chamada por seus fãs, é uma cantora e compositora com grandes sucessos na música brasileira e o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) aproveitou a data para fazer um levantamento especial sobre a artista.

Entre as músicas gravadas por Claudia Leitte, “Cartório”, de autoria de Magno Santanna e Tierry, aparece na liderança entre as mais tocadas nos últimos cinco anos nos principais segmentos de execução pública. Também se destacam “Taquitá”, de autoria de Claudia Leitte em parceria com Samir, Tierry, Breno Casagrande e Paul D Jr Salva, e “Baldin de gelo”, de autoria de Tierry, Cabrera e Matheuzinho, entre outras. Claudia Leitte tem atualmente 45 canções e 522 gravações cadastradas no Ecad.

Nos últimos cinco anos, mais de 70 % dos rendimentos em direitos autorais pela execução pública de música destinados a ela foram referentes aos segmentos de rádios, tvs e shows. Veja o ranking das músicas gravadas por Claudia Leitte mais tocadas nos últimos cinco anos nos principais segmentos de execução pública (Rádio, Sonorização Ambiental, Casas de Festa e Diversão, Carnaval e Festa Junina).

PosiçãoMúsicaAutores
1CartórioMagno Santanna/Tierry
2TaquitáClaudia Leitte/Samir/Tierry/Breno Casagrande/Paul D Jr Salva
3Baldin de geloTierry/Cabrera/Matheuzinho
4Então vem cáJack Pallas/Felipe Amorim/Caio Sanfoneiro/Kaleb Junior
5LacradoraTopera/Tierry
6LargadinhoDuller/Fabio Alcantara/Samir
7Te amo tantoPaolo
8Shiver down my spineClaudia Leitte/Romans
9ExttravasaSergio Rocha/Jean Carvalho/Adson Tapajós/Zeca Brasileiro
10BalancinhoJomar/Duller/Anderson Dandyr/Cabrera
11Claudinha bagunceiraTatau/Xixinho
12MatimbaLuciano Pinto/Duller/Fabio Alcantara/Claudia Leitte/Samir
13Beijar na bocaBlanch/Roger Tom
14Sorri sou reiAlexandre Carlo
15Pode terTierry
16Bola de sabãoRamon Cruz
17Te ensinei certinJhama
18CaranguejoNino Balla/Alan Moraes/Durval Luz/Luciano Pinto
19Dekole (portuguese language adaptation)Claudia Leitte/Freaks
20Quer saberHenrique Cerqueira/Edimar Filho
Leia Mais