WandaVision: O futuro do MCU nas mãos da Feiticeira Escarlate





27/08/2019 - Atualizado às 22:01


A Disney+ dominou a cena dentro da D23, exposição promovida pelo estúdio na semana passada, com conteúdos sendo anunciados de todas as propriedades que compõe o Walt Disney Company. Dentre esses domínios, Kevin Feige usou da oportunidade para promover ainda mais a expansão do seu Universo Cinematográfico, focando especialmente no novo espaço que a Disney está provendo para o MCU crescer, em suas séries originais. Muitos pôsteres e anúncios de elenco foram feitos, no entanto, nenhum deles foi tão impactante quanto a obra de arte em diversos níveis que se tornou o painel de WandaVision, série que terá como foco os personagens de Elizabeth Olsen e Paul Bettany.

Primeiramente focando em anúncios menores, mas tão significantes quanto, tivemos a surpresa de que a personagem de Kat Denning, Darcy Lewis, conhecida por suas aparições na trilogia de Thor e que o personagem de Randall Park, Jimmy Woo, conhecido por sua aparição em Homem Formiga e a Vespa estariam fazendo um retorno para o MCU dentro dessa série, integrando o elenco junto dos personagens títulos e Monica Rambeau, que foi anunciada na comic con desse ano.

No entanto, o que mudou a dimensão dessa série, foi a primeira imagem oficial, liberada pelo artista e veterano dentro da Marvel Studios, Andy Park, que agregado ao que havia sido discutido em palco com as estrelas desse novo domínio e o próprio Kevin Feige, transformou WandaVision de uma série qualquer, para um possível marco cultural, que vai revolucionar não somente o MCU, mas a maneira como séries de super heróis são produzidas e apresentadas para o público. O Volts então, resolver pegar esse primeiro pôster oficial e quebrar ele em partes, explicando assim o que esperar da série e o que ela pode significar, mas especialmente, mostrando como ela pode se tornar a propriedade mais importante a sair da fase quatro do MCU.

O primeiro elemento a ser analisado é o tema central que a série vai abordar, pegando influências da era de sitcons em preto e branco que marcaram a televisão nos anos cinquenta e, no caso de WandaVision, a homenagem clara ao clássico: The Dick Van Dyke Show. Não somente a ambientação imita Dick Van Dyke, em que muitas de suas cenas chaves se passam em frente da televisão, mas o estilo de roupa e cabelo usados por Wanda são uma referência direta a personagem de Mary Tyler Moore. The Dick Van Dyke no entanto não é uma escolha qualquer, pois ele representava um show puramente de comédia, onde até mesmo os conflitos entre o casal principal era raso e resolvido muitas das vezes na base da conversa, basicamente: The Dick Van Dyke Show era um programa feliz, sobre pessoas felizes.

WandaVision vai se passar dentro da imaginação da Feiticeira Escarlate, nós dando uma ideia da expansão de seus poderes desde que sofreu seus traumas, como visto nos últimos dois filmes de Vingadores. A referência ao programa dos anos cinquenta, é uma forma da mente de Wanda desenvolver uma realidade em que não somente Visão está vivo, mas é o centro do seu universo e está feliz, onde os dois tem a possibilidade de viver uma vida normal e juntos.

Além da referência aos sitcons, WandaVision vai apresentar uma inspiração pesada nos quadrinhos, escrito pelo lendário Tom King, do Visão de 2015. Nessa versão dos quadrinhos, Visão se muda para os subúrbios e, juntamente de uma família de andróides similares a ele, vive uma vida ordinária, sem os aspectos heróicos do personagem.

Entretanto, algo extremamente importante a ser notado no pôster divulgado por Andy Park, é o brilho vermelho que está emanando da televisão. A cor em escarlate é referencial aos poderes de Wanda, mas o mais interessante disso tudo, é que somente está em cores aquilo que o brilho da televisão atinge, com o resto do cenário, até mesmo o que se pode ser visto para fora da casa pela janela, é apresentado em preto e branco. Esse elemento suporta a teoria de que tudo aquilo é uma ilusão, um sonho e realidade criado pelos poderes de manipulação de realidade de Wanda Maximoff

Por fim, o elemento mais chocante e que levou os fãs a loucura, é a sombra que se forma por conta do brilho da televisão, na parede. Quando escalada, em 2015 para Vingadores: Era de Ultron, Joss Wheedon e Kevin Feige prometeram a atriz que ela jamais usaria a roupa original dos quadrinhos da Feiticeira Escarlate, sempre buscando uma versão mais modernizada e apropriada para o MCU. No entanto, parece que os tempos mudaram e, como pode ser visto na sombra, vemos a silhueta de Wanda sendo formada com sua icônica tiara e capa, dando a entender que a atriz finalmente vai transitar para a Feiticeira Escarlate dos quadrinhos, talvez até mesmo, finalmente adotando seu nome heróico.

Agora, o pôster pode significar muito mais do que somente pode ser analisado, deixando abertura para que muito da história da Feiticeira Escarlate e Visão tem a contribuir para o futuro do MCU. O primeiro dele é, na verdade, o foco da série e como toda uma realidade criada pra satisfazer as necessidade de Wanda Maximoff. Visão não é o único personagem que apresenta significância para a Feiticeira Escarlate, que é tão famosa por fazer parte de um set de dois. Os gêmeos Maximoff foram introduzidos juntos em 2015, mas por conta de acordos legais entre a Disney e a falecida 21th Century Fox, Aaron Taylor-Johnson teve apenas um filme para mostrar sua capacidade como Pietro, o Mercúrio. No entanto, desde a Era de Ultron, os mutantes voltaram para casa, dando a oportunidade de que, em um mundo perfeito criado pela mente da Feiticeira Escarlate, os gêmeos finalmente possam ser reunidos dentro do MCU.

WandaVision vai apresentar diversas camadas para si, mas uma delas e sem dúvidas, a mais importante é seu foco em família. Os elementos da produção e o direcionamento que essa série está tomando apontam que a chegada dos irmãos gêmeos filhos da Feiticeira Escarlate e do Visão é o próximo passo lógico para a história. Nos quadrinhos, Wanda manipula a realidade com seus poderes mutantes, criando assim seus filhos: Wiccan e Speed. Os dois são reflexos de sua própria família, não somente sendo irmãos gêmeos assim como Pietro e ela, mas com os mesmos desenvolvendo habilidades idênticas a sua mãe e tio. Wiccan, que atualmente se tornou um dos personagens mais queridos dentro dos quadrinhos, graças ao seu relacionamento homoafetivo com Hulking, tem a habilidade de alteração de realidades enquanto seu irmão, Speed, apresenta as mesmas habilidades de Mercúrio, tendo super velocidade.

WandaVision entretanto é uma série de duas partes, com a primeira sendo desenvolvida no Disney+, porém sua continuação ganhando magnitudes gigantescas, ao passo que a saga vai ter sua conclusão na sequência de Doutor Estranho. Os rumores de que Elizabeth Olsen estaria se juntando ao elenco do foram confirmados, quando a atriz apareceu junto de Benedict Cumberbatch, na Comic Con deste ano, para divulgar o filme. Com os poderes de Wanda descontrolados, a alterações de realidade vai ser a abertura para a introdução do Multiverso dentro do MCU, tornado a Feiticeira Escarlate uma possível ameaça para o universo como conhecemos, onde somente o Mago Supremo da Terra poderia parar. O Multiverso é algo que vai ecoar por todo universo Marvel, criando uma janela de infinitas possibilidades, com o retorno de personagens como Tony Stark, Natasha Romanoff e Steve Rogers agora possível. Porém, acima de tudo, a abertura do Multiverso vai permitir, que sem muita dificuldade, Kevin Feige introduza heróis como o Quarteto Fantástico e os X-Men, como propriedades já estabelecidas, evitando a fórmula Marvel e seus filmes de origem.