Connect with us

Séries

Volts realiza evento de Game of Thrones e viraliza no mundo inteiro

A cada episódio, cerca de 800 de fãs não tiravam os olhos do telão; assista.

Sabendo que São Luís (MA) era um grande recinto de fãs de Game of Thrones, o Volts realizou, durante os seis episódios da última temporada da série, realizou uma série de transmissões públicas da produção no São Luís Shopping.

A cada episódio, centenas de fãs não tiravam os olhos do telão, vibravam com cada cena emocionante e todo shopping reverberava com a emoção dos apaixonadas por GOT. 

A média de público foi de 800 pessoas por domingo, com picos de 1000 fãs no episódio final da temporada.

Sempre com debate pré-episódio, comandado pelos apresentadores Tayna Abreu, Alessandra Medina e Davi Coelho, a transmissão viralizou no mundo inteiro com a reação do público à fatídica cena de Árya e Rei da Noite. Veja clicando no vídeo acima.

Especiais

SDCC 2019 | Destrinchamos o trailer de Watchmen, da HBO

Série estreia em outubro deste ano, sob comando de Damon Lindelof

Foi divulgado neste sábado, como parte da campanha da HBO/Warner na San Diego Comic-Con, o trailer inédito da série Watchmen, criada por Damon Lindelof (Leftlovers) baseado na HQ de Alan Moore e Dave Gibbons.

Tentamos desvendar ao máximo a trama baseados apenas no que foi mostrado no trailer e no conhecimento da história original, logo, este artigo pode conter SPOILERS!

A história de Watchmen, a série, se passa 30 anos após os acontecimentos da HQ. A maioria das pessoas acredita na versão de Ozymandias da história, apenas uma pequena parcela confia no que leu do Diário de Rorschach. Desses, uma punhado se transformou em adoradores fundamentalistas da palavra do antigo vigilante.

Esses acólitos são os homens com as máscaras parecidas com a de seu líder morto no trailer. Eles tem ainda um cântico de ordem: o tik tak de um relógio, contando o tempo para uma nova tragédia, ou para o retorno do Dr. Manhattan. O que acontece no final do trailer. Essas partes parecem ter sido tiradas das HQs pós Watchmen, as Doomsday Clock, cujo uso como base Lindelof não havia citado.

Um pouco depois que o culto é formado eles começam a atacar policiais, o que faz com que polícia passe a se esconder por trás das máscaras amarelas vistas no trailer. Esses são os policiais normais.

Ozymandias está escondido em uma de suas mansões, e é dado como morto pela sociedade. Ele está, claro planejando algo que deve envolver a lenda do Cargueiro Negro. Nesta nova versão é interpretado por Jeremy Irons. Há uma personagem chamada Pirata Jenny, interpretada por Adelaide Clemens, ela deve ter ligação com a trama de Adrian Veidt, ou ela é uma das policiais vigilantes.

Há no jornal que aparece no começo do trailer uma manchete dizendo que Adrian Veidt está morto, mas ao lado há uma chamada de capa para a matança de animais perpetrada por um monstro chamado de Boise Squid Shower, o mesmo que Ozymandias inventou que existia no final da HQ. Eles estão agindo ainda, como mostrado na quantidade de insetos mortos por uma gosma branca. Eles também estão na ilustração que aparece na cena no tribunal, onde também é possível ver que o juiz usa máscara para se proteger.

Vigilantes são proibidos por lei, e só podem agir se pertencendo a uma força policial. É o caso da personagem de Regina King, a investigadora de Angela Abraham. Ela parece ter se tornado vigilante após um ataque à sua casa por homens do culto.

Silk Spectral é do FBI agora, a Agente Blake, interpretada por Jane Smart. Fica subentendido, então, que o personagem de Don Johnson, o chefe da polícia Judd Crawford, é o Coruja. Ele é visto pilotando a nave do Coruja, Archie, e a usando para derrubar um avião dos acólitos em um campo. Com ele está a personagem de Hong Chau, ainda sem nome divulgado. Mas é interessante notar que há um outro homem como Coruja, com uma roupa preta, em quem Blake atira. O nome do segundo Coruja é Dan Dreiberg, e não Judd, mas ele pode muito bem ter mudado de nome.

A bandeira americana mudou, contemplando mais que 52 estados. Os acólitos do Rorschach usam a bandeira antiga. Robert Redford, o ator, já é sinalizado no quadro da escola que aparece no trailer como um dos mais importantes, ao lado de Lincoln, Nixon e Washington. Há uma matéria de jornal dizendo que ele não busca reeleição; Esse é mesmo o nome do ator que fundou o Sundance Film Festival. Em Doomsday Clock ele é eleito presidente dos Estados Unidos.

Tim Blake Nelson interpreta Looking Glass, um vigilante ainda mais misterioso que os outros, e que está comendo feijão de lata, como Rorschach na HQ. Ele está olhando na TV o Justiceiro Encapuzado impedir um assado em uma loja.

Há ainda o personagem de Loius Gosset Jr., descrito apenas como Old Man (Velho). É ele quem conta para detetive Abraham sobre uma conspiração que está em curso. Andrew Howard é Red Scare, também detetive da polícia, cuja fantasia é baseada nas tropas russas. Yahya Abdul-Mateen II é Cal Abraham, esposo da personagem de King.

Tom Milson é Marcus Maez, chamado apenas de Mime. Este personagem aparece na série pós Watchmen, Doomsday Clock. Sara Vikers faz Erika Manson/Marionette, esposa de Maez e com quem compartilha uma história trágica.

Eastereggs estão por toda parte, inclusive em ovos mesmo, como na escola quando a detetive Abraham tenta fazer um Smile de ovos e um dos olhos está manchado de sangue; Num comercial colocado sobre um táxi há referências aos Minutemen e ao comediante, com uma imagem dele jovem e a frase “comedy begets tragedy”, uma referência à frase de Mark Twain “Humor is tragedy plus time” e à persona do Comediante/ Edward Blake.

O trailer termina com Dr. Manhattan aparecendo de volta à Terra, depois de um desastre que matou milhares. Ele recolhe do chão uma máscara azul. Uma referência à ele mesmo e também à V de Vingança, outra HQ seminal de Alan Moore. Antes, é possível ver animadores de festa infantil fantasiados de Dr. Manhattan, e há ainda um marco azul em sua homenagem.

Watchmen estreia no começo de outubro na HBO, com produção de Damon Lindelof, Nicole Kassell e Tom Spezialy. Kassell dirigiu o piloto com Lindelof, que também é o showrunner. Serão oito episódios e todos devem ser transmitidos ainda em 2019, o que coloca a estreia na primeira semana de outubro. Trent Reznor and Atticus Ross assinam a trilha sonora.

Continue Reading

Coberturas

SDCC 2019 | Painel de Westworld discute mudanças na série da HBO

Série volta em 2020 e ganhou trailer inédito

Com a presença de elenco e criadores, o painel de Westworld, hit distópico da HBO, discutiu a nova fase da história e a adição de um novo importante personagem, Cabeb, interpretado por Aaron Paul. Também foram liberados novos pôsteres promocionais da série e um trailer recheado de cenas.

O palco estiveram os atores Jeffrey Wright (Bernard), Thadie Newton (Maeve), Evan Rachel Wood (Dolores/Wight), Tessa Tompson (Charlotte/Dolores), Aaron Paul (Caleb) e os co-criadores Lisa Joy e Jonathan Nolan.

A conversa começou com Nolan e Joy deixando suspense sobre a volta de Logan, personagem de Ben Barnes. O pai dele pelo menos, William/Man in Black, estará de volta como mostrado no trailer. Segundo Joy e Nolan o subtítulo e tema central da nova temporada será “A New World”. Pode subir a eterna referência à A. Huxley.

Sobre os parques, Nolan disse que não confirmaria se a terceira temporada deixaria, mas, conforme mostrado no trailer, Maeve, personagem de Thandie Newton ainda está servindo como atracão num parque da Delos, ainda sem nome, mas que retrata a Segunda Guerra, repleto de nazis. O personagem de Rodrigo Santoro, Hector, também foi visto no trailer encontrando Maeve.

Rachel Wood falou sobre a nova empreitada de Dolores, agora no mundo real “ela é um peixe fora d’água nessa temporada. Ela está mesmo sozinha… Ainda é cheia de surpresas e implacável, mas eu acho que suas interações com Aaron (Paul) a farão reavaliar o que acha da humanidade”.

O personagem de Paul, Caleb, é um trabalhador da construção civil, cheio de mistérios, mas que não frequentaria parques da Delos. Ele tem um robô com cara de robô chamado George, que trabalha junto com ele nas obras. Robôs aliás, estão por toda parte no mundo real, não os andróides dos parques. Um deles é inclusive abatido por guardas em uma das cenas dos trailers.

Sobre o desenvolvimento da história de Westworld, Nolan disse que a série “comeu como uma distopia”, mas a terceira temporada é “o melhor cenário”. “As AI que temos são reflexivas, mortais, mas reflexivas”.

Se a primeira temporada foi sobre o completo de divindade de Ford e o trato desumano de humanos para com andróides, a segunda sobre roubo de dados de clientes e vingança, a terceira será sobre “algoritmos deterministas”. Nolan, jogando um share na concorrência, disse que é o que a Netflix faz quando diz para o cliente o que deve assistir em seguida.

Jonathan adicionou que esta nova temporada é menos filosófica que as anteriores, lidando com coisas mais palpáveis. “Um das coisas divertidas da terceira temporada é que descartamos a ideia de metáfora e lidamos com o mundo como ele é, um enorme show de merda”.

A próxima a falar foi Tessa Thompson. Ela contou sobre como gostou de interpretar Charlotte por ser uma mulher de cor com muito poder dentro de uma empresa tão grande como a Delos. Thompson confessou que nem ela sabia que parte da segunda temporada ela era também Dolores, mas que agora pediu para Rachel Wood dicas sobre como interpretar a anti-heroína.

Jeffrey Wright se esquivou da questão sobre seu personagem, Bernard, ter sido programado para ser empático ou ter desenvolvido empatia. “Essa é a questão central da história, não?”.

Seguindo, Thandie Newton falou sobre os desafios que sua personagem passou na segunda temporada. Ela disse ter sido um dos momentos mais desafiadores de sua carreira. Newton deu pistas sobre a expansão da consciência de Maeve: “ela sabe agora que um peça de hardware muito cara, ainda assim ela é tratada com nenhum valor. Então eu amo como agora ela terá chance de barganhar seu valor pessoal”.

O moderador do painel perguntou aos conferencistas quais deles tinham auto-falantes inteligentes em casa, quais deles tinham carros automáticos e quais haviam se submetido aos testes de DNA em voga. A ideia foi mostrar para a plateia o quão próximos estamos do mundo de Westworld, uma visão do ano de 2050.

O último a falar foi Aaron Paul. Ele disse sempre ser atraído por personagens “com profundas e complicadas emoções”. Segundo ele, o papel de Caleb na história é “dar uma ideia de como é ser um humano vivendo nesse mundo louco e futurista”.

Westworld volta na HBO, HBO Go e HBO Max em 2020. Confira o trailer.

Continue Reading

Séries

O universo de Steven Universe

Conheça Steven e as Crystal Gems, e se prepare para o filme, que estreia em setembro

O texto contém spoilers

Um garoto humano e três mulheres alienígenas com poderes e personalidades baseados em pedras preciosas se reúnem para proteger o planeta Terra. Essa é a sinopse simples da série animada, e agora filme, Steven Universe. Na San Diego Comic-Con 2019, o Cartoon Network divulgou o primeiro trailer do longa, que você confere acima.

Se você ainda não conhece a história de Steven, Garnet, Amethyst e Pearl, há tempo para acompanhar as aventuras desse grupo e se preparar para a estreia do filme, prevista para o dia 2 de setembro. E minha missão hoje é te ambientar um pouquinho nessa história, e te apresentar, em especial, os personagens.

Pearl, Amethyst, Garnet e Steven

No desenho, Steven mora em Beach City, na casa de sua falecida mãe, Rose Quartz, ao lado das Crystal Gems, grupo outrora liderado por Rose. As três gems (Garnet, Amethyst e Pearl) assumem o papel de mãe do garoto, mas em muitos episódios é possível perceber que elas são como irmãs mais velhas para ele, e que também sentem muita falta da antiga líder.

Rose Quartz

Não se engane: Steven não é um caso de criança com pai omisso. Greg Universe tem um lava-jato e mora em uma van, mas isso não é motivo para julgá-lo. O filho carrega o legado da mãe, uma gem, e um humano não conseguiria prepará-lo para os possíveis perigos que podem aparecer.

Rose Quartz e as Crystal Gems eram rebeldes. Garnet, Amethyst e Pearl ainda são rebeldes, mas Rose foi responsável por liderá-las e mostrar que o sistema das gems não era o ideal. Destruir outros planetas sem pensar muito, explorar recursos dos planetas para criar gems guerreiras, minimizar sentimentos e emoções… esses eram alguns problemas sociais de Homeworld, terra natal das gems, e que causava aflição no grupo rebelde.

Crystal Gems

Homeworld é o elemento dessa ficção que remonta ao que nós já vimos em outras histórias: alienígenas que invadem a Terra, escravizam humanos (ou os exterminam) e usam nossos recursos. Nós vemos isso também no mundo real: na História Mundial, quantos povos foram responsáveis por invadir terras de outros povos e fazer as mesmas coisas que as gems? É difícil contar.

Mas voltemos a nos prender à ficção. Desafiar o sistema tradicional de sua espécie e usar a Terra como base eram ações das Crystal Gems. Mas a morte de Rose alterou um pouco o percurso das coisas. Agora, além de se preocupar com o súbito ataque de outras gems, as Crystal precisam cuidar de Steven Universe, que representa o legado da tão amada líder dessas mulheres. Homeworld enxerga as Crystal Gems como traidoras, e esse legado foi também deixado para o protagonista.

Ser metade humano e metade gem traz à Steven uma série de aventuras. E nos primeiros episódios, você pode achar o personagem irritante. Bobo demais, empático demais, gosta de evitar violência… Mas, por que essas características seriam irritantes? Aqui, o Cartoon Network acerta em cheio ao trazer um personagem principal, e herói, diferente do que encontramos por aí. E o mérito não fica só para o canal, mas para Rebecca Sugar, criadora da animação e que foi roteirista de aclamados episódios de Adventure Time.

Steven e as Crystal Gems

Rebecca nos entrega um protagonista cheio de questionamentos, inseguranças e empolgação. Nós todos não temos momentos assim? Steven não conheceu a mãe, mas conheceu todas as coisas incríveis que Rose fez por meio de relatos de terceiros. Pearl, dentre as 3 tutoras do garoto, é a que mais se empenha em não deixar ninguém esquecer o quão importante Rose Quartz foi – e é. E isso é um peso para Steven. Imagina a responsabilidade de ter que crescer e atingir esse nível tão alto? Ao longo do percurso, ele descobre que a mãe não era perfeita, e isso também é um peso, e é interessante ver um desenho animado mostrar conflitos assim.

Ao longo da história, Steven descobre seus poderes. Sua arma principal é um escudo. Ele consegue também criar uma bolha de proteção, estendendo essa proteção à mais pessoas. E possui algumas habilidades de cura. Não é convencional para um personagem-título ser o elemento “curador” do enredo, mas Steven não poderia ser outra coisa. Ele gosta de proteger. Foi tão protegido pelas Crystal Gems que carregou consigo a importância da empatia.

E Garnet, Pearl e Amethyst ensinaram muitas outras coisas além da empatia. E para o público, essas três mulheres são responsáveis por mostrar nas telas temas que às vezes não discutimos nem com nossa própria mente.

Pearl, por exemplo, vive no caminho do perfeccionismo. Gosta das coisas totalmente certas, organizadas. Mas… a personagem tem um enorme sofrimento: a ausência de Rose dói. E em algumas canções (sim, canções, porque o desenho utiliza de momentos musicais para complementar sua história e nos entregar melodias e composições sensíveis e tocantes), sentimos que Pearl ficou, no mínimo, devastada com essa perda. Como lidar com a morte de alguém que amamos muito? Está lá a pergunta para personagens e público refletirem.

Steven e Pearl

Em oposição à Pearl, temos Amethyst. Animada, engraçada, desorganizada, barulhenta. Causa dor de cabeça em Pearl, e as duas vivem em momentos de discussão. O jeito animado de Amethyst esconde um problema mal-resolvido: pela forma como foi gerada, que é considerada defeituosa, essa gem sofre de um complexo de inferioridade que à leva ao medo de nunca ser boa o suficiente.

As personalidades distintas de Pearl e Amethyst podem causar divergências entre as duas, mas também nos surpreende em alguns momentos, principalmente quando se trata da fusão, um tema muito presente na série. As Gems possuem a habilidade de unir seus organismos e criar uma única forma, com poderes e habilidades potencializados de acordo com as envolvidas no processo. E no caso de Pearl e Amethyst, Opal (ou Giant Woman como Steven cantou)é o resultado da fusão.

Opal

A fusão não é algo bem visto pelas gems. Esse processo acontece quando as duas envolvidas concordam com isso e é feito apenas para fins bélicos. Mas claro que as Crystal Gems não concordam com esse último item. A fusão, para elas, representa também o amor, a sintonia, a reciprocidade. E, representando tudo isso, temos Garnet.

Garnet

A fusão de uma Rubi e uma Safira resulta na atual líder do grupo. Garnet é um mulherão, e é só olhar para ela que sentimos poder emanando de sua figura. Um tanto calada, mas uma comediante de primeira em momentos certos. E ama Steven de uma maneira gigantesca. Porque essa é essência de Garnet: um ser criado a partir do amor.

Em contrapartida de relacionamentos baseados no amor, temos os relacionamentos tóxicos. E esse último, encontramos na fusão de Jasper e Lapis-Lazuli. Malachite, o resultado, é poderosa, e antagoniza com as Crystal Gems. Em alguns episódios, é possível perceber que Jasper tem comportantes abusivos em relação a Lapis, o que gera transtornos na relação.

Jasper e Lapis-Lazuli

Steven Universe traz outros temas em seus episódios, como a ansiedade. Connie, par romântico do protagonista e companheira de batalhas, sofre com crises de ansiedade. E conta com apoio dos amigos para lidar com as dificuldades.

Steven e Connie

É interessante perceber o quanto o sentimento de família e amizade está presente entre os personagens. Até mesmo em batalhas, esse sentimento está lá. Relacionamentos, de todos os tipos, são explorados em diálogos, canções e cenas.

E ver Steven crescer ao lado de Garnet, Amethyst e Pearl, que também estão crescendo, é uma sensação incrível. Perceber que esses seres com poderes, capazes de lutar e criar fusões igualmente poderosas, carregam problemas e inseguranças, torna a história acessível. E, é por isso, que Steven Universe chegou até uma quinta temporada e deixa fãs à espera do anúncio de uma sexta.

Steven Universe: The Movie

Ah, e claro, deixou um público ansioso para a estreia do filme.

Continue Reading