Tick, Tock Watchmen





11/05/2019 - Atualizado às 14:34


Watchmen é uma das propriedades mais conhecidas e aclamadas do mundo, sendo considerada por muitos uma das maiores obras de arte já produzidas, por ser um marco na mudança de temas e linguagens abordadas nos quadrinhos, trazendo assuntos significativamente mais maduros para as HQs.

Criada por Alan Moore e ilustrada por Dave Gibbons em 1986, os quadrinhos se passam durante eventos da guerra fria, na guerra ideológica entre a União Soviética e os Estados Unidos, que agora contam com a presença de super heróis e as consequências de seus poderes em campo de batalha.

Watchmen foi novamente promovida, sendo agora a nova aposta do HBO para o canal pós Game of Thrones, com um primeiro trailer extremamente enigmático tendo sido liberado dois dias atrás, a série busca elevar ainda mais o material, mesclando elementos de histórias atuais dos quadrinhos com um roteiro original e uma estética que remete a suas origens grotescas.

Parando para analisar os materiais dados pela HBO, o Volts trouxe um comentário sobre o trailer e pontuar cenas importantes, seus significados e, especialmente, o que esperar dessa nova mega produção.

Rorschach| O Legado

A HBO vai abordar uma história original, divergindo dos quadrinhos, mas buscando inspirações na brilhante mente de Moore, no material original. Aqui, veremos um universo mais velho, se passando anos depois dos eventos que deram início a Watchmen nos quadrinhos, onde o personagem de Rorschach agora se encontra morto, episódio que leva a criação de uma organização de vigilantes: Os Homens Sem Rosto.

Esses novos personagens buscam a justiça da mesma maneira que seu mártir, com as próprias mãos , os colocando acima da lei. Por conta de uma nova era de vigilantes, a polícia e o governo tomam medidas extremas, tornando seus próprios agentes, homens sem rostos, criando uma guerra civil em que ninguém está salvo, concebendo assim o manto desses novos vigilantes: nós somos ninguém, nós somos todos e nós somos invisíveis.

TICK, TOCK | DOOMSDAY CLOCK

O discurso dos homens sem rosto é marcado pelo tick tock de um relógio, que ao longo do trailer, somente vai se intensificando. Tal fato é uma referência ao evento dos quadrinhos que está acontecendo atualmente, com a minissérie Doomsday Clock, que está servindo de base para introduzir o universo de Watchmen dentro da continuidade principal da DC.

Porém, na série, o relógio do juízo final pode ser interpretado de várias maneiras, a primeira sendo algo mais literal, com o conflito entre essas forças opostas e de visões agressivas (o governo e os vigilantes) levando ao caos e eventualmente a destruição, entretanto, o tick tock pode ser interpretado de maneira mais metafórica, representando a sempre existência de um Rorschach e a eventual revolução daqueles que não acreditam no governo e na justiça cega.

Ozymandias | Jeremy Irons

Por fim, além da produção de alta qualidade, a série de Watchmen conta com um elenco de peso, incluindo o veterano Jeremy Irons (Batman V. Superman). O papel do mesmo era até então um mistério, porém depois das cenas reveladas durante o trailer, vemos Irons meditando na pose icônica e extremamente reconhecível de Adrian Vedit, ninguém menos que Ozymandias.

Esse personagem é um dos mais importantes nos mitos de Watchmen, sendo considerado um dos vilões mais relevantes em quadrinhos, por sua abordagem realista em conflitos sócio-políticos e inteligência em níveis gênios, conseguindo dessa forma manipular toda a questão da Guerra Fria, com uma estratégia que uniria a URSS e os EUA contra um inimigo comum, no entanto, esse plano de ”paz” vinha as custas da vida de milhões de inocentes.

A presença de Ozymandias eleva a série, que deixa de ser somente um conflito ideológico, regido por violência para algo arquitetado, deixando que essa produção ganhe um nível intelectual imenso, colocando seus espectadores na posição de tentar entender o homem mais inteligente do mundo, que está sempre dez passos na frente de qualquer plano.