Connect with us

Artigos

The Walking Dead caminha para o cancelamento?

A série retorna dia 10 de fevereiro de 2019, com 8 episódios inéditos.

Foto: Divulgação/AMC

Veja bem, quando lembramos de séries como House of Cards e The Vampire Diares, por exemplo, é fácil identificar um ponto em comum: elas perderam seus protagonistas e não demoraram muito encerrar as atividades. Em 2018, depois de muita especulação, The Walking Dead entrou para a assustadora e crescente lista de séries que perdem seus protagonistas antes do fim definitivo.

Não que faltem exemplos de séries que liberaram o elenco principal e continuaram brilhando, como Grey’s Anatomy sem Patrick Dempsey como galã desde 2015. Mas desde que Andrew Lincoln resolveu deixar The Walking Dead por vontade própria, a dúvida que paira no ar é se a série seguirá os passos de House of Cards e Two and a Half Men, canceladas pouco depois de perder os pilares principais.

Ainda que o fã não esteja certo de que essa nova fase sem Rick Grimes irá mesmo vingar, os executivos da AMC batem na tecla desde 2014 que a série seguiria exibindo episódios até 2022, quando termina a 12ª temporada. Posteriormente, o próprio canal desconsiderou acabar com a trama por agora. E desde antes disso, Robert Kirkman, criador da obra original, já falava sobre a possibilidade do grande protagonista morrer, mas era algo tão distante da realidade do fã que soava como uma “ameaça” vazia.

Chandler Riggs em cena como Caril Grimes. (Foto: Divulgação/AMC)

No fim de 2017, o ator Chandler Riggs, que interpretou Carl Grimes, deixou escapar em entrevista sobre a oitava temporada que a série estava em uma de suas últimas temporadas. “Em respeito a mim, ao Carl, e por uma das últimas temporadas da série, peço que vocês não divulguem o que acontece no final do episódio”. Na época ele falava da morte do próprio personagem.

Despedida feita, Andrew Lincoln anunciou que estrelará spin-offs da série: três filmes derivados de The Walking Dead que serão exibidos apenas na TV. Qual sentido em deixar a série principal para continuar no mesmo universo? Conflitos de bastidores, talvez? Fica a dúvida.

No entanto, ainda que a AMC tente empolgar os fãs falando de ampliação de universo, filmes, spin-offs, novas temporadas e novos personagens, quem dá munição para tudo isso acontecer é quem, atualmente, tem deixado o seriado para ver depois.

Na televisão, a série que alcançou picos de quase 18 milhões de espectadores na quinta temporada, tem registrado menos de 6 milhões atualmente. Continua sendo uma das mais vistas da TV, mas seria negligência desconsiderar uma queda tão brusca de audiência. Em contrapartida, The Walking Dead foi a série mais pirateada no mundo em 2018.

Com uma movimentação tão intensa para parecer que The Walking Dead segue a plenos pulmões, é difícil acreditar num cancelamento iminente. Mas é um pensamento muito comum o de que só uma reviravolta muito grande afastaria o fantasma do cancelamento de vez.

Ainda mais depois de uma sequência de perdas tão importantes para o enredo, a série – hoje assinada por Angela Kang – precisa ser impecável nos próximos episódios para superar essas ausências e provar que a AMC ainda tem braço para construir um universo em cima de uma história já tão desgastada.

A série retorna dia 10 de fevereiro de 2019, com 8 episódios inéditos.

Em alta agora