Coberturas

SDCC 2019 | Painel de Westworld discute mudanças na série da HBO

Com a presença de elenco e criadores, o painel de Westworld, hit distópico da HBO, discutiu a nova fase da história e a adição de um novo importante personagem, Cabeb, interpretado por Aaron Paul. Também foram liberados novos pôsteres promocionais da série e um trailer recheado de cenas.

O palco estiveram os atores Jeffrey Wright (Bernard), Thadie Newton (Maeve), Evan Rachel Wood (Dolores/Wight), Tessa Tompson (Charlotte/Dolores), Aaron Paul (Caleb) e os co-criadores Lisa Joy e Jonathan Nolan.

A conversa começou com Nolan e Joy deixando suspense sobre a volta de Logan, personagem de Ben Barnes. O pai dele pelo menos, William/Man in Black, estará de volta como mostrado no trailer. Segundo Joy e Nolan o subtítulo e tema central da nova temporada será “A New World”. Pode subir a eterna referência à A. Huxley.

Sobre os parques, Nolan disse que não confirmaria se a terceira temporada deixaria, mas, conforme mostrado no trailer, Maeve, personagem de Thandie Newton ainda está servindo como atracão num parque da Delos, ainda sem nome, mas que retrata a Segunda Guerra, repleto de nazis. O personagem de Rodrigo Santoro, Hector, também foi visto no trailer encontrando Maeve.

Rachel Wood falou sobre a nova empreitada de Dolores, agora no mundo real “ela é um peixe fora d’água nessa temporada. Ela está mesmo sozinha… Ainda é cheia de surpresas e implacável, mas eu acho que suas interações com Aaron (Paul) a farão reavaliar o que acha da humanidade”.

O personagem de Paul, Caleb, é um trabalhador da construção civil, cheio de mistérios, mas que não frequentaria parques da Delos. Ele tem um robô com cara de robô chamado George, que trabalha junto com ele nas obras. Robôs aliás, estão por toda parte no mundo real, não os andróides dos parques. Um deles é inclusive abatido por guardas em uma das cenas dos trailers.

Sobre o desenvolvimento da história de Westworld, Nolan disse que a série “comeu como uma distopia”, mas a terceira temporada é “o melhor cenário”. “As AI que temos são reflexivas, mortais, mas reflexivas”.

Se a primeira temporada foi sobre o completo de divindade de Ford e o trato desumano de humanos para com andróides, a segunda sobre roubo de dados de clientes e vingança, a terceira será sobre “algoritmos deterministas”. Nolan, jogando um share na concorrência, disse que é o que a Netflix faz quando diz para o cliente o que deve assistir em seguida.

Jonathan adicionou que esta nova temporada é menos filosófica que as anteriores, lidando com coisas mais palpáveis. “Um das coisas divertidas da terceira temporada é que descartamos a ideia de metáfora e lidamos com o mundo como ele é, um enorme show de merda”.

A próxima a falar foi Tessa Thompson. Ela contou sobre como gostou de interpretar Charlotte por ser uma mulher de cor com muito poder dentro de uma empresa tão grande como a Delos. Thompson confessou que nem ela sabia que parte da segunda temporada ela era também Dolores, mas que agora pediu para Rachel Wood dicas sobre como interpretar a anti-heroína.

Jeffrey Wright se esquivou da questão sobre seu personagem, Bernard, ter sido programado para ser empático ou ter desenvolvido empatia. “Essa é a questão central da história, não?”.

Seguindo, Thandie Newton falou sobre os desafios que sua personagem passou na segunda temporada. Ela disse ter sido um dos momentos mais desafiadores de sua carreira. Newton deu pistas sobre a expansão da consciência de Maeve: “ela sabe agora que um peça de hardware muito cara, ainda assim ela é tratada com nenhum valor. Então eu amo como agora ela terá chance de barganhar seu valor pessoal”.

O moderador do painel perguntou aos conferencistas quais deles tinham auto-falantes inteligentes em casa, quais deles tinham carros automáticos e quais haviam se submetido aos testes de DNA em voga. A ideia foi mostrar para a plateia o quão próximos estamos do mundo de Westworld, uma visão do ano de 2050.

O último a falar foi Aaron Paul. Ele disse sempre ser atraído por personagens “com profundas e complicadas emoções”. Segundo ele, o papel de Caleb na história é “dar uma ideia de como é ser um humano vivendo nesse mundo louco e futurista”.

Westworld volta na HBO, HBO Go e HBO Max em 2020. Confira o trailer.