Connect with us

Livros e HQ's

Quinto volume da série Witches of Lychford é anunciado

Este também será o último livro na saga que promete vir com grandes batalhas e bolos!

A Tor Books anunciou, nesta segunda-feira (5) o quinto volume da série Witches of Lychford, do escritor britânico Paul Cornell. Em Last Stand in Lychford a guerra civil no mundo das fadas começa a escorrer para o mundo dos humanos. Este também será o último livro na saga.

Paul Cornell declarou estar contente em poder terminar a história e deixou de presente um teaser sobre uma “batalha por tudo ou nada” que será travada no final. Já o editor de Witches of Lychford, Lee Harris, disse que ama os personagens e se sente “orgulhoso em ter contribuindo com uma pequena parte em trazê-los aos leitores”.

A saga já conta com os volumes Witches of Lychford, The Lost Child of Lychford, A Long day in Lychford e The Light go out in Lychford. Paul Cornell também escreveu contos de Doctor Who e pode ser encontrado na antologia O Príncipe de Westeros, organizada pro George R.R. Martin

Continue lendo
Advertisement

Destaque

Relação entre Margaret Atwood e série The Handmaid’s Tale é pura simbiose

Ao ler The Testaments, o novo livro de Margaret Atowood, onde a escritora volta a explorar o regime fundamentalista totalitário protestante de Gilead, após ter visto toda a terceira temporada de The Handmaid’s Tale, série do Hulu que adapta o romance homônimo publicado em 1985, torna-se perceptível que a mão da canadense ainda é tão presente na narrativa derivada já tão distante do original, quanto era na primeira temporada, com cenas retiradas do livro.

Mas Atwood e sua relação com The Handmaid’s Tale é algo de fresco na dança entre romancistas e as dramatizações de seus livros, precisamente quando se trata de ficção especulativa, indo muito além da ocasional participação especial. A escritora da liberdade e se inspira na obra derivada. É um ciclo completo como raras vezes se vê.

Em sua mais recente edição, a revista The Gentlewoman traz uma extensa entrevista com Margaret Atwood, que estampa a capa, onde são abordados inúmeros temas concernentes à vida e carreira da escritora octogenária. Em dois parágrafos há um isight sobre como se dá a relação simbiotica entre criador e criatura: Atwood orientou Bruce Miller,showrunner e principal roteirista de The Handmaid’s Tale, enquanto escrevia seu novo livro, e levou aspectos da série para dentro de seu novo testamento.

Diferente de quando uma obra derivada expande o texto, ou o surpassa, o trabalho foi simultâneo. Mas diferente de escritores mão de ferrro, Miller teve liberdade em explorar as linhas gerais que lhe foram dadas. Pelo menos na maior parte.

O nome de Nicole, segunda filha de June foi uma exigência inegociável de Atwood, assim como também a salvaguarda da vida de alguns personagens, não expecificados na entrevista. “Eu disse que tinha que ser Nicole”, certificou a escritora.

Atwood para The Gentlewoman, por Alasdair McLellan

Das telas, Atwood tomou grande inspiração na performace de Ann Dowd como Aunt Lydia para dar mais profundidade à personagem. É em grande parte pelo excelente trabalho de Dowd como a matriarca das Tias que Lydia ganhou um episódio com seu passado na tv e o poder de narradora em The Testaments. Para os leitores dos dois livros e expectadores da série, é possível perceber exatamente até onde vai a mão de Atwood e onde começa a liberdade de Miller. Um balanço perfeito, mesmo quem não concorda com interferências de autores em projetos derivados, como eu, deve concordar.

“Fui inspirada pela performace de Ann Dowd, que deu à Aunt Lydia mais dimensões que ela tinha no livro original”, contou Atwood. Dowd inclusive foi chamada para reprisar a personaem no  audiobook do novo romance profético. 

The Testaments foi lançado – com toda pompa de um prestigiado romance literário encontrando o frisson de uma saga popular – no último dia 10 de setembro, após um ferrenho esquema de segurança e confidencialidade para manter a surpresa, é um dos favoritos para ganhar o Booker Prize 2019 e já best-seller em todo o mundo.

Tayna Abreu é jornalista de entretenimento e também fala sobre ficção especulativa em seu IGTV @oftay_ 

Continue Reading

Destaque

Troféu HQMIX anuncia vencedores da 31ª edição

A 31ª edição do Troféu HQMIX divulgou a relação dos vencedores a serem premiados nas 35 categorias elencadas para o evento, que em 2019 celebra os 150 anos da primeira história em quadrinhos publicada no Brasil.

Em referência a data, o troféu deste ano é uma versão em 3D da personagem Nho Quim de Angelo Agostini, publicada em 30 de janeiro de 1969 na revista “Vida Fluminense”. A confecção ficou por conta do artista plástico Itamar Braga (processo 3D) em parceria com Wilson Iguti (reprodução).

O Troféu HQMIX premia os melhores trabalhos da área dos quadrinhos do ano anterior e para esta edição contou com um júri especializado e um júri nacional com mais de 2.000 profissionais.

Entre os premiados estão a obras: Cumbe, de Marcelo D’Salete (Veneta), como Destaque Internacional; Akira vol.02, de Katsuhiro Otomo (JBC) como Publicação de Clássico; e a editora Pipoca & Naquim como Editora do Ano. Outra supresa foi o empate na categoria Grande Contribuição do Ano, que contou com o Gibizão da Turma da Mônica (Panini e MSP) e a Coleção Grande Encontro – Turma da Mônica & Liga da Justiça (Panini, MSP e DC)

A cerimônia de premiação acontece no próximo dia 15 de setembro na comedoria do já consagrado Sesc Pompeia (São Paulo-SP), às 17h30, com apresentação do padrinho do evento, Sergio Groisman. A entrada é limitada e gratuita.

Troféu do 31º Prêmio HQMIX inspirado nos 150 anos do quadrinho nacional faz homenagem à personagem Nho Quim de Angelo Agostini. Foto: Divulgação/Troféu HQMIX)

Conheça todos os vencedores do 31° Troféu HQMIX:

  • Adaptação para os Quadrinhos
  • – A Revolução dos Bichos
  • Arte-finalista Nacional
  • – Wagner Willian (O Martírio de Joana Dark Side)
  • Colorista Nacional
  • – Mariane Gusmão (Desafiadores do Destino)
  • Desenhista Nacional
  • – Marcelo Lélis (Anuí)
  • Destaque Internacional
  • – Cumbe, de Marcelo D’Salete
  • Edição Especial Estrangeira
  • – Mort Cinder
  • Edição Especial Nacional
  • – Graphic MSP VOL.18 – Jeremias
  • Editora do Ano
  • – Pipoca & Nanquim
  • Evento
  • – CCXP Comic Con Experience
  • Exposição
  • – Quadrinhos – MIS
  • Livro Teórico
  • – Tradução de histórias em quadrinhos
  • Novo Talento – Desenhista
  • – Melissa Garabeli (Saudade)
  • Novo Talento – Roteirista
  • – Jéssica Groke (Me leve quando sair)
  • Produção para outras Linguagens
  • – Documentário do Humor – 45. Salão Internacional de Piracicaba
  • Publicação de Aventura/Terror/Fantasia
  • – Samurai Shiro
  • Publicação de Clássico
  • – Akira 2
  • Publicação de Humor
  • – Agente Sommos
  • Publicação de Tira
  • – Will Tirando nº 2
  • Publicação em Minissérie
  • – Greg – O contador de histórias
  • Publicação Independente de Autor
  • – Histórias Tristes e Piadas Ruins (Laura Athayde)
  • Publicação Independente de Grupo
  • – Orixás – Renascimento
  • Public. Independente Edição Única
  • – Os Últimos Dias do Xerife (Thiago Ossostortos)
  • Publicação Infantil
  • – Os diários de Amora
  • Publicação Juvenil
  • – Graphic MSP 18 Jeremias
  • Publicação Mix
  • – Gibi de Menininha
  • Roteirista Nacional
  • – Laudo Ferreira (O Santo Sangue)
  • Web Quadrinhos
  • – Bendita Cura
  • Web Tira
  • – Will Tirando
  • Projeto Editorial
  • – A Arte de Charlie Chan Hock Chye (Pipoca & Nanquim)
  • Projeto Gráfico
  • – Box Noites de Trevas – Metal x Sepultura (Panini)
  • Grande Contribuição do Ano
  • Empate:
  • – “Gibizão” da Turma da Mônica [Guinness World Records para A maior revista em quadrinhos publicada] (Panini e MSP)
  • – Coleção Grande Encontro Turma da Monica & Liga da Justiça (Panini, MSP e DC)
  • Homenagens
  • – Aline Lemos por Artistas Brasileiras
  • – Edra por Ao Mestre Com Carinho – Ziraldo 85 no traço de 85 talentosos Cartunistas (Melhoramentos)
  • Mestre dos Quadrinhos
  • – Carlos Edgard Herrero
  • TCC – Trabalho de Conclusão de Curso
  • – Cicero Henrique da Cruz Sampaio por Webcomics dos Átomos aos bits –
  • Mestrado
  • – Valter do Carmo Moreira por Batman e o Surrealismo: uma investigação das estratégias poéticas surrealista dentro do Asilo Arkham
  • Doutorado
  • – Eveline Coelho Cardoso por A escola no túnel do tempo: imaginários sociodiscursivos e efeitos de sentido em charges contemporâneas sobre a educação e ontem e de hoje
Continue Reading

Livros e HQ's

Confira as dicas do ‘Dia dos Apaixonados por Livros’ do Volts

Clássico vitoriano, romance checo e fantasy hypado? Temos!

Hoje, 9 de agosto, é Dia dos Apaixonados por Livros (Book Lover’s Day) e parte da equipe do Site Volts aproveitou para dar dicas de livros que estão lendo ou já leram e querem muito que você, isso você, conheça!

Tayna Abreu – The Picture of Dorian Gray

Foto: Tayna Abreu/Volts

Clássico vitoriano de Oscar Wilde, o livro conta a fantástica história do jovem aristocrata Dorian Gray e sua jornada e corrupção mundana que apenas é visível em seu retrato. Dorian flana durante anos e anos por uma Londres de prazeres ocultos, permanece sempre jovem como quando foi pintado, mas guarda um segredo macabro na alma e no sótão de sua mansão.

O romance é também um espelho da vida dupla de Wilde, que se descobriu homossexual e foi considerado degenerado pela sociedade da época, assim como o próprio livro que escreveu. Picture of Dorian Gray tem uma prosa deslumbrante e personagens adoravelmente odiáveis e cujos absurdos só a passagem dos séculos consegue perdoar.

Clássico é encontrado em português como O Retrato de Dorian Gray, em várias editoras.

Saylon Sousa – As Crônicas do Matador do Rei

Foto: Tayna Abreu/Volts

Trilogia de Fantasy escrita por Patrick Rothfuss que narra a história de ‘Kvothe’, lendário arcanista (Mago) e músico famoso. Ele conta sua história a um cronista em três dias. A narrativa se desenvolve em dois tempos diferentes: o presente na qual Kvothe conta sua história à Devan Lochees (Conhecido como O Cronista) e o passado de Kvothe (maior parte da narrativa).

Os dois primeiros volumes e uma novela à parte foram publicados e estão disponíveis no Brasi, pela Editora Arqueiro com tradução de Vera Robeiro.

Alessandra Medina – A insustentável leveza do ser

Publicado em 1984 pelo escritor checo Milan Kundera, o romance foi adaptado para o cinema pelo diretor Philip Kaufman sob o nome de The Unbearable Lightness of Being.

A história acontece em Praga e em Zurique, em 1968, e atravessa algumas décadas. Narra os amores e os desamores de quatro pessoas: Tomás, Teresa, Sabina e Franz. É permeada pela invasão russa à Tchecoslováquia e pelo clima de tensão política que pairava em Praga naqueles dias.

Disponível no Brasil pela Companhia das Letras em várias edições, algumas em capa dura e também de bolso.

Tayna Abreu é jornalista de entretenimento e também fala sobre ficção especulativa em seu IGTV @oftay_ 

Continue Reading