Connect with us

Livros e HQ's

Quadrinho de suspense policial Nobre Lobo é disponibilizado em versão digital pela Amazon

Na trama. dois detetives da Polícia Civil de São Paulo investigam uma série de desaparecimentos infantis.

(Foto: divulgação)

O premiado quadrinho de suspense policial Nobre Lobo, de Gustavo Tertoleone e João Gabriel, publicado pela SESI-SP Editora, acaba de ser disponibilizado em sua versão digital. Nessa trama intensa, dois detetives da Polícia Civil de São Paulo, Luís Nobre e Milton Lobo, são incumbidos de investigar uma série de desaparecimentos de crianças.

A cada página, o leitor tem uma nova e surpreendente revelação. Além do envolvente roteiro, o suspense nessa graphic novel nacional é garantido pelas ilustrações bem como pelo projeto gráfico. Os desdobramentos da investigação fazem Nobre e Lobo repensarem não apenas a realidade, mas também os princípios que regem suas vidas.

A parceria dos dois detetives revela, ainda, o peso do cotidiano desses corajosos profissionais e faz o leitor se questionar: o que faria se estivesse no lugar de Nobre e Lobo? Qual o limite entre crime e heroísmo, sanidade e misticismo, certo e errado?

A versão e-book de Nobre Lobo está disponível na Amazon.

PRÊMIO

Em fevereiro, a HQ Nobre Lobo, dos autores Gustavo Tertoleone João e Gabriel, foi contemplada com o Prêmio Cátedra 10 Unesco-PUC Rio – Edição 2019, na categoria Distinção. A honraria celebra obras de excelência, com valor literário, plástico e editorial voltadas para o público infantil e juvenil.

Leia Mais
Publicidade

Exclusivo

Volts na literatura: Saylon Sousa, do Volts Podcasts, lança seu primeiro romance de literatura fantástica

Obra carrega o imaginário criado pelo repertório do autor, que é fã de mangás e animês, em uma trama intensa de batalhas e sentimentos.

Por

Escrever um livro sempre foi o sonho de Saylon Sousa. Pelos menos é o que ele sempre diz aos amigos e conhecidos quando fala de aspirações e desejos. Feliz, o radialista e podcaster do Grupo Volts não esconde a felicidade em poder lançar seu primeiro romance de ficção fantástica batizado de “As Crônicas dos Anjos: Volume I – Armagedom”.

Passando por cima das dificuldades impostas pelo mercado editorial, Saylon publica sua obra de maneira independente por meio de serviços de publicação por demanda já conhecidos por leitores, autores e editores como Clube de Autores e AgBook. É por lá que o livro pode ser adquirido em versão impressa.

“É bem difícil publicar um livro. Não basta apenas escrever e revisar. Tem que ter dinheiro para financiar registro e procedimentos técnicos para publicar. Graças a Deus hoje em dia há esses serviços de press on demand onde basta ter o miolo do livro pronto, uma capa e talvez o ISBN, porque é importante ter ele para se fazer presente nas grandes livrarias, e aí tudo fica bastante simplificado”, comenta o autor ao falar sobre o processo.

Foto: Saylon Sousa e seu primeiro livro (Arquivo Pessoal)

Com 428 páginas, a obra é divida em 45 capítulos e narra a trajetória dos jovens Ray, o herdeiro dos demônios, e Melissa, a princesa dos anjos, num encontro predestinado milhares de anos e que pode prevenir que a destruição do universo aconteça. Cabe a eles e seus amigos despertar as Sete Essências do Universo e impedir que os exércitos do Édden e do Apolleon liberem o caos no mundo.

“Comecei a rascunhar esse universo narrativo quando estava no Ensino Médio, mas a rotina do dia a dia e os percalços da publicação atrasaram o lançamento da obra mais que o imaginado. Nessa jornada já escrevi a continuação da obra, que está com 2/4 pronta, pois é uma tetralogia. Comigo desde sempre meu amigo Antonio Evangelista me ajudando nessa caminhada.”, relata Saylon ao contar mais sobre seu livro.

Disponível nos sites Clube de Autores e AgBook a obra está a venda desde o último dia 27 de maio pelo preço de R$ 49,95 e leva o selo do VOLTS. No site da Amazon também é possível adquiri-la na versão impressa ou em e-book por R$24,99 (título disponível no serviço de assinantes Kindle Unlimited).

Saiba mais:

As Crônicas dos Anjos: Volume I – Armagedom

Número de páginas: 428
Edição: 1 (2020)
Formato: A5 148×210
ISBN: 978-65-000-3679-4
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 90g

Onde comprar: CLUBE DE AUTORES (Impresso) e AGBOOK (Impresso) ou AMAZON (impresso ou e-book)

Leia Mais

Livros e HQ's

Começa hoje a 4ª edição do FLIPOP, festival de Literatura promovido pela Editora Seguinte

O festival, que já é evento marcado no calendário dos apaixonados por literatura, terá a participação de grandes autores como Raphael Montes, Ibi Zoboi e Rainbow Rowell.

(Foto: Reprodução/Flipop)

Será realizada hoje (9) a 4º edição da FLIPOP, o festival de Literatura pop criado pela Editora Seguinte em 2017 e que vem fazendo grande sucesso ao longo dos anos. Na edição 2020, que vai até o dia 12 de julho, a programação será toda realizada de forma gratuita e online devido à pandemia, sendo transmitida ao vivo pelo canal oficial da editora no Youtube.

O evento terá 16 bate-papos ao longo da programação, com a presença de autores brasileiros e estrangeiros que tratarão de diversos temas do mundo da literatura, como mercado editorial, gêneros literários, representatividade e leitura na adolescência.

Para dar início ao evento nesta quinta-feira (9), os temas das mesas de conversa serão: “Criatividade em tempos de crise”, marcada para as 11h, com a participação dos escritores Vitor Martins, Giullia Paim e Otávio Junior, que falarão sobre questões envolvendo a criatividade e produtividade de um autor em tempos de pandemia.

(Foto; Reprodução/ Flipop)

Em seguida, às 14h, rola o bate-papo “Mediação de leitura dentro e fora da escola”, que abordará o incentivo da leitura nas escolas e na família e os desafios, semelhanças e diferenças entre as mediações de leituras em diferentes formatos e plataformas. Às 16h30 tem a mesa “Uma linguagem para todes”, que tratará da inclusão na literatura.

Por fim, o primeiro dia do evento encerra com o bate-papo com a escritora Casey McQuiston, autora do aclamado livro “Vermelho, Branco e Sangue Azul”, com tradução consecutiva.

(Foto; Reprodução/ Flipop)

Para conferir a programação completa, clique AQUI.

Leia Mais

Livros e HQ's

Em tuíte, J.K. Rowling compara terapia hormonal a conversão de sexualidade

Devido às últimas declarações da escritora, fandoms da série Harry Potter se uniram contra Rowling.

Foto: Divulgação.

A escritora J.K. Rowling, autora da série de livros infanto-juvenil Harry Potter, continua a destruir a infância de seu público. No último domingo (5), a britânica voltou a fazer comentários transfóbicos em seu perfil no Twitter e chegou a comparar a terapia hormonal, tratamento utilizado por pessoas trans, a conversão de sexualidade, prática muito difundida no século passado para ‘converter’ a orientação sexual de gays e lésbicas.

Tudo começou quando um usuário da rede social fez um tuíte denunciando uma postagem curtida pela escritora que comprava prescrições de hormônios e antidepressivos. A publicação afirmava que ambos os tratamentos eram “pura preguiça para quem prefere medicar do que dedicar tempo e esforço para curar a mente das pessoas”.

A escritora decidiu responder a crítica e fez uma série de tuítes em que declarou já ter feio tratamento para TOC, depressão e ansiedade com o uso de antidepressivos, e que contribuíram para sua recuperação. “Quando você mente sobre o que eu acredito sobre medicamentos para a saúde mental e quando deturpa os pontos de vista de uma mulher trans por quem não sinto nada além de admiração e solidariedade, você cruza a linha”, comentou sobre as acusações direcionadas a ela.

J.K. Rowling continuou ao afirmar que muitos profissionais da saúde estão preocupados com o fato dos jovens que lutam pela sua saúde mental estarem sendo desviados para hormônios e cirurgias, quando isso pode não é de fato o interesse deles. “Muitos, inclusive eu, acreditam que estamos assistindo a um novo tipo de terapia de conversão para jovens gays, que estão sendo colocados em um caminho vitalício de medicalização que pode resultar na perda de sua fertilidade e/ou função sexual completa”, completou a escritora.

A autora de Harry Potter ainda cita diversas pesquisas e relatos que apontam que o sistema vê as cirurgias como solução fácil para meninas que não se adaptam. “Como já disse muitas vezes, a transição pode ser a resposta para alguns. Para outros, não – testemunhe os relatos dos detransicionadores”, pontuou.

Confira a série de tuítes:

Fandoms de Harry Potter contra J.K. Rowling

Em face aos recentes comentários considerados transfóbicos de Rowling, dois populares fandoms de Harry Potter resolveram se unir na quinta-feira passada (2). Os fandoms MuggleNet e The Leaky Cauldron se juntaram a ONG em defesa aos direitos LGBTQA+, a GLAAD, para ensinar aos fãs a como rebater os comentários de Rowling e afastá-los “das crenças prejudiciais e refutadas” da escritora.

No mesmo dia, os fandoms emitiram uma nota em que se posicionaram contra as crenças da britânica e assumiram o compromisso de estabelecerem um ambiente seguros aos leitores da série, independente do gênero ou sexualidade.

“Além da falta de gosto [de J.K. Rowling] ao escolher o Mês do Orgulho LGBTQ+ [em junho] para publicar estas declarações, acreditamos que o uso de sua inflência e e privilégio para atacar pessoas marginalizadas não condiz com a mensagem de aceitação e empoderamento presente em seus livros”, afirmaram na nota.

“Nossa postura é firme: mulheres trans são mulheres. Homens transgêneros são homens. Pessoas não binárias são não binárias. As pessoas intersexuais existem e não devem ser forçadas a viver no binário. Estamos com os fãs de Harry Potter destas comunidades. Embora não toleremos os maus-tratos que Rowling tenha recebido ao expor suas opiniões sobre pessoas trans, rejeitamos suas crenças”, concluíram.

Leia Mais