Novas imagens da série de ‘Guerra dos Mundos’ são reveladas





09/07/2019 - Atualizado às 15:54


A mais recente adaptação do clássico de ficção científica Guerra dos Mundos, do inglês H.G Well, teve suas primeiras imagens divulgadas.

War of the Worlds, criada por Howard Overman (Misfits), será dirigida pelo belga Gilles Coulier (Cargo) e Richard Clark (Versailles) como uma versão contemporânea da história sobre a invasão da terra por alienígenas escrita no começo do século 20.

A produção é estrelada por Gabrieal Byrne e Elizabeth McGovern. Léa Drucker, Natasha Little, Daisy Edgar Jones, Stéphane Caillard, Adel Bencherif, e Guillaume Gouix completam o elenco principal.

Confira a sinopse oficial da nova série:

“Situada na Europa atual, War of the Worlds é uma historia multifacetada baseada na história atemporal de H.G. Wells. Quando astrônomos detectam uma transmissão vinda de outra galáxia, provando a existência de vida extraterrestre dotada de inteligência. A população mundial aguarda apreensiva um novo contato. Não precisam esperar muito. Em alguns dias, a humanidade será exterminada; nossos restos de civilização são deixados em um estranho mundo deserto.

Enquanto naves alienígenas aparecem no céu, os sobreviventes fazem questões essenciais: quem são os invasores e por que querem nos exterminar? Essa é a história de pessoas comuns em circunstancias extraordinárias – mas eles são mais que vítimas em uma guerra brutal. Pois, como vamos perceber, os selvage, ataque dos aliens não é arbitrário: suas sementes foram plantadas defronte nossos olhos. Emocionante, cinematográfica e focada nos personagens, War of the Worlds é um casamento singular de drama humano e o melhor da ficção científica”.

Série é uma empreitada conjunta do Canal Plus, Fox Networks Group Europe & Africa, e AGC Television, e não deve ser confundida com a minissérie da BBC, que estreia ainda este ano e se passa oito anos depois do radio-drama que fez as pessoas da Inglaterra acharem que o mundo ia se acabar mesmo em 1938.

As duas produções são bem distintas, apesar de terem o mesmo material fonte, o que apenas confirma a universalidade do que foi escrito por Wells, conforme sublinhado por Byrne:

“Em literatura, romances distópicos e ficção científica tem sido um lugar seguro para lidarmos com o terror coletivo. Mas o que Wells entendia é que a maior ameaça não vem de fora, mas de dentro de nós mesmos, e vemos isso essa nova contagem da história, um aviso de que apenas nossa humanidade poderá nos salvar”.