Connect with us

Últimas

Netflix no Brasil | O futuro do serviço de streaming está comprometido?

Crescimento do Globoplay e lançamento de outros streaming prejudicam a Netflix?

A Netflix é uma gigante ao redor do mundo. Em terras tupiquinins, o cenário não é diferente. Segundo dados do relatório The State of Mobile 2019, feito pela App Annie, companhia de análise do mercado mobile, o Brasil é o segundo país do mundo em horas gastas com plataformas de streaming, especialmente nos dispositivos moveis, perdendo apenas para a Índia. Netflix e Globoplay são os serviços mais utilizados no país.

No último balanço divulgado pela Netflix à SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA, eram pelo menos 158 milhões de assinantes ao redor do mundo em setembro. A América Latina era representada por 29,4 milhões de assinantes e a estimativa era que o Brasil possuía de 8 a 10 milhões de assinantes ativos à época do relatório.

O documento revelou que no segundo trimestre do ano passado, houve queda no número de assinantes na região dos EUA e Canadá. Aqui no Brasil, como indicam os dados da empresa SimilarWeb, focada em monitoramento de internet, a gigante dos streamings perdeu 10% dos usuários ativos brasileiros no último trimestre de 2019.

Mas por que essa perda de assinantes em um país que adora esse serviço de streaming? Vejamos: no ano passado tivemos os lançamentos da Disney+, Apple TV+ e o crescimento da Amazon Prime Video. Apesar da plataforma de streaming da Disney ainda não ter chegado ao Brasil, o anúncio de um serviço exclusivo do estúdio foi um golpe no catálogo da Netflix: filmes da saga Star Wars e animação Frozen não constam mais no catálogo desde outubro, por exemplo.

A Warner também anunciou um serviço exclusivo de streaming, HBO Max, com estreia prevista para maio de 2020, o que resulta em mais perdas para os filmes, séries e desenhos oferecidos pela Netflix. A empresa pode sofrer ainda mais perdas, já que outros estúdios também se preparam para lançamentos de plataformas exclusivas.

Amazon e Apple ganham destaque por seus preços competitivos: cada um dos serviços cobra R$9,90, enquanto o plano mais básico da Netflix custa R$21,90. E no Brasil, em tempos de crise financeira, os preços baixos podem falar mais alto.

Mas talvez a justificativa mais forte seja o crescimento de um outro serviço de streaming: O Globoplay. O segundo maior serviço de streaming do Brasil é administrado pelo Grupo Globo e foi lançado em 2015. No catálogo, títulos de sucesso da empresa: O Canto da Sereia, Dona Flor e seus Dois Maridos, A Mulher Invisível, Toma Lá da Cá, Os Normais e até TV Pirata. Para os fãs das telenovelas, é possível encontrar das clássicas até as mais recentes: os episódios exibidos de Amor de Mãe já estão disponíveis no serviço. Para quem consome apenas séries internacionais, o streaming brasileiro não decepciona: The Good Doctor (uma das séries mais assistidas do serviço), Supernatural, Doctor Who, The Vampire Diaries e The Handmaid’s Tale são algumas das opções entre as várias ofertadas.

O Globoplay possui conteúdo gratuito e para assinantes, mas mais de 50% do que é encontrado na plataforma é exclusivo para os usuários pagantes. Os planos podem ser mensais e anuais, e dão direito à transmissão ao vivo do canal Globo (função disponível em alguns estados e cidades). Os preços são competitivos, o que torna o serviço uma opção ainda mais atrativa para os consumidores.

O serviço brasileiro vem crescendo. Em 2019, o streaming do canal aumentou o total de horas consumidas em 69%, em comparação com o ano anterior: de 234 milhões de horas, saltou para 396 milhões.

O Brasil é um mercado importante para a Netflix. Tanto que a empresa resolveu investir na série 3%, a primeira produção brasileira original da Netflix e a segunda produzida na América Latina. Porém, o país também é importante para a Globo, que vai investir R$1 bilhão no Globoplay em 2020.

A intenção da Globo é clara: dominar o mercado de streaming no Brasil. A Netflix pode até ser uma gigante, mas a realidade é que a concorrência está crescendo, e os usuários brasileiros estão atentos às mudanças.

Por enquanto, a Netflix ainda é o streaming número 1 no país, mas é inegável: a Globoplay está chegando.

Últimas

Sabrina Sato, Reality Show e Zumbis.

Série “Reality Z” ganha trailer e data de estreia na Netflix.

Foto: Reprodução/Netflix

Baseada em Dead Set (2008), de Charlie Brooker, mesmo criador de Black Mirror, Reality Z é uma série da Netflix que teve seu teaser apresentado hoje (27) e sua data para estréia dia 10 de junho.

A série conta a história de um reality show fictício no Rio de Janeiro chamado Olimpo, apresentado por Sabrina Sato, onde, os participantes e produtores do show acabam presos na casa, pois o local acaba por se tornar a única fortaleza segura em uma cidade que se passa por um apocalipse zumbi.

Pode-se notar, pelo trailer lançado pelo canal do Youtube da Netflix, que os conflitos humanos serão parte da narrativa, além de muito terror, suspense e ação para os fãs de mortos-vivos.

A série conta com 10 episódios e conta com um grande elenco que inclui Anna Hartmann, Luellem de Castro, Guilherme Weber, Emílio de Mello, Ravel Andrade, João Pedro Zappa, Julia Ianina, Pierri Baitelli, Jesus Luz, Sabrina Sato, Carla Ribas, Gabriel Canela, Natália Rosa, Leandro Daniel, Hanna Romanazzi, Arlinda Di Baio e Wallie Ruy.

Uma produção executiva de Cláudio Torres e Renata Brandão, a série também tem direção de Rodrigo Monte e assina o roteiro com João Costa.

Leia Mais

Últimas

Exposição Castelo Rá-Tim-Bum recebe sua versão online

Exposição relembra programa brasileiro dos anos 90.

Foto:Reprodução/Site da exposição

Seguindo os passos dos estúdios Ghibli, que abriu sua exposição para visitas online por conta da pandemia do coronavírus, a Exposição do Castelo Rá-Tim-Bum decidiu fazer o mesmo e, hoje, é possível visitar e conhecer, pela internet, tudo que essa grandiosa exposição tem a oferecer.

Essa versão online da exposição oferece uma visão em 360º, com áudios originais e toda interação da exposição sem sair de casa. São dez ambientes, onde você pode interagir com os personagens do castelo ou apenas caminhar pelo local relembrando o programa.

Com cerca de 400 mil visitantes, em 2014, só no Museu da Imagem e do Som (MIS), a exposição física que mostra o castelo mais famoso dos programas infantis dos anos 90, se tornou um grande sucesso no Brasil. Lançado também no Rio de Janeiro, onde levou 620 mil pessoas ao Centro Cultural Banco do Brasil, para em 2017 retornar à São Paulo, no Memorial da América Latina, com mais de 800 mil visitantes, batendo seu recorde de público. Além dos grandes centros, a exposição ganhou sua versão em shoppings e seguiu turnê por diversas cidades.

A série Castelo Rá-Tim-Bum foi de grande presença na vida das crianças dos anos 90. Sucesso da TV Cultura, o programa foi produzido e exibido pela emissora entre 1994 e 1997, tendo 90 episódios. Ganhou o prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) em 1994 e ganhou, em 1999, um longa-metragem. Todo visual do cenário teve nuances de inspiração na arquitetura modernista do artista catalão Antoni Gaudí, que foi responsável por projetar a Basílica da Sagrada Família, uma das atrações turísticas de Barcelona.

A exposição online pode ser visitada tanto por computador quanto por celular e você pode visitá-la AQUI.

Leia Mais

Listas

Dia do orgulho nerd | 15 coisas que todo nerd já fez ou precisa fazer algum dia

De esperar ansiosamente pelo lançamento de um filme, HQ ou jogo, até fazer tatuagens em homenagens a personagens preferidos, todo nerd já fez ou deve fazer alguma dessas coisas.

(Foto: Reprodução/ Blog da Intelbras)

Hoje, dia 25 de maio, é comemorado o Dia do Orgulho Nerd/ Dia da Toalha em todo o mundo. Apesar da comemoração dupla, que possui dois significados um pouco distintos, mas que refletem o mesmo sentimento, o importante é que a data é uma homenagem a todos aqueles que um dia foram julgados por passar horas vidrados em um jogo, colecionando cartas, criando teorias, jogando RPG com os amigos, vestindo-se como seus personagens favoritos, entre várias outras coisas.

Mesmo que, atualmente, a definição do que é ser nerd tenha caído no gosto popular, tornando-se um foco em todas as áreas, tanto culturais como econômicas (principalmente), ser nerd é muito mais do que o esteriótipo que veio sendo propagado com os anos. Por isso, hoje trouxemos uma lista do que todo mundo que se identifica como nerd ou apenas está envolto nesse mundo PRECISA fazer e, se já fez alguma delas, PRECISA experimentar as outras!

  1. Esperar as cenas pós-crédito
Algumas cenas pós-crédito dos filmes da Marvel (Foto: Reprodução/ Tropa da Dercy)

Cenas pós-crédito nunca foram tão populares para aqueles que estão grudados nos cinemas quanto na última década. O recurso de dar pistas sobre o próximo filme da franquia ou apenas fazer alguma piadinha final com as cenas após o fim do longa é algo que já havia sido feito há muito tempo, como em Curtindo a Vida Adoidado, em que Ferris Bueller aparece de roupão falando com o público. No entanto, foi com a Marvel Studios que a prática de inserir essas cenas foi retomada com força e caiu no gosto do público. Pode ter certeza: sempre vai haver várias pessoas ao fim dos filmes da Marvel esperando as cenas pós-crédito.

2. Usar a paixão nerd no TCC

Não importa o curso de graduação que você faça, sempre vai ter como encaixar aquela sua paixão da cultura pop no seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Não tem nada melhor do que fazer com que a fase mais difícil de todo universitário se torne algo extremamente prazeroso quando se estuda cientificamente aquilo que se ama.

3. Fazer um DIY com alguma referência à cultura pop

Quando o amor por aquele filme, série, jogo, quadrinho ou livro ultrapassa as barreiras do ficcional, a gente sempre quer ter algo físico para sentir aquela história mais próxima. Uma das alternativas para isso é seguir os DIY (Do It Yourself ou Faça Você Mesmo) que estão espalhados pela internet, que são tutoriais detalhados para confeccionar seja lá o que for de maneira bem simples (às vezes nem tanto). Vale muito a pena!

4. Saber idiomas ficcionais

Idioma fictício utilizado em O Senhor dos Anéis (Foto: Reprodução)

As histórias do mundo nerd, principalmente aquelas ambientadas em mundos fantásticos, geralmente medievais, quase sempre possuem um idioma próprio do povo retratado naquele local. É uma forma incrivelmente elaborada de dar mais vida àquele universo e que gera a curiosidade e admiração dos fãs, que sempre tentam aprender alguma frase naquela língua. A exemplo disso, temos o clássico Klingon, da saga Star Trek; o Dothraki, de Game of Thrones; o Quenya e Sindarin, de Senhor dos Anéis e até o Na’Vi, linguagem utilizada pelos nativos de Pandora, no filme Avatar. O amor é tão grande por esses idiomas que possuem institutos, cursos e até faculdades especializadas em Klingon e Quenya.

5. Colecionar action figures

O que um dia foi considerado brincadeira de criança, hoje movimenta um mercado milionário com a venda de action figures, que são peças minimalistas de personagens da cultura pop em poses e movimentos clássicos. As peças variam muito de preço, chegando a custar milhares de reais! Outro item que também tem relação a colecionáveis do tipo é o Funko, que se tornou uma febre no mundo todo e que possui versões de todos os tipos, desde personagens fictícios até pessoas reais. Não é brinquedo não!

6. Escolher #TeamCapitão ou #TeamStark

(Foto: Reprodução)

Nem a batalha épica travada entre biscoito ou bolacha gerou tantas revoltas e posicionamentos diferentes. O embate entre Capitão América e Homem de Ferro nas HQs e filme de Guerra Civil com certeza é uma das lutas que mais dividiu os fãs da cultura nerd.

7. Fazer cosplay

Outra atividade que vem arrastando uma legião de fãs, mas que ainda tem uma visão um pouco atrasada por algumas pessoas, é o cosplay, que é quando você se fantasia daquele personagem preferido porque o amor é tanto que a vontade de dar vida a ele é maior. A prática é muito comum em eventos de cultura nerd e tem se tornado um grande nicho do mercado.

8. Ir a um evento de cultura pop

Cosplayers que foram atrações do OnPix 2019 (Foto: Reprodução/ OnPix)

As convenções de cultura pop se tornaram outro grande marco no calendário anual de todo nerd. Esse é o momento em que os fãs de todos os tipos, seja dos games, de séries, de livros, de cultura oriental, de filmes e de outras centenas de vertentes da cultura pop se reúnem para celebrar o amor por esse universo tão rico. Aqui em São Luís tivemos o nosso OnPix, que reuniu toda essa galera em um evento super legal no ano passado.

9. Platinar um jogo

Fã que é fã dos games nunca se contenta em apenas passar das fases principais dos jogos e chegar ao fim deles sem ganhar todos os troféus, né? Por isso platinar qualquer game é um desafio muito bom, às vezes eternamente cansativo, para explorar tudo o que aquela história proporciona, além de ter o prazer de ter aquele troféu principal na lista de platinas.

10. Chorar com a morte de um personagem

Quem nunca chorou ou ficou emocionado com a morte daquele personagem em uma história? Seja em um livro, HQ, jogo ou filme, as mortes de personagem queridos sempre são dramáticas e cheias de emoção.

11. Fazer uma tattoo nerd

(Foto: Reprodução)

Quando o amor por uma história é tanto e traz tanto significado para uma pessoa, uma das práticas mais comuns é fazer uma tatuagem em homenagem e gravar na pele toda a emoção que aquele personagem ou frase passam. Existem milhões de possibilidades de tatuagens do mundo nerd, basta escolher aquela com quem mais se identifica. No Brasil há até estúdios e tatuadores especializados nesse tipo de trabalho.

12. Assistir a O Mágico de Oz com a trilha de Pink Floyd

Reza a lenda que, se você colocar o disco Darkside of The Moon, do Pink Floyd, ao mesmo tempo em que inicia o filme O Mágico de Oz, a letra das músicas coincidem com os acontecimentos do filme. E isso é uma teoria já comprovada por muita gente, que testou e deu realmente certo. No Youtube tem várias versões disponíveis.

13. Acompanhar e-Sports

Essa é mais uma demonstração de que o mundo nerd hoje em dia se tornou o foco em muitas áreas. Basta olhar para os e-Sports, ou jogos eletrônicos, que se tornaram investimentos milionários e que até passaram a ser transmitidos por canais de esportes tradicionais. Apesar de ainda haver muito preconceito por não ser considerado um ”esporte de verdade”, é incrível poder acompanhar as competições de jogos que amamos. Por exemplo, temos campeonatos mundias de jogos como League of Legends, Counter Strike e até de jogos mobile, como Free Fire.

14. Gostar de Física mesmo depois da escola

Uma das atividades mais comuns para os fãs da cultura nerd, principalmente para aqueles que amam ficção científica, é estar por dentro de conceitos físicos para entender algumas das histórias preferidas. Por exemplo, que fã dos X-Men nunca quebrou a cabeça tentando entender as questões físicas envolvendo as milhares linhas do tempo das histórias? Ou ficar intrigado com as questões astronômicas envolvendo o filme Interestelar?

15. Ler O Guia do Mochileiro das Galáxias e saber qual a resposta para a Vida, o Universo e Tudo mais

(Foto: Reprodução)

Responsável pela celebração do Dia da Toalha, com certeza O Guida do Mochileiro das Galáxias, do escritor Douglas Adams, é um dos grandes marcos da cultura nerd. A saga, que acompanha o terráqueo Arthur Dent em aventuras espaciais incríveis, excêntricas e engraçadas, deve ser lida por todos aqueles que amam ficção científica. Além disso, em meio a tudo isso nós aprendemos a resposta para a Vida, o Universo e Tudo Mais, conceito apresentado na história e que faz todo sentido… ou não. Ficou curioso? 42.

*Texto feito baseado na edição “100 coisas que todo nerd deve fazer antes de morrer”, de 2017, da revista Mundo Estranho.

Leia Mais