Connect with us

TV

Netflix investe em seis novas produções originais na América Latina

Os novos títulos se juntam a uma lista mais ampla de mais de 70 produções originais.

Foto: Divulgação/Netflix

A Netflix anunciou hoje uma nova leva de produções originais colombianas e reafirmou seu compromisso em seguir produzindo no país. Com o objetivo de ter conteúdo global e diversificado para atender ao gosto de seus membros e se conectar a diferentes públicos ao redor do mundo, a Netflix está expandindo cada vez mais sua produção local, junto aos títulos internacionais e de Hollywood.

Seis títulos originais da Colômbia devem estrear durante este e o próximo ano. Entre eles, está a recém-anunciada segunda parte da antologia policial Historia de un crimen – nesta nova temporada abordando o caso de Luis Andrés Colmenares – além de dois novos especiais de comédia estrelando Liss Pereira e Ricardo Quevedo. Os títulos complementam a lista de conteúdo colombiano prestes a chegar à Netflix, incluindo a já anunciada série dramática de ação Distrito Selvagem com Juan Pablo Raba, a série jovem Sempre Bruxa e a série de suspense policial Frontera Verde, produzida pela Dynamo e por Ciro Guerra.

“A Netflix se sente honrada e orgulhosa por dar voz a criadores e talentos locais, ajudando-os não só a atingir espectadores colombianos, mas a conectar pessoas no mundo inteiro às suas histórias singulares”, disse Reed Hastings, CEO da Netflix. “Ao expandirmos nosso conteúdo em todos os gêneros, estamos diversificando nossa oferta e dando mais escolhas aos nossos membros, por meio de uma plataforma em eterna evolução, que transcende fronteiras. Estamos empolgados em continuar investindo nesse país.”

Desde seu lançamento na Colômbia, em 2011, a Netflix tem trabalhado com criadores locais notáveis – seja por meio de licenciamentos, coproduções ou produções originais – para levar suas histórias a cerca de 130 milhões de membros no mundo todo. Além de servir como plataforma para que astros colombianos possam brilhar, a Netflix também investiu no mercado por meio de produções, tanto locais como internacionais, realizadas por todo o país: de cidades cosmopolitas como Bogotá e cartões postais caribenhos como Cartagena até Letícia, na Amazônia, e as vastas montanhas de La Macarena. Isso inclui a série biográfica Nicky Jam: Vencedor, o mais novo filme de J.C. Chandor, que recebe o título provisório de Triple Frontier, e a segunda temporada da série original mexicana Ingobernable, entre outras. Cerca de 35 mil colombianos foram contratados como integrantes de elenco, equipe e figuração nessas produções locais ao longo dos anos.

Os novos títulos se juntam a uma lista mais ampla de mais de 70* produções originais sendo realizadas em toda a América Latina, entre elas A Casa das Flores, Club de Cuervos, Narcos, Monarca, Puerta 7, Vai Anitta e O Mecanismo. As produções da Netflix quase quintuplicaram desde que começaram a ser realizadas na região em 2015.

Mais detalhes sobre o que a Netflix anunciou hoje:

  • Três novas produções originais da Colômbia vão estrear em 2019:
    • Historia de un crimen: Colmenares – a segunda temporada da série policial inspirada em fatos reais retrata o caso de Luis Andrés Colmenares (a primeira contava a história de Luis Donaldo Colosio, do México). A série tem no elenco Julian Roman, Enrique Carriazo e Fabiana Medina. Camilo Prince é o roteirista-chefe; Andrés Calderón e Arlen Torres, produtores. A direção é de Felipe Cano e Felipe Martinez. A série de oito episódios é produzida pela Dynamo para a Netflix.
    • Especial de comédia de Liss Pereira – nesse novo especial de comédia filmado quando ela estava grávida de sete meses, Pereira lida com as lutas femininas e com o processo que antecede a maternidade.
    • Especial de comédia de Ricardo Quevedo – esse é o segundo especial de comédia de Quevedo com a Netflix, depois de seu bem-sucedido programa de estreia em janeiro de 2018.
  • A Netflix também anunciou:
    • Sempre Bruxa (original colombiana) – primeiro teaser.
    • Frontera Verde (original colombiana) – anunciada anteriormente sem título, a série conduzida pelo aclamado showrunner Ciro Guerra e que apresentou os dois diretores colombianos que trabalham na produção, Laura Mora e Jacques Toulemonde, e o elenco, que tem Juana del Rio, Nelson Camayo, Angela Cano e Miguel Ramos, entre outros.
    • A Casa das Flores (original mexicana) – segunda e terceira temporadas foram confirmadas.
    • Nicky Jam: Vencedor (filmada na Colômbia, no México e em Porto Rico) – data de lançamento Global foi confirmada para 30 de novembro (exceto nos Estados Unidos).
    • A Rainha do Tráfico (co-produção com a Telemundo Global Studios** filmada em 7 países, entre eles a Colombia) – segunda temporada confirmada.

*O número total se refere a projetos atuais e futuros com lançamento marcado para até o fim de 2019, incluindo produções licenciadas e originais.

**Netflix tem os direitos exclusivos globais, exceto nos Estados Unidos e Porto Rico, enquanto a Telemundo detém os direitos exclusivos nos Estados Unidos e Porto Rico.

Séries

His Dark Materials | Divulgado novas imagens da adaptação

O seriado contará com oito episódios e a segunda temporada já foi confirmada.

HBO liberou novas imagens da sua próxima adaptação, His Dark Materials. A série será baseada nos livros de Phillip Pullman, Fronteiras do Universo. A série está sendo produzida em parceria com a BBC.

A trama é situada em um mundo alternativo onde a alma se manifesta como um animal que muda de forma, chamado Daemon. Acompanharemos uma jovem chamada Lyra Belacqua, que será interpretada pela atriz Dafne Keen, que viaja para o Ártico para encontrar seu amigo Roger. Ele e outras crianças foram sequestrados pela Igreja, que está fazendo experimentos com eles enquanto estuda a natureza de uma partícula elementar chamada poeira (Dust).

No elenco teremos grandes nomes como James McAvoy e Lin-Manuel Miranda, também no elenco Tyler Howitt, Ian Peck, Ruta Gedmintas, Ruth Wilson, Anne-Marie Duff, Kate Rutter e Nabil Elouahabi.

Confira as novas imagens:

Continue Reading

Séries

Stranger Things | Liberado novas imagens da 5ª temporada

Stranger Things estreia dia 4 de julho de 2019.

Liberado pela revista Entertainment Weekly novas imagens da quinta temporada de Stranger Things. Podemos ver que o ship favorito da série está mais forte que nunca nessa nova temporada. E o fofo, porém divertido bromance entre Dustin e Steve continua sendo um dos momentos mais esperados da quinta temporada.

Mike e Eleven estão juntinhos na primeira imagem lendo revistinhas na cama. Ao que parece as crianças favoritas da Netflix não são mais tão crianças assim. “Queríamos explorar o tema da mudança, a temporada acontece durante o último verão antes do ensino médio. As crianças estão crescendo, e essa transição vai ser confusa e desajeitada e dolorosa.” Diz Matt Duffer, que criou a série com seu irmão, Ross.

O divertidíssimo bromance de Steve e Dustin também terá bastante tempo de tela. “Você definitivamente vê mais disso”, diz Gaten Matarazzo, ator que interpreta o Dustin. “Isso é o que eu realmente gosto sobre Matt e Ross: Eles sabem o que os fãs gostam e eles rolam com isso.”Afirma Matt Duffer.

No elenco Millie Bobby Brown, Noah Schnapp, Gaten Matarazzo, Caleb McLaughlin, Sadie Sink, Joe Keery, Winona Ryder e David Harbour.

Confira o trailer abaixo:

Continue Reading

Séries

Shakespeare e a História da Inglaterra ajudam a entender o final de Game of Thrones

Um exercício que não seria necessário se a canção tivesse sido bem cantada.

As Crônicas de Gelo e Fogo são (não tão) vagamente inspiradas no conflito civil inglês conhecido como a Guerra das Rosas (Wars of the Roses), como já confirmado por George R.R. Martin, sendo os Stark uma versão dos York e os Lannister uma versão dos Lancaster, e as rosas deram lugar ao Lobo Gigante e ao Leão.

Na vida real, o conflito terminou quando Henry Tudor derrotou Richard III na batalha de Bowsworth e se casou com Elizabeth de York, mas na fantasia Daenerys não se casou com Sansa. É preciso olhar para o final antes do final do conflito entre Yorks e Lancasters para perceber que ele serve sim para encontrar o desfecho do conflito entre Starks e Lannisters. É uma ginástica que estamos dispostos a fazer.

Antes de ser morto pelo pretendente Tudor, Ricardo III foi coroado rei da Inglaterra após a morte de seu irmão Eduardo IV. Esses eram dois dos três ‘filhos de York’, tendo o terceiro, George, Duque de Clarence, sido executado ainda no reinado do irmão mais velho sob acusação de traição.

Transferindo os personagens históricos para As Crônicas e para Game of Thrones, é possível ligar Eduardo IV a Robb, Ricardo a Brann Stak e George a Rickon, três filhos de York para três filhos de Stark.

Ricardo, Eduardo e George de York em The White Queen, do Starz

Assim como Eduardo, Robb se casou por amor com uma mulher que não levava nenhuma vantagem bélica ou econômica para sua casa, causando insultos e tensões no reino. Assim como Robb, Eduardo era conhecido pela ferocidade em batalha e traições vindas de seus aliados imediatos. A ligação entre Rickon e George é bem menor e assim também o é a de Bran com Ricardo. Mas é ai que entra Shakespeare.

“Ricardo III”, uma das peças do Bardo que trata das Guerras das Rosas, imortalizou boa parte do conhecimento geral sobre os dois filhos mais novos de York: George teria sido afogado em um barril de vinho como punição por traição e Ricardo passa a ser o vilão corcunda que ascendeu ao trono após matar seus dois sobrinhos, filhos e herdeiros de Eduardo, na Torre de Londres.

Robb, Bran e Rickon, os três filhos de Stark, com Jon Snow

A morte de Rickon na Batalha dos Bastardos foi tão absurda como a de George na Torre de Londres. Um passou anos sumido para ser morto por não saber correr em zig-zag, e o outro cresceu à sombra dos irmãos e morreu discretamente afogado em vinho.

As ligações com Bran são difíceis de apontar com o material entregue na TV e até agora nos livros. Seria preciso assumir, em parte, que ele foi um vilão que manipulou a todos e os usou como peões em seu jogo para chegar ao poder mundano. Como Corvo de Três Olhos, Bran não é mais apenas um homem, mas vários, incluindo seu antecessor direto Brynden Rivers, e aí as coisas ficam mais próximas de uma suposta vilania e manipulação.

Brynden como Corvo teria manipulado toda a sequência de eventos que levou Bran até ele, e é isso que o Stark fica repetindo “você sempre esteve onde deveria estar”, as pessoas estavam onde o Corvo de Três Olhos sempre quis que elas estivessem. Assim, Jon foi morto e trazido de volta porque o Corvo quis, o que poderia confirmar a teoria de que o Senhor da Luz de Melisandre e a entidade Corvo de Três olhos são o mesmo.

Tomando as primeiras linhas de Shakespeare sobre a coroação de Ricardo é possível ver onde Bran se encaixa: “Now is the winter of our discontent, made glorious by this sun of York”; em português, “Temos agora o inverno do nosso descontentamento transformado em verão glorioso por esse filho de York”. Na versão original é usado “sol de York” como um trocadilho já que o sol é um dos símbolos heráldicos da Casa de York e a pronúncia se parece com “son”, “filho”. O mesmo tipo de trocadilho é apontado por Gilly na série sobre “sea” e “see” e nos livros das Crônicas é repetido sobre filhos.

“Bran” é o primeiro capítulo das Crônicas de Gelo e Fogo e é também o ponto de vista sob o qual vemos o primeiro episódio de Game of Thrones. Ele é chamado de “criança do verão” pela Velha Ama e nome de seu lobo é Summer (Verão). Ele é o herdeiro legítimo de Robb, seu “filho”, assim como Ricardo foi de Eduardo. A história de Bran está intimamente ligada à torre de onde caiu, assim como a de Ricardo à torre de onde ascendeu após a morte de seus sobrinhos.

Ninguém sabe o que realmente aconteceu na Torre de Londres, além das pessoas envolvidas no caso, o mesmo se pode dizer sobre a Primeira Torre de Winterfell de onde Bran caiu, e as duas histórias envolvem crimes entre familiares.

É preciso mais uma ginástica para não colocar Bran como Rei do Norte, Senhor de Winterfell, mas dos Seis Reinos. Mas é preciso lembrar que é esse embaralhamento dos personagens históricos que George R.R. Martin usa em seus livros. Ele pega, por exemplo, pedaços de um mesmo Richard III e coloca em Tyrion, em Eddard e agora sabemos em Bran.

Entendemos que é um exercício enorme a se fazer, e que se tudo tivesse sido bem feito nada disso seria necessário, mas, como Gandalf uma vez disse, “é tudo que podemos com o que nos foi dado” pelos showrunners de Game of Thrones. Mas é essa a história, sempre foi a história da briga entre as casas Stark e Lannister. Sobre a pretensão de um dragão, sobre as vitórias de um bastardo e sobre a ascensão do verão sobre os dias de inverno.

Martin confirmou em seu Not a Blog que o fim de Game of Thrones é “um fim” das Crônicas de Gelo e Fogo, o que significa que no sentido geral os grandes acontecimentos se repetirão nos livros, mas que também não é todo o final, porque nas Crônicas há um enxame de personagens que nem chegaram a aparecer na série.

Para ajudar ainda mais a entender algumas coisas, separamos nossa lista de artigos que falam sobre Historia da Inglaterra e Game of Thrones, além de outras curiosidades importantes sobre o universo de Gelo e Fogo.


Continue Reading