Connect with us

Livros e HQ's

Maiores nomes do transporte alternativo chegam às livrarias

O livro é uma coletânea de 79 críticas hilárias, além de perfis dos quatro motoristas.

Com apenas dois anos de existência, o Choque de cultura é uma fenômeno da internet, com direito a visualizações na casa dos milhões e muitos memes e bordões espalhados pela rede. O formato é simples: uma websérie em que quatro típicos motoristas de van fazem crítica de cinema de um modo bem peculiar. Agora os maiores nomes do transporte alternativo nacional chegam à literatura com 79 filmes para assistir enquanto dirige, nas livrarias em novembro pela Galera.

O livro é uma coletânea de 79 críticas hilárias (seriam 80, mas o Julinho não entregou o texto sobre “Se eu fosse você 2”, explica a apresentação), além de perfis dos quatro motoristas escritos pelos próprios e um glossário de termos cinematográficos explicados por Maurílio. Caíto Mainier, Leandro Ramos, Daniel Furlan e Raul Chequer – intérpretes, respectivamente, de Rogerinho do Ingá, Julinho da Van, Renan e Maurílio dos Anjos – assinam os textos ao lado dos outros quatro integrantes da equipe do Choque: Juliano Enrico, Pedro Leite, David Benincá e Fernando Fraiha.

Os filmes criticados vão de “Edward mãos de tesoura” (“Esse filme já começa errado, porque é um filme de terror para criança, e todo mundo sabe que, pra assustar uma criança, você só precisa se esconder atrás da porta e dar um grito quando ela passar que ela já começa a chorar”, opina Rogerinho) até “Laranja mecânica”, que é “na verdade, tipo uma novelaCarrossel que o SBT convidou o tal do Stanley Kubrick para dirigir”, esclarece Julinho.

A lista tem ainda “Feitiço do tempo” (“É sobre um cara que fica preso no mesmo dia e faz tudo sempre igual, perde sua humanidade e se torna um pálido reflexo do que um dia foi. Resumindo, é tipo um Stories do Instagram”, argumenta Maurílio), e “Ghost: Do outro lado da vida” (Quem, assim como eu, for assistir a esse filme achando que o Patrick Swayze é um androide vindo do futuro para ajudar a Demi Moore a encontrar uns assassinos, vai se surpreender”, avisa Renan).

Além das bem-sucedidas duas temporadas na internet, a trupe do Choque de cultura estreou recentemente na TV aberta. Desde o fim de setembro, eles comentam os filmes da Temperatura Máxima, exibidos no domingo à tarde, na TV Globo.

Advertisement

Geek

Aposentadoria de Alan Moore é oficial

Britânico vai fazer falta em novas publicações, mas seu trabalho é à prova do tempo.

Le enfant terrible e salvador dos super-heróis, o britânico Alan Moore está se aposentando mesmo, após 40 anos de serviços prestados à cultura pop.

Anarquista, Moore é autor de obras essenciais de ficção especulativa que contestam a sociedade ocidental, sua moral e política, como V de Vendeta, Watchmen, From Hell, A Small Killing, A Piada Mortal, para citar os mais famosos.

Dono de um texto singular, será facilmente canonizado no hall dos maiores escritores ingleses modernos. Como apontou o jornalista Sam Thielman, do The Guardian, antes dele e Frank Miller, Dave Sim e dos Irmãos Hernandez, “a ideia de que histórias em quadrinhos fossem fazer frente à literatura série era algo risível, e que adultos pudessem apreciar sem ironia, uma estranheza”.

A aposentadoria de fato chega após o lançamento de seu trabalho mais recente, o sexto e último capítulo de “The League of Extraordinary Gentlemen: The Tempest”, com arte de Kevin O’Neill . Mas suas ideias e suas birras com a DC se renovarão com a chegada da série de TV Watchmen, que se dependesse dele jamais veria a luz do dia, assim como todas as adaptações de seus trabalhos.

Para se ter uma ideia da dimensão da influência do trabalho de Moore, basta lembrar que quando a máscara do cara de barbicha pontuda aparece em algum protesto vamos chamar de V, e não de Guy Fawkes, e lembrar que o governo deveria temer o seu povo, não o contrário.

Alan Moore está enjoado do Batman, e vai fazer falta em novas publicações, mas seu trabalho é à prova do tempo.

Continue Reading

Livros e HQ's

Editora relança saga Wheel of Time com novas capas

Mudança faz parte da nova leva promocional da história que será adaptada pela Amazon

A editora americana Tor Books revelou como serão as novas capas da saga Wheel of Time de Robert Jordan, e finalizada por Brandon Sanderson. A mudança faz parte da nova leva promocional da historia que começou a ser escrita nos anos 1990 e tem interesse renovado com a adaptação em série de tv pela Amazon.

O novo trabalho de arte contém bem menos elementos que as capas anteriores, que vinham com ilustrações de passagens dos livros. Mas apenas seis delas foram reveladas até agora, e estarão disponíveis no mercado internacional à partir de outubro deste ano.

No release, a editora diz que as novas capas estão “sabiamente coincidindo com a adaptação da Amazon”. O lançamento dos dois últimos livros, Memory of Light e a prequel A New Spring, será no verão de 2020; podemos então esperar que a série de tv estreie logo após?

Outro ponto de destaque é a harmonização entre as capas da Tor, a editora americana, e as lançadas pela Orbit, a editoria britânica, em 2014.

No Brasil, a saga recebeu o nome de A Roda do Tempo e é publicada pela editora Intríseca, mas nem todos os volumes estão traduzidos.

Continue Reading

Especiais

Lista de 5 | Obras de Neil Gaiman que – ainda – não foram adaptadas para as telas

Cinco obras para você conhecer Neil Gaiman – e torcer por adaptações

Uma imaginação fascinante, e às vezes assustadora. Essa é a característica marcante do escritor britânico Neil Gaiman. Horror, fantasia e magia são elementos que aparecem constantemente em seus romances, quadrinhos e contos. Ele escreve para crianças e adultos, para livros e televisão e por isso conquistou uma série de fãs ao redor do mundo.

Caso você não conheça o autor, talvez conheça algumas de seus trabalhos: Belas Maldições (Good Omens), Coraline, American Gods, O livro do Cemitério (The graveyard book), Stardust e Sandman. Com exceção de Sandman que ainda está em produção, todas as outras obras citadas já foram adaptadas para a TV e para o cinema. A série Lúcifer, aquela transmitida originalmente pela Fox e posteriormente resgatada pela Netflix, é baseada em um personagem de Sandman. Então, se você não teve a chance de ler esses títulos, ao menos já assistiu uma dessas produções – ou viu alguma imagem que circulou pela internet.

Além dos que foram adaptados, Gaiman possui trabalhos que com certeza merecem sua atenção e valem o seu tempo. São romances/ficções/quadrinhos que carregam a essência excêntrica do escritor. Sem mais delongas, vamos conhecer esses títulos!

1 – O Oceano no fim do Caminho

Um britânico de meia idade retorna a cidade onde viveu na infância para um funeral. Uma sinopse simples, não é? Mas em uma história de Neil Gaiman, nada é simples.
O personagem principal não tem nome, mas, apesar dessa falta de apresentação, acabamos conhecendo sua história, à medida que lembranças dos detalhes de sua infância esquecida vem à tona.
Melancolia. Memória. Magia. Esses são os sentimentos que o livro nos dá, além de momentos de conexão com Lettie, uma divertida menina que acreditava que um pequeno lago na parte de trás de uma casa era o Oceano.

2 – Os Filhos de Anansi

Aqui é possível encontrar um padrão das obras de Neil Gaiman: acontecimentos extraordinários e mirabolantes narrados de forma completamente natural. Na história, Charles – Fat Charlie – Nancy. É filho de um deus que é uma aranha e uma pessoa. Ah, e ele tem um irmão. E outra coisa, Charlie descobre tudo isso durante a viagem para o funeral do pai. Durante o livros, conhecemos mais sobre a vida de pai e filho, em uma narrativa contemporânea e mítica.

3 – Entremundos

Interworlds, no original, é a obra mais ficção-científica do escritor. Isso porque Neil divide a autoria com Michael Reaves, autor americano que já realizou outros trabalhos Sci-Fi durante a carreira. A trilogia Entremundos começa com o estudante Joey Harker ficando perdido, mas tão perdido, que acaba parando em outra dimensão. A missão dele a partir disso é trabalhar em parceria com outras versões de si mesmo para salvar o multiverso.

4 – Fumaça e espelhos

Uma coletânea de 31 textos, entre contos e poemas, escritos aleatoriamente. Em cada um, é possível perceber o lado sombrio do autor, mas com o toque cômico característico dos britânicos. Em um dos contos, acompanhamos o assombro que é o fim do mundo, mas na perspectiva de um lobisomem. Neil Gaiman sabe subverter todas as expectativas, até mesmo na criação de personagens. Referências a H.P. Lovecraft podem ser encontradas nesse livro.

5 – Os livros da Magia

Esse título é uma Graphic Novel e foi lançada durante a a publicação de Sandman. Não que uma coisa tenha a ver com a outra, mas é só uma curiosidade. Acompanhamos o menino Timothy e seu primeiro contato com a magia. Para o garoto, essa foi uma grande descoberta, mas para os praticantes das artes mágicas, sua presença já era conhecida, pois ele estaria predestinado a se tornar o maior mago do mundo. Muitos querem vê-lo alcançar esse destino, enquanto outros escolhem tentar matá-lo. Constantine, Doutor Oculto, Mister Io e Vingador Fantasma formam a Brigada dos Encapotados na história, primeira organização a se aproximar do futuro grande mago.

Neil Gaiman possui diversas outras obras que não foram adaptadas, mas chamamos a atenção para essas, que carregam o estilo peculiar deste sombrio autor. Atualmente, não há previsão de lançamento para novos livros do autor, mas ele está trabalhando em conjunto com a Netflix na adaptação de Sandman.

Continue Reading