Connect with us

TV

Luisa Sonza e Kaysar na Dança dos Famosos 2019; confira a lista completa

Neste domingo (18), o Domingão do Faustão revelou o nome dos participantes da edição de 2019 do Dança dos Famosos. A versão brasileira do programa britânico Strictly Come Dancing existe desde 2005 e a ideia é promover uma disputa de dança entre celebridades.

Em 2017, a vencedora do quadro foi Maria João. Em 2018, Leo Jaime foi o vencedor da disputa. Esse ano, nomes como a cantora Luiza Sonza e o ator Kaysar estão entre os competidores. Veja, abaixo, a lista completa dos famosos dessa edição:

Kaysar Dadour, ex-bbb e ator em “Órfãos da Terra”
Luisa Sonza, cantora
Matheus Abreu, ator e “Malhação: Viva a Diferença”
Júnior Cigano, lutador de MMA
Jonathan Azevedo, cantor e ator em “A Força do Querer”
Bruno Montaleone, ator em “O Tempo não Para”
Luis Lobianco, ator em “Segundo Sol”
Giovanna Lancellotti, atriz em “Segundo Sol”
Regiane Alves, atriz em “O Tempo Não Para”
Fernanda Abreu, cantora 
Dandara Mariana, atriz em “Verão 90”
Luiza Tomé, atriz em “O Sétimo Guardião”

As apresentações ao vivo da Dança dos Famosos 2019 começam já no próximo domingo (25), na Globo.

Filmes

Edital seleciona roteiristas iniciantes para receberem apoio financeiro

Os projetos passarão por formações e rodada de investimentos com produtoras brasileiras.

Por

Foi aberto um edital da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), voltado totalmente para roteiristas estreantes que possuam uma história original e inédita para filmes de longa e curta metragem, assim como séries.

Ao todo, 45 roteiros serão selecionados. Os projetos passarão por formações e rodada de investimentos com produtoras brasileiras. Os roteiristas também receberão treinamentos com os Script Doctors, profissionais que aperfeiçoam roteiros, além de participarem de conferências com grandes roteiristas do país.

Os selecionados pelo edital contarão com ajuda financeira, podendo chegar até R$ 15 mil, dependendo da categoria: longa, curta metragem ou série. O diretor e chefe da representação da OEI no Brasil Raphael Callou afirmou que o objetivo é revelar novos talentos que nunca tiveram a chance de ver seu roteiro produzido e apresentado em festivais, além de fomentar o mercado audiovisual brasileiro.

 A medida visa a motivar os roteiristas a colocar em prática suas habilidades empreendedoras e vislumbrar um primeiro contrato profissional para que as obras sejam produzidas e assistidas por todos”, diz nota da OEI.

Conforme a organização, após a formação, os roteiristas poderão participar também de evento promovido pelo Instituto de Conteúdos Audiovisuais Brasileiros (Icab) com produtoras independentes do país. Outras informações e o edital completo estão disponíveis no site do concurso.

Leia Mais

TV

‘Falcão e o Soldado Invernal’ e ‘Loki’ devem iniciar gravações até agosto

Produção de ‘Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis’ também têm previsão para retornar ainda este ano.

Foto: Divulgação.

As gravações das séries da Marvel Falcão e o Soldado Invernal e Loki têm previsão de serem retomadas até o início de agosto. A informação foi repassada por fontes do estúdio Pinewood e divulgada pela The Hollywood Reporter.

De acordo com as fontes, as séries entram em pré-produção ainda no mês de julho e o início das gravações não podem passar das primeiras semanas de agosto. As duas séries da Marvel Studios precisaram paralisar suas produções em março deste ano devido a pandemia do novo coronavírus. As gravações de Falcão aconteciam em Praga e de Loki em Atlanta.

Ainda de acordo com as fontes, o estúdio está tomando todas as medidas de prevenção a Covid-19, com o estabelecimento de novas condutas e protocolos. Anteriormente, Falcão e o Soldado estava previsto para ser lançado em agosto deste ano na Disney+ e Loki em 2021. As fontes não mencionaram se havia previsão para o fim das gravações no cronograma do estúdio.

Outra produção da Marvel que deve retomar as gravações é o longa Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis. Segundo o Deadline, o estúdio está tentando começar no final de julho, na Austrália. A produção foi interrompida também em março, quando o diretor do filme, Destin Daniel Cretton, decidiu se isolar e realizar o teste da Covid-19 como medida de proteção a seu filho recém-nascido. O diretor testou negativo.

Leia Mais

Tech

Dados apontam mudanças no consumo de vídeos e seus impactos para anunciantes durante a pandemia

Os dados são da pesquisa da empresa Kantar, especialista em medição de audiência televisiva.

Por

Que o coronavírus mudou diversos hábitos no dia a dia da população mundial, já sabendo. A principal mudança, claro, foi no que diz respeito aos hábitos de higiene, que estão agora redobrados como forma de prevenção à contaminação pelo novo vírus.

Contudo, outro hábito que sofreu mudanças, por consequência da pandemia, foi o de consumo de produtos audiovisuais. Além de ter impacto em plataformas que comercializam produtos de vídeo, também impacta em alguns pontos para os anunciantes.

Sobre isso, a Kantar Ibope Midia apontou quais mudanças de curto prazo nos hábitos de mídia e no consumo de vídeo foram essas, que se desencadearam em diversos mercados .

1. Mais pessoas assistindo TV, especialmente durante a semana

“Na Espanha, quando o governo espanhol anunciou um bloqueio nacional no sábado, 14 de março, os telespectadores passaram 100 minutos a mais assistindo TV em comparação com o sábado anterior (326 x 225 min). Temos visto aumentos significativos, em regiões diferentes. Na América Latina (+9% na semana passada) e Filipinas (+ 19%), enquanto na Noruega houve um aumento de 26% na visualização nos dois primeiros dias úteis após o bloqueio nacional”, revela a pesquisa da Kantar.

Para os anunciantes, esse fato representa um grande valor, já que a entrega da publicidade para o público-alvo tem seu custo por mil reduzido, em especial nos horários durante o dia ao longo da semana.

2. Públicos mais jovens impulsionando aumento de audiência

Com escolas e universidades paralisadas, essa faixa etária mais baixa ganhou mais tempo dentro de casa procurando distrações.

“Entre jovens de 15 e 34 anos o aumento foi de 27%. Para os maiores de 65 anos, o aumento foi de 9% – ainda quase duas horas a mais de exibição de TV do que entre os menores de 35 anos. Enquanto isso, na Espanha, os minutos médios vistos na semana passada aumentaram 80% entre o público de 13 e 24 anos em março, em comparação com 23% entre maiores de 65 anos. No Brasil, quando analisamos os dados de 18 de março, o crescimento do público de 12-17 anos na audiência é de 30%, e podemos observar, também, aumentos consistentes em todas as faixas etárias”.

3. Recordes de audiência dos programas jornalísticos

Tratando-se de uma pandemia, há também o público que deseja frequentemente acompanhar os noticiários para saber da evolução do novo coronavírus e, também, ter acesso às recomendações das autoridades.

“Na China, o tempo gasto assistindo aos noticiários mais do que dobrou até agora (18,5 horas por semana em 2020 contra 9 horas no ano passado). Na Espanha vimos um aumento de 3,6x na exibição de notícias na TV no sábado, 14 de março, quando o governo anunciou o bloqueio nacional. Na Dinamarca, 3,3 milhões de pessoas assistiram a discursos do primeiro-ministro e da rainha anunciando o bloqueio nacional – um recorde em 28 anos, com uma audiência de 59,3%”.

A pesquisa acrescenta: “No Brasil, comparando a média de segunda e terça-feira (16 e 17 de março), com a média das outras segundas e terças-feiras do ano, a audiência dos programas jornalísticos cresceu 17%. Na PayTV o crescimento é ainda maior e a audiência dos programas jornalísticos quase dobrou quando comparados com a média destes programas no mês de março”.

4. O crescimento é identificado em plataformas lineares e não lineares, sendo compartilhado

Grande parte do aumento dessa audiência foi canalizada para as plataformas de streaming como Netflx, Amazon Prime Video, Telecine, HBO MAX, etc. “Vimos como a demanda pela Netflix levou a remoção do HD para manter a banda larga europeia, e a Disney fazendo um anúncio semelhante antes do lançamento do Disney + em muitos mercados no final deste mês”, destacaram.

“Nossos dados na Noruega sugerem que o aumento da visualização nas plataformas não aconteceu somente para os serviços de streaming. O aumento do tempo foi compartilhado nos primeiros dias úteis do bloqueio. A visualização linear – que representa cerca de 70% de todas as visualizações – aumentou 22%, em comparação com 29% para a Netflix, 30% para canais sob demanda e 39% para o YouTube”.

5. Setores econômicos que foram mais impactados reduziram publicidade na TV

“Na França, houve uma queda de 10% no número de anunciantes diferentes com atividade publicitária na TV ao longo de março. Automóveis, alimentos e lazer foram os três setores que apresentaram a maior redução. Isso também aconteceu quando observamos o online, com uma queda de 50% na atividade de “paid search” entre o setor de companhias aéreas”, aponta a pesquisa da Kantar.

“Em outras regiões, como nos EUA, vimos que restaurantes fast food e anunciantes de viagens  reduziram em dois dígitos a sua presença na TV. No Vietnã, os gastos do setor de viagens e turismo caíram 50% nas últimas cinco semanas, enquanto na China, nosso parceiro CTR observou reduções na publicidade no setor automotivo e de comércio eletrônico, mas, por outro lado, aumentos nos produtos de limpeza e produtos farmacêuticos. Nesse novo ambiente, com restrições de viagens, não é surpresa que esta categoria esteja reagindo rapidamente e diminuindo sua atividade publicitária. Precisamos, no entanto, observar que a atividade publicitária de outros produtos, como bens não duráveis (FMCG) ainda não apresenta um declínio consistente; de toda forma pode ser um problema anunciar produtos que não estejam mais disponíveis nas lojas (produtos que enfrentam problemas na cadeia de distribuição, por conta de restrições de locomoção)”, finaliza.

Leia Mais