Little Women: A Herança do Feminismo

*EXCLUSIVE* – Emma Watson, Florence Pugh, Saoirse Ronan and Eliza Scanlen are seen filming scenes for “Little Women.” The cast and crew took over the actual town of Harvard, MA with fake snow and built a facade of buildings.Pictured: Emma Watson, Florence Pugh, Saoirse Ronan, Eliza ScanlenBACKGRID USA 5 NOVEMBER 2018BYLINE MUST READ: Patriot Pics / BACKGRIDUSA: +1 310 798 9111 / usasales@backgrid.comUK: +44 208 344 2007 / uksales@backgrid.com*UK Clients – Pictures Containing Children Please Pixelate Face Prior To Publication*

Little Women: A Herança do Feminismo

Esse ano, estamos testemunhando o fim épico de uma era, com a Marvel completando sua Saga do Infinito, estamos vendo Carrie Fisher e Stan Lee fazerem suas últimas aparições em tela e estamos sendo permitidos de voltar a ser criança, com uma nova versão de clássicos, como Rei Leão e Aladdin. O cinema está em seu ápice e tem se tornado um território de grandes produções, com muitos efeitos especias e cenas grandiosas, entretanto, no meio disso, a voz de um pequeno filme de natal vai fazer toda a diferença na sétima arte, trazendo as origens do movimento feminista em uma releitura de um dos clássicos mais aclamados da literatura.

Em Dezembro deste ano, Mulherzinhas (Little Women, no original) vai estrear, a produção é a oitava adaptação da obra literária de Louisa May Alcott, seguindo a história de quatro irmãs em 1860 em uma Massachusetts patriarcal. Greta Gerwig (Lady Bird) é quem vai idealizar essa nova produção, contanto com um elenco de peso, com nomes como Emma Watson (A Bela e a Fera), Saoirse Ronan (Lady Bird), Laura Dern (Big Little Lies), Timotheé Chalamet (Call Me By Your Name) e ninguém menos, que três vezes ganhadora do Oscar, Meryl Streep (Dama de Ferro). O filme explora diversos aspectos sócias, focando especialmente com a emancipação das quatro irmãs March, em um mundo que fazia de tudo para silenciar a voz feminina.

As palavras de Alcott, décadas depois de serem imortalizadas em forma de livro tem um peso e poder extremamente relevante para o contexto sócio-cultural e político moderno, mostrando a relevância para esse filme ser feito. Little Women foca na irmandade da família March, representada por uma casa que é comandada por uma matriarca, Tia March (vivida por Meryl Streep), que após a morte de seu marido, toma tutela de quatro irmãs, as criando com independência e um senso de liberdade, desafiando o patriarcalismo em uma época em que mulheres são vistas somente como donas de casa. O filme irá focar, principalmente, em Jo March (vivida por Saoirse Ronan), uma jovem ambiciosa, que sonha em se tornar a próxima grande escritora, mostrando sua determinação em ter êxito no ramo sem a ajuda de ninguém, além de enfatizar sua vontade em ter condições de cuidar de sua família nas circunstâncias extremas, de um inverno rigoroso e pobreza, que vivem.

Por fim, as declarações de Alcott serão mais uma vez imortalizadas, agora em forma de roteiro. Isso, coloca Little Women como um paradoxo, servindo ao mesmo como uma das maiores inspirações para o movimento feminista em sua contemporaneidade, tendo dado força de maneira longínqua a manifestações como o movimento ”Me Too” e toda uma luta contra o nepotismo e misoginia dentro de Hollywood, mas também como uma obra, que agora, com essa nova repaginação idealizada por mulheres extremamente vocais na luta pela igualdade de gênero, tal qual Greta Gerwig e Emma Watson, vai servir de impacto para uma nova geração de jovens, inspirando as Jo Marchs do mundo a escrever suas próprias historias de superação e liberdade.

Relacionadas