Connect with us

Séries

Game of Thrones | Recap ‘Winterfell’ (S08E01)

Transições quebradas, uma fanfic cafona e tudo nas costas do Sam

Mais de 500 dias, quase dois anos, mas finalmente a tela da HBO chiou e em seguida tocou o tema mais bonito da TV, com direito a nova abertura belíssima, para a conclusão da série mais épica, Game of Thrones.

O prometido final agridoce, inclusive, já começou a ser servido, com cenas curtas, personagens sendo imbecilizados, transições quebradas e uma fanfic romântica cafona com direito a dragões voyeures .

Mas nem tudo foi perdido, mesmo com vários cortes secos e quebras de narrativa, Game of Thrones também serviu um dos melhores momentos drámaticos de Sam desde que ele chegou à Patrulha da Noite e se declarou covarde.

Outra beleza na forma de condução do capítulo, uma das poucas, foi começar e encerrar com uma criança nortenha. O futuro é delas, mas está sendo ceifado pelo Rei da Noite.

Abertura

A nova abertura de Game of Thrones é de marejar os olhos. Em vez de passear por cima de todas as principais casas da série, agora ela se concentra reconstruir o salão e as criptas de Winterfell e a sala do trono na Fortaleza Vermelha.

Não precisava ficar ainda mais bonita, mas ficou!

Além de bela, a nova arte também traz detalhes como tijolinhos azuis simbolizando a progressão dos White Walker e adição de momentos históricos recentes como o Casamento Vermelho e o nascimento dos Dragões.

Winterfell

Com 90% do episódio concentrados na fortaleza dos Stark, o episódio começou como já se esperava, como um espelho do episódio piloto.

Um garotinho nortenho corre para ver a procissão de Imaculados, mas por ser pequeno não consegue ver nada no meio da multidão. Passa por Arya Stark, que sorri, como se lembrando de um tempo em que ela e Bran foram como aquele menino. Ele sobe na árvore à tempo de mostrar ao expectador o antigo Rei do Norte, Jon Snow, com sua nova rainha dragão Daenerys Targaryen.

Falando em dragões, as bestas deram um belo show assustando os já desconfiados habitantes da Vila de Inverno. Só Arya achou bonito. Sansa, como bem apontado durante todo o capítulo ficou impressionada e preocupada.

Como visto nos teasers o encontro da nova rainha com a Senhora de Winterfell não foi nada agradável, e Daeneys não parece fazer questão de entender o que se passa no Norte e ganhar o coração de seus novos súdito. Acostumada à destemperança do fogo ela chega a ameaçar sutilmente seus novos aliados ao declarar, após questionada por Sansa, que “dragões comem o que quiserem”. Sabemos que vidas de camponeses já foram perdidas assim.

Bran segue oscilando entre desconectado com a realidade e exremamente ligado na ameaça do Rei da Noite, cortando a picuinha de Sansa e Dany ainda no pátio.

Sansa parece estar sendo conduzida ao trono ou à pira funerária, não há mais meio termo para ela. Tomando de Tyrion o posto de pessoa mais inteligente na sala, ela reconheceu em um piscar de olhos a mentira de Cersei. Arya chega a dizer para Jon que a irmã é a pessoa mais inteligente que ela conhece e que ele precisa se lembrar de quem é sua família.

Família, aliás, foi o tema que levou à uma das melhores passagens de Sam pela série. Ao saber da boca da própria Daenerys que ela executou sumariamente seu pai e seu irmão, ele usa sua raiva para confrontar Jon justo quando vai lhe dar a notícia que muda toda a vida do bastardo.

“Você sempre foi o rei e abdicou de sua coroa para salvar o povo. Ela (Dany) faria o mesmo?”. É um questionamento válido, assim como foi o de Sansa para o irmão: “você se ajoelhou pelo Norte ou porque a ama?”. Todos queremos saber.

Jon diz para Lyanna Mormont que os títulos não importam, ainda tomado de uma inocência que contrasta com a arrogância da tia/namorada.

A relação amorosa de Jon e Dany, aliás, rendeu um dos momentos mais decepcionantes do episódio. O tão aguardado vôo de dragão de Jon veio não como uma solidificação de sua ancestralidade, mas como uma fanfic cafona.

Jaime Lannister foi o segundo responsável por ‘salvar’ o dia. O regicida chegou à Winterfell e foi recebido por ninguém menos que Bran Stark, a o garoto que ele empurrou da janela há anos.

Menção honrosa aos encontros de Arya com o Hound e com Gendry, para quem pediu que lhe fizesse uma lança especial.

Porto Real

O núcleo Rainha Má pareceu assessório, e isso jamais deveria acontecer, ainda que tenha servido para mostrar como a escalada de loucura de Cersei Lannister está perigosa.

Ao ser avisada por um assustado Qyburn que os “mortos derrubaram a muralha e estão a caminho” ela sorri e diz “ótimo” olhando para a frota de Euron chegando com a Companhia Dourada.

Já na sala do trono com Harry Strickland e Eron Greyjoy ela pergunta pelos elefantes que não chegaram nos navios, recebendo a explicação óbvia de que os tais animais não se dariam bem na viagem marítima.

Cercei não tem como saber como elefantes se comportam no mar, mas depois de ter dado a Euron o que ele queria ela volta a dizer que queria os animais. Não bastasse fogo vivo ela agora está obssecada com elefantes de guerra.

Bronn, que se tornou sobressalente ao ser separado de Tyrion e Jaime , além não poder estar na mesma cena que Cersei. Jeromy Flynn havia avisado que os fãs deixariam de gostar do mercenário carismático e ele estava certo. Sua nova incumbência é matar os meninos Lannister para a Rainha Louca com a besta de Joffrey que Tyrion usou para matar Tywin.

Última Lareira

O que sobrou da Patrulha da Noite encontra um recadinho artístico do Rei da Noite dentro da fortaleza mais ao Norte: Ned Umber morto pregado no centro da espiral de sete pontas característica dos White Walkers.

Vale lembrar que Sansa queria se livrar do garoto na sétima temporada e foi ela quem o mandou de volta à Última Lareira trazer seus soldados para Winterfell.

Séries

FX divulga trailer da nova temporada de ‘Pose”

O FX divulgou nesta tarde o trailer da segunda temporada de “Pose”, de série de Rhyan Murphy. Os novos episódios levarão a história para 1990, quando a House of Evangelista precisa reavaliar sua posição no mundo LGBT após se tornar parte da cultura mainstream.

Pose é estrelada por Evan Peters, Kate Mara, James Van Der Beek e volta no dia 11 de junho.

Continue Reading

Séries

Recap | The Handmaid’s Tale – Watch Out (3×03)

A Resistência ganha novas Marthas

Dos três episódios já liberados da nova temporada de The Handmaid’s Tale, Watch Out, o terceiro, é o mais calmo, mas nem por isso menos importante. A Resistência ganha novas Marthas e Serena umas verdades despejadas na cara.

June mais uma vez explica, em voiceover, como Gilead é baseada em mentiras. Ela observa várias Marthas enforcadas e fala sobre como elas foram mortas sob acusação de heresia, e não de participar da Resistência porque o Estado não reconhece haver um levante secreto.

Na casa, Lawrence está agitado e vingativo com June, Beth e a nova Martha, Sierra. Ninguém sabe que fim levou Cora. Ficamos sabendo o quão alto é Joseph na escala de poder; se alguém precisa falar com ele tem que dirigir até sua casa, porque Comandante Joseph não se digna a sair do conforto do lar para atender às demandas dos colegas.

Fred aparece para a reunião do clube do bolinha e June aproveita pra perguntar a ele como sobreviver a Lawrence. Ela diz ainda que sabe que está viva porque Fred foi misericordioso com ela. Uma bela puxação de saco, Fred só não deu June para ser executada porque iria junto. Ele avisa que Lawrence é um sobrevivente e não gosta de se sentir enfadado de maneira nenhuma. Durante a reunião, Joseph humilha June a colocando como exposição ao servir o vinho pros comandantes e ter de pegar um livro na estante sem poder ler.

Serena está na casa da mãe, dando um tempo de Fred. Descobrimos qual a cor da roupa para as s viúvas em Gilead, preto. A matriarca dos Joy não apenas força Serena a atender à uma reunião de oração com pessoas que não conhece, como conta a essas pessoas todo o drama da filha. Eles a chamam de Serena Joy, um nome que destoa completamente do estado de espírito da dona, nem serena e muito menos alegre.

Enquanto Serena se sente presa e humilhada na casa da mãe, Fred está em um hotel ensaiando com uma prostituta o que dirá para reaver a esposa. Mais tarde ele vai até a praia defronte a casa da sogra enquanto Serena sai do mar.

June tenta “seduzir” Lawrence para se aproximar dele, mas ele recusa e questiona se isso tinha servido com Fred. Na discussão, Lawrence fala que ajudou Emily porque ela era inteligente e o mundo precisaria dela fora, que não faria o mesmo por June porque faltaria na aia o quinhão de cérebro, o mesmo que ele pensa de Fred. O rebate de June vem quando ela lembra que ele, Lawrence, é um medíocre.

O comandante leva a aia até o centro de detenção provisória, onde diz que tem cinco vagas de Marthas abertas e que June deve escolher entre aquelas centenas de mulheres, quais ocuparão os postos. June diz que não vai fazer isso, que é culpa de Gilead e de Joseph elas serem mortas nas Colônias, mas ele responde que ela será a responsável pela morte das cinco que poderia escolher, que isso tudo é apenas uma questão técnica inútil. O pior aqui é que ele está certo.

Antes, a mãe de Serena joga na cara da filha que ela não é mais nada no mundo sem Fred e que sempre foi uma mimada que queria tudo do seu jeito. É culpa da minada Serena Gilead existir, uma pessoa tão obcecada em ter um filho que fez um inferno na terra e condenou milhares.

Nick, agora Comandante Nick, volta na casa de Lawrence pra se despedir de June. Ela está com raiva por ele ter subido de rank no sistema opressor, mas ele lhe diz que vai para o front. Depois de se estranhar eles fazem as pazes no quarto de June que agora tem até chave.

No dia seguinte, Serena vai até June reminescer sobre a bebê Nicole e diz que não é mãe da menina, mas a aia aponta que só uma mãe faria o que ela fez em libertar a filha. June pede que Serena pense em todas as mães que tiveram os filhos arrancados dos braços por culpa de Gilead.  

June entrega os nomes das cinco mulheres a serem salvas como Marthas. Cinco novos reforços para a Resistência, como explica para Beth depois. A aia deixa um aviso em oração para a mãe: as mulheres estão observando e quando os homens de Gilead menos esperarem elas serão seu pior pesadelo. Essa não é a sociedade feminina que a mãe de June queria, mas é o que se pode fazer.

Watch Out teve direção de Amma Asante sobre o roteiro de Yahlin Chang. The Handmaid’s Tale volta na próxima quarta-feira, 12 de junho, com o quarto episódio.

Continue Reading

Séries

Deadly Class é cancelada após a 1ª temporada

Série possui apenas 10 episódios.


Deadly Class, série original Syfy que era produzida pelos irmãos Russo, foi cancelada após a sua primeira temporada. No Brasil série faz parte do catálogo da Globoplay, que havia investido pesado na divulgação da série.

Devido a baixa audiência da série o canal Syfy decidiu cancelar Deadly Class. Mas para a alegria dos fãs, a Universal Content Productions e Sony Television que são as empresas produtoras da série já estão procurando uma novo lar para Deadly Class.

A trama conta a história do cotidiano dos alunos de uma escola de assassinos, a King’s Dominion. As aulas ensinam desde como envenenar uma pessoa a como atacar alguém de surpresa. No elenco temos Lana Condor, Maria Gabriela de Faria, Benedict Wong.

Pelo Instagram, a atriz Maria Gabriela de Faria fez uma publicação agradecendo todo o apoio do público, com ela e com a série, e começou uma companha com a hashtag #savedeadlyclass. Os fãs já se prontificaram e já estão postando para que alguma emissora possa ”adotar” a série.

Continue Reading