Connect with us

Otaku

Filmes do Studio Ghibli estarão disponíveis na Netflix a partir de fevereiro

Os 21 filmes serão distribuídos em três meses diferentes no Brasil.

A Netflix adquiriu os direitos de transmissão mundial de todos os 21 filmes do Studio Ghibli, a partir de 1º de fevereiro, exceto nos Estados Unidos, Canadá e Japão. Nos EUA, eles estarão disponíveis no HBO Max.

My Neighbor Totoro, Princess Mononoke, Spirited Away, Arrietty, Howl’s Moving Castle, Ponyo On The Cliff By The Sea e When Marnie Was There são alguns dos nomes confirmados para distribuição mundial, graças a um acordo com a Wild Bunch International.

Os filmes serão disponibilizados em três meses diferentes e, segundo a Netflix, essa será a primeira vez que o catálogo terá legendas em mais de 28 idiomas, sendo também dublado em mais de 20 idiomas. Veja, abaixo, a lista de filmes e as datas de distribuição:

A partir de 1º de fevereiro, 2020:
– Castle in the Sky (1986)
– My Neighbor Totoro (1988)
– Kiki’s Delivery Service (1989)
– Only Yesterday (1991)
– Porco Rosso (1992)
– Ocean Waves (1993)
– Tales from Earthsea (2006)

A partir de 1º de março, 2020:
– Nausicaä of the Valley of the Wind (1984)
– Princess Mononoke (1997)
– My Neighbors the Yamadas (1999)
– Spirited Away (2001)
– The Cat Returns (2002)
– Arrietty (2010)
– The Tale of The Princess Kaguya (2013)

A partir de 1º de abril, 2020:
– Pom Poko (1994)
– Whisper of the Heart (1995)
– Howl’s Moving Castle (2004)
– Ponyo on the Cliff by the Sea (2008)
– From Up on Poppy Hill (2011)
– The Wind Rises (2013)
– When Marnie Was There (2014)

Artigo Otaku

Artigo Otaku | Webtoon: deixa eu te explicar o que é

Com duas animações adaptadas na Crunchyroll é importante falar sobre esse fenômeno.

A estreia de God of High School nessa semana no serviço de streaming Crunchyroll marca mais um momento do serviço especializado em conteúdo animado oriental e suas produções de animês originais. Tal estreia é mais especial ainda por se tratar da segunda animação baseada em uma webtoon. Ainda na temporada passada tivemos Tower of God, que foi fenômeno de aceitação e mobilizou o fandom diversas vezes nas redes sociais.

Mas se você viu Tower of God e vai começar a ver God of High School e ainda se impressiona com o ar de novidade que essas obras trazem imagino que muito se dá ao fato de você provavelmente não saber do que se trata uma webtoon. Falando bem sério, a verdade é que recentemente uma aura muito boa vem surgindo em torno desse formato de mídia que não é novo e tem certa popularidade entre usuários da internet. Se você não é um desses acostumados não tem problema, pois vamos falar um pouco sobre isso agora!

Web o quê?

Webtoon é um termo popularizado pela internet coreana para se referir a um formato de quadrinhos. Formado pela aglutinação entre “web” e “cartoon”, a palavra surge como uma forma de classificar os quadrinhos coreanos publicados exclusivamente de maneira digital numa clara proposta de diferenciação ao manhwa (termo coreano sinônimo ao “comic/HQ” que ficou conhecido por definir todo quadrinho publicado na Coreia do Sul aqui no Ocidente).

Uma das principais características das webtoon, além do digital, é o seu formato de reprodução/consumo. As páginas dos quadrinhos são estilizadas na vertical proporcionando uma leitura scroll-up/scroll-down no computador ou em dispositivos móveis como smartphones e tablets. Outra característica muito presente são os quadrinhos coloridos e diagramados de maneira que a leitura siga um fluxo contínuo com poucas ocasiões para a construção visual de sarjetas verticais com requadros paralelos (salvo em enquadramento de detalhes) e estilo de leitura que para nós é tido como convencional: da esquerda para a direita.

Em boa parte dos casos as plataformas de webtoons são de acesso gratuito e atualizadas sazonalmente.
Fonte: WEBTOON/Reprodução
Entre as características das webtoons a mais marcante é a leitura scroll-up/scroll-down. Além disso, como comics de qualquer parte do mundo contém obras de diferentes gênero como thriller, romance e fantasia (da esquerda para a direita).
Fonte: WEBTOON/Reprodução.

Obviamente nada disso é uma regra oficializada ou determinante para a classificação do formato midiático e narrativo adotado nas webtoons, que tem como um de seus atrativos a distribuição gratuita em muitos serviços e aplicativos especializados. Entre os mais populares estão o NAVER WEBTOON e LINE WEBTOON (ambos da NAVER Corp.) e DAUM WEBTOON (da kakao Corp., conhecido como um dos mais antigos no segmento). Além desses, outros tantos serviços estão entre os mais conhecidos especializados na publicação das webtoons (principalmente dentro da Coreia do Sul).

A popularização do formato a partir de versão traduzida para o inglês – principalmente com o LINE WEBTOON de 2014 com versões oficiais – fez com que muitos passassem a considerar as webtoon parte da Onda Hallyu junto com o já badalado K-Pop. O certo é que no geral, webtoon é um formato de quadrinho que tem como marca principal a publicação digital em orientação vertical de leitura. De resto é como qualquer outra narrativa que obedeça os padrões imagético-textuais das HQs.

WEBTOON e Crunchyroll

Estamos na segunda metade de um ano difícil por causa da pandemia de Covid-19, além dos muitos outros dilemas que vivemos. Mesmo assim, a indústria de entretenimento segue firme (afinal ela é um dos baluartes para a manutenção da nossa sanidade) e concretizando o anúncio da parceria entre a WEBTOON e a Crunchyroll feitoem 2019 ,o selo Crunchyroll Originals já apresentou a adaotação de Tower of God e agora God of High School.

De forma divertida, animação God of High School celebra a parceria entre Crunchyroll e WEBTOON.
Fonte: God of High School / Reprodução (MAPPA, Crunchyroll/WEBTOON, 2020)

Fora à parte a aparente obsessão por deus nos nomes, elas inicialmente não tem muita coisa em comum. O primeiro se passa num mundo bem diferente da nossa realidade, enquanto o outro tem como plano de fundo a capital Seul. Para além disso, a convergência pode ser percebida também no apelo narrativo a elementos místicos e as cenas de ação.

Tower of God é uma webtoon muito aclamada e com versões traduzidas em diversos idiomas de forma não-oficial. Publicada desde 2010 pelo artista SIU, a obra ganhou adaptação em animê e foi exibida em 13 episódios durante a Temporada de Primavera 2020. Os fãs agora aguardam o anúncio da sequência do animê devido ao sucesso obtido.

God of High School estreou na Temporada de Verão de 2020 com a promessa de apresentar uma compilação de ação e aventura. Essa é a segunda webtoon de Park Yong-Je que a publica desde 2011 no WEBTOON (e desde 2014 em versão traduzida) sendo considerada a primeira publicação da Naver Corp. oficialmente reproduzida em inglês.

A aposta da Crunchyroll para essas narrativas é claramente uma proposta de ampliação de mercado ao mesmo tempo em que também busca dialogar de forma mais próxima ao público de um nicho particular (o dos fãs dos quadrinhos coreanos), além de apresentar aos demais mercados e segmentos culturais onde já atua as possibilidades de produção disponíveis no setor de animação.

Cena que mexeu com o público na reta final de Tower of God durante a Temporada de Primavera 2020.
Fonte: Tower of God / Reprodução (Telecom Animation, Crunchyroll/WEBTOON, 2020)
Começo de apresentações em God of High School antes da porrada rolar.
Fonte: God of High School / Reprodução (MAPPA, Crunchyroll/WEBTOON, 2020)

É óbvio que a aproximação com os quadrinhos coreanos não significa uma falta de confiança na indústria japonesa. Pelo contrário! Essa é uma alternativa para fugir de licenciamentos ou mesmo de flexibilizar a cena. Se tivéssemos mesmo um distanciamento ocorrendo em relação ao Japão, estúdios como Telecom Animation Film (Tower of God) e MAPPA (God of High School) não estariam envolvidos no projeto perdendo espaço para estúdio também coreanos (ou mesmo chineses!) na condução das produções. O discurso aqui é um só: fomentar a própria indústria com novidades.

Não sabemos até quando vai a parceria entre as duas empresas e nem quantos títulos estão envolvidos, o certo é que ao que parece o público gostou muito da fórmula Webtoon + Crunchyoll = Animê de Sucesso. As reações dos espectadores não me deixa mentir.

Concluíndo…

Webtoon é um formato que deve render bastante nos próximos anos. Além dos animês que chegam por aqui, recentemente a NewPOP Editora publicou a versão encadernada de Solo Leveling, outra webtoon que tem boa recepção entre o público ocidental. A editora já havia feito experiência com manhwa tempos atrás e agora investe nesse hibridismo possibilitado pelas versões físicas dos quadrinhos digitais coreanos.

Vale lembrar, no entanto, que Solo Leveling começou como web novel em 2016 e somente em 2018 ganhou sua versão em webtoon. Essa já foi compilada em versão física e conta atualmente com dois volumes. E que venha a era dos “Animes Coreanos da Crunchyroll”

Até a próxima e… Sayonara!

Leia Mais

Otaku

Funimation confirma chegada de seu serviço de streaming ao Brasil e México ainda em 2020

Nesta sexta-feira (3) a Funimation confirmou que seu serviço de streaming chegará ao Brasil e México até o final de 2020. O anúncio foi feito durante a FunimationCon, realizada de forma virtual.

O catálogo da Funimation, tanto no Brasil quanto no México, contará com produções legendadas. Contudo, alguns títulos já possuem dublagens confirmadas para os dois países.

Para o Brasil, títulos como Fire Force e Fuits Basket já serão disponibilizados com o recurso de dublagem, enquanto outros como Attack on Titan, Tokyo Ghoul, My Hero Academia e Steins, por exemplo, estão sendo dublados pelo estúdio DuBrasil.

https://twitter.com/FUNimation/status/1279079734991863808

Com a chegada do serviço de streaming à América Latina, a Funimation passa a concorrer diretamente com o Crunchyroll, que também oferece um catálogo voltado à cultura japonesa.

Para o público que consome mangás e animes, a novidade representa a expansão de possibilidades de acesso aos lançamentos e títulos já consolidados no segmento, com uma plataforma segura e em transmissão simultânea.

Leia Mais

Otaku

One Piece | Live-Action inicia gravações em agosto na África do Sul

As gravações serão supervisionadas por Eiichiro Oda, autor do mangá.

Foto: Reprodução

Para o terror dos otakus, a Netflix já tem data marcada para o início das gravações do live-action da série de mangá e anime One Piece. Segundo a revista Production Weekly, a produção começa no dia 31 de agosto na Cidade do Cabo, África do Sul.

De acordo com site Comicbook, a previsão é para que as filmagens durem seis meses, sendo finalizadas no dia 8 de fevereiro de 2021. As gravações serão supervisionada pelo autor do mangá, Eiichiro Oda; além dos produtores Marty Adelstein, produtor-executivo da série Prison Break; e Becky Clements, que está envolvida no live-action de Cowboy Bebop.

Ainda não há informações sobre o elenco, mas, segundo a Netflix, a adaptação irá seguir a cronologia do anime. Assim, a primeira história a ser adaptada será o arco East Blue, e contará com 10 episódios.

Hollywood e seu péssimo histórico de adaptações

Hollywood é conhecida pelas suas péssimas adaptações para cinema de obras da cultura japonesa. Filmes como DragonBall Evolution e Ghost In The Shell, estrelado por Scarlett Johansson, são alguns exemplos de live-actions que não agradaram. Por isso, o anúncio da produção de um live-action para One Piece deixou os otakus receosos do que pode vir por aí.

Nosso colunista sobre cultura pop japonesa e apresentador do Podcast Otaku, Saylon Sousa, aproveitou o momento para analisar o cenário das live-actions de produções japonesas. Confira o artigo: One Piece e a “nova era” do live-action de animês.

Leia Mais