Connect with us

Na Ilha

Festival das Rendas na Raposa reúne artistas maranhenses em evento gratuito

Evento terá shows de VINAA, Filtro de Barro, Israel Costa, Fluxo Sonar e mais.

Foto: Divulgação.

O mundo das rendeiras e a sua representatividade dentro da cultura maranhense dão o tom do mais novo festival de música, economia criativa, diversidade e afeto realizado no Maranhão: o Festival das Rendas, que ocorre neste sábado (18), na Casa d’Arte – centro de cultura, em Raposa. A entrada é gratuita e aberta a todos os públicos.

O evento surgiu a partir de uma ideia do cantor VINAA em celebrar o seu aniversário (comemora no dia 18 de agosto) em um formato de Festival.

Além do cantor, o festival terá shows de Otília Ribeiro e Márcio Glam, Milla Camões, banda Tribrutus, MC D’ Luka, Filtro de Barro, Israel Costa, Fluxo Sonar, SoulReggae e o show Queer (Butantan+Only Fuego+Enme+Frimes+DJ Alladin).

Além das apresentações musicais, o evento terá brechós, venda de produtos artesanais, exposição e venda de produtos oriundos da comunidade artesã de Raposa (através da Associação das Rendeiras Bilro de Ouro), entre outros destaques.

A programação do Festival das Rendas inicia a partir das 15h. O Casa d’Arte fica localizado na rua do Farol do Araçagi.

Clique aqui e saiba mais sobre o evento.

Na Ilha

Conheça “Querida!”, curta-metragem maranhense premiado em festival paulista

O suspense retrata as mudanças que dois irmãos tiveram ao se deparar com a chegada da avó na casa onde moram.

Por

(Foto: reprodução/Instagram)

Como resultado de uma disciplina do curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) nasceu “Querida!”, um curta-metragem que foi desenvolvido em 2019 e teve direção de Geovane Camargo e roteiro elaborado pelas estudantes de Rádio e TV Bárbara Liz e Lívia Lima.

O suspense retrata as mudanças que Karen e seu irmão tiveram que se deparar com a repentina chegada da avó na casa onde moram. Aborda, ainda, questões relativas à diferença de idade entre a avó e neta, bem como os conflitos de geração e costumes que a primeira tenta impor a Karen.

“Ao escrever o roteiro, busquei inspiração em relatos do cotidiano de muitas pessoas: problemas nas relações familiares por divergências de valores. Muitas vezes, infelizmente, a família pode se tornar um ambiente tóxico. A gente pode ver isso exemplificado na cena em que a avó critica o cabelo da neta ou quando insiste em relembrar tradições religiosas”, conta Bárbara.

Com esta história, a produção audiovisual já acumula diversas seleções em eventos de cinema e a conquista do prêmio de melhor curta-metragem na quarta edição do Festival GuarúFantástico, evento audiovisual da cidade de Guarulhos, em São Paulo, que foca no gênero terror e fantasia.

Premiações

A estudante conta que  o primeiro prêmio que que o curta recebeu foi o do curso de Comunicação Social da UFMA e, depois disso, já foi selecionado em festivais internacionais como o Lift-Off Global Network, do Reino Unido, e Fort Lauderdale International Film Festival, dos Estados Unidos. No âmbito local, “Querida!” foi selecionado no Festival Guarnicê de Cinema deste ano. 

“Ganhamos, recentemente, o prêmio de “Melhor Curta-Metragem” na categoria profissional do Festival Guarufantástico, de São Paulo. Tudo isso nos faz querer crescer mais na área, e eu fico muito orgulhosa por somar com o audiovisual maranhense, ainda mais por se tratar de um projeto independente, vindo da UFMA”, pontua a estudante.

Leia Mais

Lançamentos

Marco Gabriel lança videoclipe de “Chato” resgatando a cultura da periferia

Por

O rapper maranhense Marco Gabriel, lançou na última quinta-feira, 24, o videoclipe de seu mais novo single, “Chato”, trazendo o subúrbio de São Luís como plano de fundo e resgatando uma realidade não mostrada que dá vida à periferia.  

O videoclipe foi gravado nos bairros de Fátima e Bom Milagre. Com referências à filmes do cineasta Spike Lee, obras dos rappers Emicida, Djonga e Don L, em “Chato”, Marco mostra um subúrbio que, muitas vezes, não é visto pela sociedade e que consegue ser bonito e cheio de riquezas culturais, mesmo em meio à pobreza e falta de atenção do estado. 

Com direção e roteiro de Jessica Lauane, que conheceu Marco Gabriel em um curso de atuação para cinema da Escola de Cinema do Maranhão – IEMA. “Chato” é um dos projetos mais pessoais de Jessica e Marco, que são moradores dos bairros de Fátima e Bom Milagre, bairros de muitas manifestações culturais maranhenses, próximo ao centro de São Luís. O videoclipe tem participação especial dos vizinhos e amigos de Marco. Destaque para a poeta Débora Melo que fez uma poesia slam especialmente para o videoclipe. 

Em mais uma produção da ClockWork Filmes, em parceria com o SobreOTatame.com, Akilomba Produções e Bicho D’água Filmes, a direção de produção do videoclipe é assinada por Camila Soares, Paula Beatriz e Walber Sousa, fotografia por Jonas Sakamoto, direção de arte por Camila Soares e Lucas Silva, figurino por Mariana Santos, maquiagem por Paula Ashanti e Rafael Paz e Som Direto por Gabriel Portela. 

Desde 2014 no cenário musical de São Luís, Marco Gabriel colabora e valoriza a cultura do hip-hop, propagando a diversidade do rap nas letras, e cantando a revolução negra. As músicas, todas de composições autorais, falam sobre a identidade da juventude negra, assim como os problemas sociais vivenciados pela periferia atualmente. Em constante evolução, o rapper compõe sempre evoluindo de forma técnica e atual. 

Leia Mais

Lançamentos

Biodz mostra sua mistura de hip hop e reggae no primeiro EP

Desde 2006, Biodz participa do universo musical. Há 4 anos está focado na cultura Hip Hop e Reggae.

Por

Biodz mostra sua mistura de hip hop e reggae no primeiro EP (Foto: Leandro Foto)

O ambiente urbano oferece um emaranhado de sensações contraditórias que evocam o poder e a vontade de transformação em grupos e pessoas. É nisso que acredita Abiodun, mais conhecido como Biodz, que, por meio de sua música, busca trazer à tona a indignação e o fervor que a urbanicidade oferece mesclando com o que é mais característico de suas raízes: a música negra. 

No seu primeiro EP, Dr. Dun at Casaloca, Biodz promove uma nova consciência musical que une a linguagem local e a jamaicana, retratando o cotidiano da margem, os preconceitos e a necessidade de uma nova forma de se relacionar com a natureza. Focando nos ritmos e movimentos que surgem na cidade, principalmente nas periferias. 

Desde 2006, Biodz participa do universo musical, estando há 4 anos focado na cultura Hip Hop e Reggae que têm forte presença em São Luís do Maranhão, conhecida como Jamaica Brasileira. Sua música tem como referências as vertentes urbanas da cultura reggae como ragamuffin, DUB, dancehall e rap. 

Biodz já organizou bancas de rap e participou da Taça das Favelas, abrindo show do Rashid e Dexter. Em 2019, fez participação no show Eletro Acústico Preto Nando no Festival BR 135, além de já ter em seu histórico o palco compartilhado com vários nomes consagrados da música maranhense, como Célia Sampaio, Natália Ferro e Núbia. É também integrante do projeto Criola Beat, que vem ganhando cada vez mais nome e espaço na capital maranhense além de criar um novo gênero. 

Leia Mais