Connect with us

TV

EW divulga lista dos 50 programas de TV mais assistidos na temporada 2017-2018

Lista contempla apenas a audiência norte-americana.

Entertainment Weekly divulgou nesta semana a lista dos 50 programas de televisão mais assistidos nos Estados Unidos na temporada 2017-2018, que se inicia em meados de agosto e tem termino no mês de maio. 

O calculo é feito através da soma do número de pessoas que assistiram cada um dos episódios de toda a temporada do programa. Depois se é feito a divisão com o número de episódios exibidos, resultando, assim, uma média.

Veja, abaixo, a lista completa dos programas mais populares da TV norte-americana:

1 The Big Bang Theory (18.4 million)
2 NBC NFL Sunday Football (18.2 million)
3 Roseanne (17.6 million)
4 This is Us (17.4 million)
5 NCIS (16.7 million)
6 Young Sheldon (16.0 million)
7 The Good Doctor (15.6 million)

8 Bull (14.5 million)
9 CBS Thursday Football (14.2 million)
10 NBC Thursday Football (13.5 million)
11 NBC NFL Sunday (13.2 million)
12 Blue Bloods (12.9 million)
13 NCIS: New Orleans (12.3 million)
14 The Voice (11.7 million)

15 OT- Fox (11.6 million)
16 60 Minutes (11.3 million)
17 The Voice – Tues (11 million)
18 Grey’s Anatomy (10.9 million)
19 Hawaii Five-0 (10.8 million)
20 Mom (10.79 million)
21 9-1-1 (10.74 million)

22 Dancing with the Stars (10.6 million)
23 NCIS: LA (10.5 million)
24 Chicago PD (10.4 million)
25 Chicago Med (10.2 million)
26 Survivor (10.1 million)
27 Seal Team (10 million)
28 Chicago Fire (9.9 million)

29 Criminal Minds (9.58 million)
30 Football Night in America (9.57 million)
31 American Idol – Sun (9.45 million)
32 Instinct (9.44 million)
33 American Idol – Mon (9.3 million)
34 Ellen’s Game of Games (9.1 million)
35 S.W.A.T. (9 million)

36 Madam Secretary (8.9 million)
37 Will & Grace (8.8 million)
38 MacGyver (8.59 million)
39 The Blacklist (8.52 million)
40 Wisdom of the Crowd (8.5 million)
41 The Big Bang Theory rerun (8.488 million)
42 Law & Order: SVU (8.482 million)

43 Scorpion (8.3 million)
44 Designated Survivor (8.1 million)
45 Life in Pieces (8 million)
46 NCIS rerun (7.94 million)
47 The Bachelor (7.92 million)
48 Young Sheldon rerun (7.77 million)
49 The Amazing Race (7.70 million)
50 Kevin Can Wait (7.70 million)

Crítica

Crítica | Em Defesa de Jacob

A minissérie de suspense foge dos padrões que o gênero possui e entrega um enredo surpreendente e cheio de reviravoltas.

Dramas familiares sempre chamam a atenção e cativam o público, principalmente aqueles que envolvem todas as esferas familiares. Entretanto, essas produções podem se tornar bem mais interessantes quando novos elementos são inseridos na narrativa, como por exemplo, um assassinato. É exatamente isso – e um pouco mais – que a minissérie ‘Em Defesa de Jacob’, a nova produção original da Apple TV+ leva ao público.

O thriller de oito episódios é dirigido por Morten Tyldum (O jogo da Imitação), ganhou uma adaptação para TV feita por Mark Bomback (Planeta dos Macacos) baseada no livro de William Landay. O enredo conta a história de Jacob (Jaeden Martell), que tem a vida virada de cabeça para baixo após ser acusado de assassinar seu colega de classe. Ao lado dele, os pais Andy Barber (Chris Evans) e Laurie Barber (Michelle Dockery) vivem dias de aflição e tentam de todas as formas provar a inocência do filho.

A série acrescenta elementos interessantes, como o jeito antissocial de Jacob, as mensagens estranhas postadas por ele em uma rede social e o fato dele ter sofrido bullying por parte do colega que morreu, forçando a teoria de que ele pode estar envolvido com o crime. Além disso, a linha cronológica da história contada em duas versões: um tempo após o desfecho do caso e outra durante a investigação, prende a atenção do público que por várias vezes se pergunta: porque Andy está sendo interrogado? Jacob foi preso? Ele é culpado pelo crime?

Chris Evans vive Andy Barber, Jaeden Martell interpreta Jacob Barber e Michelle Dockery é Laurie Barber

Até o terceiro episódio, o enredo foge um pouco do que a série quer propor ao público – a dúvida se Jacob matou não o colega – e explora o passado um tanto conturbado de Andy e a relação ambígua de Laurie com seu filho. Mas tudo isso é proposital, afinal a partir daí, a série aposta no jogo psicológico, já que a inocência de Jacob é uma dúvida não só para o júri, mas para os pais do adolescente e agora para o público.

As revelações do passado obscuro de Andy com seu pai Billy Barber (J.K Simmons), preso há mais de 20 anos por homicídio, voltam a causar dúvidas e naturalmente, a novidade ajuda a criar uma ligação homicida entre o avô e o neto. Do outro lado, a fragilidade de Laurie em relação a descoberta sobre o passado do marido traz uma mudança no relacionamento dos dois como casal e com o filho, deixando os personagens centrais instáveis. Essa aspecto ajuda reforçar no telespectador a seguinte premissa: ele é culpado pelo crime.

Uma das coisas mais bem arrojadas do roteiro é que com o passar dos episódios, a perspectiva de Andy sobre Jacob vai mudando e isso reflete diretamente na maneira como o público vê o garoto. Lembra do jogo psicológico que falei no início da crítica? Pois então. Com isso, não se torna tão cruel aceitar que os próprios pais do garoto acreditam que ele é o verdadeiro responsável pelo crime.

O mix de sentimentos que ‘Em Defesa de Jacob’ proporciona é surpreendente, assim como o desfecho da série. As reviravoltas em relação ao crime – principalmente no último episódio – a viagem da família para o México e a revelação de novo segredo por Andy fazem você literalmente voltar à estaca zero. O suspense volta à tona e te faz pensar e repensar por várias vezes o que pode estar nas entrelinhas da história e qual é a verdadeira relação de Jacob com o crime.

As atuações acertadas de Evans, Dockery e Martell deram um diferencial acertado na produção. Com interpretações intensas, em alguns pontos bem frias e duvidosas, os personagens ajudaram a criar um clima de incerteza e reflexão, abrindo espaço, talvez, para uma segunda temporada. E com isso, teremos a chance de responder algumas dúvidas que a série deixou no ar, característica digna de uma boa trama de suspense.

Em Defesa de Jacob‘ está disponível na Apple TV+ e a assinatura pode ser feita por usuários no Brasil. Veja o trailer abaixo:

Leia Mais

TV

Kingdom Hearts pode virar série da Disney+

O jogo une personagens conhecidos do mundo Disney com os de Final Fantasy.

Foto: Divulgação

Uma das franquias mais queridas dos fãs de video-games, Kingdom Hearts, pode ganhar uma adaptação em computação gráfica para a Disney+. A adaptação viria em formato de série e, segundo rumores, já possui o episódio piloto gravado.

Embora o site oficial da Disney não tenha confirmado ainda, os rumores cresceram após a publicação do editor-chefe do site The DisInsider, no Twitter, divulgando informações acerca do projeto. Segundo o jornalista, a série está sendo produzida e deve contar com a dublagem original dos personagens no game.

Outro jornalista que também confirmou a novidade foi Emre Kaya do The Cinema Spot. Em seu perfil no Twitter, ele revelou que a série estava sendo criada inteiramente pela Disney, mas a empresa não teve êxito e, por isso, pediram à Square-Enix para criar um piloto com o Unreal Engine.

Infelizmente, os jornalista não divulgaram se há previsão para o lançamento e nem qual história será adaptada. Contudo, essa não é a primeira vez que surgem especulações a respeito de uma possível animação de Kingdom Hearts. Em 2015, sites noticiaram que as companhias estavam planejando uma adaptação para o jogo.

Para quem não sabe, Kingdom Hearts é uma franquia de jogos que teve início no ano 2002. O RPG mistura o universo da Disney com de outra famosa franquia dos games, Final Fantasy. O mais recente jogo lançado da franquia vendeu cerca de 5 milhões de cópias em apenas uma semana e tornou-se o mais vendido do primeiro semestre de 2019.

Confira os tuítes:

“Fui marcado na postagem de Jeremy (que é verdadeira), então aqui está o que sei:
– Kingdom Hearts será uma série do Disney+, não um filme.
– Será animada (Computação Gráfica)
– Dubladores da Disney devem reprisar seus papeis (Jim Cummings, Bill Farmer, Tony Anselmo)”
“Tinha pensado publicar isto como um artigo exclusivo, mas aparentemente há mais outras pessoas a ter conhecimento por isso vou apenas ‘tweetar’ sobre isso”, excreveu Kaya. “Há uma série de ‘Kingdom Hearts’ a ser desenvolvida para o Disney+. Originalmente a Disney tentou fazê-lo mas não resultou, por isso pediram à Square-Enix para criar um piloto com o Unreal Engine. Provavelmente esta série não será em ‘live-action’ mas animada. Estão atualmente a escolher o elenco”

Leia Mais

TV

Globo planeja retomar gravações das novelas a partir de agosto

As gravações tiveram que ser interrompidas por conta da pandemia do novo coronavírus.

A Globo está planejando retomar, a partir de agosto, a gravação das novelas exibidas pela emissora, de acordo com o colunista do UOL, Flávio Ricco. O planejamento da retomada será elaborado pelo departamento de dramaturgia que deve começar a pensar em soluções a partir de julho. As gravações das produções tiveram que ser interrompidas por conta da pandemia do novo coronavírus.

Para a retomada, a emissora vai estabelecer normas para garantir a segurança de atores e funcionários, como o uso de máscaras e roupas especiais que serão usadas pela equipe técnica. Além disso, serão instalados medidores de temperatura na entrada dos Estúdios Globo, conhecidos popularmente como ‘Projac‘.

A primeira novela que deverá a ser gravada é Amor de Mãe, seguida por Salve-se Quem Puder. A emissora também está planejando retomar a partir de julho, de alguns programas de auditório como Caldeirão do Huck e Domingão do Faustão. Inicialmente, eles serão gravados em platéia e aos poucos, retornam com seus formatos originais ao vivo, e com a presença de platéia.

Leia Mais