Connect with us

Últimas

Curso a distância capacita para mercado de jogos eletrônicos

Cursos são oferecidos na modalidade de educação a distância (EAD).

Foto: Reprodução/Internet.

O Ministério da Cultura, a Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames) e o Núcleo de Estudos em Economia Criativa e da Cultura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (NECCULT-UFRGS), lançam, nesta quarta-feira (31), o curso O setor de games no Brasil: panorama, carreiras e oportunidades na modalidade de educação a distância (EAD) – o primeiro de uma série de três cursos em EAD voltados para a capacitação de futuros ou atuais profissionais do mercado de jogos eletrônicos. Os demais cursos – Dicas e desafios para empreendedores e Internacionalização no setor de games – serão lançados em fevereiro.

Gerados a partir do conteúdo dos debates da edição de 2017 do Brazil’s Independent Game Festival (BIG Festival), o maior festival de jogos independentes da América Latina, cada curso tem 30 horas. Eles estarão disponíveis gratuitamente na plataforma de cursos on-line Lúmina, da UFRGS, contarão com material de apoio e, ao final de cada um, os participantes receberão certificado da universidade gaúcha. Durante o BIG Festival 2018, entre os dias 27 e 29 de junho em São Paulo, haverá uma solenidade de entrega de certificado para as dez primeiras pessoas que completarem os três cursos.

O curso introdutório, Setor de games: panoramas, carreiras e oportunidades, pode ser feito tanto por iniciantes quanto por aqueles que já dispõem de informações sobre o mercado de jogos. As inscrições estarão abertas a partir de quarta-feira (31) e podem ser feitas neste link. Com cinco aulas, neste primeiro curso será feita uma análise inicial do setor, sua importância na economia criativa, nas estruturas das desenvolvedoras independentes e na articulação de comunidades que permitam um crescimento conjunto do setor. Foca também nas experiências dos profissionais que construíram uma carreira no setor de jogos no Brasil. A ideia é mostrar quais são as possíveis áreas de atuação dentro do mercado de games, entre as quais estão roteirista, programador e designer, entre outras.

O papel das instituições públicas no fomento do setor e no seu fortalecimento ao longo dos últimos anos também é abordado por este primeiro curso do programa. Os alunos poderão ver as orientações de especialistas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Agência Nacional do Cinema (Ancine) e da Spcine sobre como as pequenas desenvolvedoras de games podem obter sucesso.

O curso 2 – Dicas e desafios para empreendedores – tem três eixos principais. O primeiro trata de financiamento e monetização de games, colocando em perspectiva como arrecadar fundos e, posteriormente, como se tornar financeiramente sustentável. O segundo eixo trata das relações contratuais e com outros atores da indústria (desenvolvedoras, publicadoras) e como criar uma imagem para o estúdio desenvolvedor. O terceiro eixo discute os desafios enfrentados pelos empreendedores do setor e como contorná-los.

O curso 3 – Internacionalização no setor de games – apresenta oportunidades de atuação internacional e a rede de apoio estruturada para ajudar os desenvolvedores nessa nova etapa de negócios. Oferece uma visão geral do processo de internacionalização e mostra como o setor de games pode ser entendido nesse contexto, atentando para o projeto Brazilian Game Developer (BGD) e para as iniciativas da Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimento )(Apex-Brasil) e da Ancine em parceria com a Abragames. Ademais, são discutidas possibilidades de investimento que permitem impulsionar a atuação internacional dos desenvolvedores brasileiros. Também serão apresentadas as características de potenciais mercados para expansão das empresas brasileiras, como a China e a América Latina.

Games no Brasil

O faturamento do setor de games no Brasil em 2017 foi de R$ 1,3 bilhão, segundo pesquisa realizada pelo MinC, BNDES, Abragames e BIG Festival, entre junho e julho do ano passado com 151 empresas independentes de jogos digitais. O faturamento mundial no mesmo ano foi de R$ 116 bilhões. Estima-se que em 2020 este valor chegue a US$ 143,5 bilhões – um crescimento médio de 7,3% ao ano.

A maioria das empresas de games no Brasil estão nas regiões Sudeste e Sul (78%). São Paulo concentra a maior parte dos desenvolvedores de games, seguido do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro. A metade das empresas do setor (50%) já passaram de três anos de funcionamento e mais de 70% têm até cinco colaboradores. Mais da metade tem até três jogos lançados e atua tanto no mercado brasileiro quanto internacional.

Desde 2009, o MinC investe em games por meio de editais: já investiu R$ 20 milhões pela Ancine e R$ 3 milhões pelas secretaria do Audiovisual e de Economia da Cultura.

Com informações da assessoria.
Leia Mais
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas

Pokemon receberá o 23º filme

Longa terá inspiração na lenda de Mogli.

Foto: Reprodução

Pokémon voltará ao mundo das animações tradicionais após um filme todo feito em computação gráfica. O filme Pockt Monsters: Coco foi anunciado e já recebeu um trailer incrível.

O filme terá grandes inspirações na lenda de Mogli, trazendo Ash e seu famoso pokémon Pikachu conhecendo um garoto das selvas chamado Coco. O filme dará destaque a dois pokemon raros. Zarude e Celebi vermelho.

Esse será o terceiro filme de Pokémon em uma linha do tempo paralela, desde Pokémon – O Filme: Eu escolho você! Ambos mostram um reboot de Ash vivendo aventuras, mas com um design mais próximo das temporadas antigas da animação.

O filme tem data de estreia marcada para 25 de dezembro no Japão, mas ainda sem informações sobre o lançamento no ocidente.

Leia Mais

Últimas

Marvel oficializa casamento entre Hulking e Wiccano

HQ traz imagem do casamento dos heróis.

Foto: Divulgação/Marvel Comics

A Marvel Comics apresentou, em sua nova maxissérie, o casamento de Teddy Altman (Wiccano) e Billy Kaplan (Hulking), o casal LGBTQI+ mais famoso da editora.   

O casal iniciou um relacionamento que foi introduzido em Young Avengers #7, HQ lançada em 2005. 

Agora na nova maxissérie, Empyre, foi revelado o casamento na quarta edição do título Jovens Vingadores, que mostra Hulking como líder da aliança entre Krees e Skrulls, segundo o site Legião dos Heróis

A saga mostra o Imperador Hulking – um híbrido entre as raças Kree e Skrull, pois é filho do Capitão Kree Mar-Vell e Anelle, com o objetivo de unir os dois impérios rivais após milênios em guerra, sendo agora uma única e poderosa aliança que se dirige à Terra. 

O casamento mostrado na revista é um flashback numa conversa entre Wiccano com a Capitã Marvel e o Tocha Humana, onde o herói afirma que o marido pode ter sido substituído por um skrull, já que algumas de suas ações se tornaram questionáveis não conduzindo com sua personalidade.  

Enquanto Wiccano conversava com os super-heróis, imagem de uma cerimônia discreta, que oficializou a união entre os personagens, aparece no quadrinho. Na cena, apenas os integrantes dos Jovens Vingadores e os amigos mais próximos de Billy e Teddy assistiam o casório. 

Para lembrar, em 2019, o primeiro beijo entre o casal Hulking e Wiccano causou polêmica na Bienal do Rio de Janeiro, quando o arco “A Cruzada das Crianças” foi acusado de apresentar “conteúdo sexual para menores” pelo prefeito Marcelo Crivella. Na ocasião, Jim Cheug, ilustrador da HQ, repudiou a censura apresentada pelo presidente carioca e disse que o político está “atrasado”. 

Leia Mais

Últimas

Novo single de Marilyn Manson ganha clipe surrealista

Álbum We are Chaos tem data prevista para 11 de setembro.

Foto: Divulgação

O último álbum de estúdio do cantor Marilyn Manson foi em 2017, de nome Heaven Upside Down. E agora, na última semana, o single “We Are Chaos” foi apresentado, mostrando a canção que fará parte de seu novo álbum de estúdio de mesmo nome. 

O novo álbum teve sua data de lançamento definida para o dia 11 de setembro de 2020 e será divulgado por meio da Universal Music. O cantor também revelou um clipe em seu melhor estilo surreal e bizarro para a faixa, produzido junto do diretor e ilustrador Matt Mahurim. 

Com coloboração de Shooter Jennigs, Manson também divulgou, em suas redes, a capa e o tracklist de todo álbum, o 11º de estúdio. A arte foi ilustrada por um autorretrato intitulado ‘Infinite Darkness’, obra do próprio Marilyn Manson. O disco possuirá 10 músicas compostas e gravadas antes da pandemia.  

  1. Red Black and Blue 
  2. We Are Chaos 
  3. Don’t Chase the Dead 
  4. Paint You With My Love 
  5. Half-Way & One Step Forward 
  6. Infinite Darkness 
  7. Perfume 
  8. Keep My Head Together 
  9. Solve Coagula 
  10.  Broken Needle 

Em nota, o cantor declarou que o álbum soa como se “tivesse sido feito ontem”, ainda que tenha sido concluído antes do mês de março.  

“Há um lado A e um lado B no disco, seguindo a lógica tradicional, mas, assim como um LP, é um círculo achatado. Cabe ao ouvinte encaixar a última peça do quebra-cabeça no conjunto das canções”. Afirmou Manson. 

O cantor definiu o trabalho como um “´álbum-conceito” e “um espelho ao qual nem ele, nem Shooter Jennings olharão”.  

“Há muitos quartos, armários, cofres e gavetas, mas na alma ou no seu museu de memórias, os espelhos são sempre os piores. Estilhaços e fragmentos de fantasmas assombraram minhas mãos enquanto eu escrevia a maior parte dessas letras. Durante o processo de criação do álbum, precisei dizer para mim mesmo: ‘controle a sua loucura, costure o seu terno e tente parecer que você não é um animal’, mas eu sabia que a humanidade é a pior de todas. Ter misericórdia é como cometer assassinato. As lágrimas são a maior exportação do corpo humano” Declarou. 

Leia Mais