Connect with us

Na Ilha

Conheça “Tobias Salazar, o detetive baixa-renda”, personagem criado pelo quadrinista maranhense Roni

Mesclando elementos clássicos das histórias noir com aspectos marcantes da cultura maranhense, Tobias Salazar mostra o talento dos artistas do nosso estado.

(Foto: Reprodução/ @tobias_slz)

O Maranhão é uma terra cheia de artistas incríveis e, assim como já mostramos em outra matéria aqui no Volts, nossa terra possui diversos quadrinistas super talentosos de alcance nacional e internacional. A arte das histórias em quadrinhos vem sendo construída no estado há décadas e a cada dia vem se fortalecendo mais. Por isso, trouxemos hoje um novo representante desse cenário, o quadrinista Roni, que recentemente lançou o trabalho “Tobias Salazar, o detetive baixa-renda”.

Sendo sua estreia no cenário dos quadrinhos autorais independentes no Maranhão, Roni resolveu criar o personagem Tobias pela vontade de fazer algo interessante, divertido e que se passasse em São Luís, a capital do estado, um desejo que o acompanhava há anos. Motivado por histórias consagradas de quadrinistas maranhenses, como ”Corpo de Delito”, quadrinho policial de Iramir Araújo e Beto Nicácio, resolveu produzir sua própria história policial, surgindo assim Tobias, mas que se diferenciava um pouco dos personagens clássicos.

(Foto: Reprodução/@tobias_slz)

Diferente dos detetives sérios, centrados, “barra pesada”, Tobias surge como um personagem mais cômico, envolvido em confusões e, como a própria alcunha já diz, de baixa renda, utilizando o que tem para resolver os casos do povão a preços populares. Além disso, o próprio nome do personagem, Tobias Salazar, foi escolhido para fazer um contraste entre o nome sério e pomposo e sua personalidade cômica e desastrada.

Além das referências presentes em trabalhos de outros artistas, Roni também traz como grande referência a própria identidade cultural maranhense, os costumes, o modo de agir e de falar, tudo isso para que o público se identifique com o jeito dos personagens, as personalidades tipicamente maranhenses, o que fica claro logo pelo fato de o próprio Tobias ser um calango/troíra/osga/lagartixa, nomes comuns para se referir a um animal típico da região.

(Foto: Reprodução/@tobias_slz)

A identificação com os locais em que a história é contada também foi uma forma de trazer o reconhecimento por parte do público, visto logo na história de estreia, chamada “Quarentena na Cohab”, que trata de uma investigação em meio à pandemia, trazendo também um lado mais crítico do momento atual em que vivemos.

De acordo com Roni, esse lado mais divertido e com tantas referências do dia a dia, envolvendo uma história em quadrinhos com temática policial, foi criado com o intuito de que as pessoas que não são acostumadas a consumir histórias em quadrinhos possam se identificar com o mundo criado.

Atualmente, as aventuras de Tobias Salazar são publicadas no perfil do Instagram do personagem, de forma periódica e mostrando também parte do processo de criação dos quadrinhos.

Na Ilha

Ouça ‘Enthousiasmos’, álbum de estreia do rapper maranhense Hagaheli

Registro une elementos de diversos gêneros para construir um rap que investe nas melodias.

Hagaheli atua na cena musical desde 2017 como produtor e Dj (Foto: Divulgação/Assessoria).

A cena do hip-hop maranhense é agraciada com mais uma obra. Nessa semana, o rapper Hagaheli lançou seu primeiro álbum de inéditas, intitulado Enthousiasmos. Com sete faixas, o maranhense une elementos do R&B, soul, downtempo e funk para construir um registro marcado por um rap melódico.

O disco é uma homenagem ao pai do cantor, responsável por apresentar a ele os mais variados estilos musicais durante sua infância. Já o título do trabalho é uma palavra grega que significa “inspiração divina”, um momento de exaltação. Sentimentos impressos em cada linha dos versos presentes no álbum e que narram confissões sobre a vida e os amores do artista.

Capa do álbum Hagaheli (Foto: Divulgação/Assessoria)

Além de cantor e rapper, Hagaheli é compositor, produtor musical, dj e idealizador do projeto Nume Records. O maranhense atua no cenário musical desde 2017, momento em que se dedicou a produção musical e ao trabalho de Dj.

Ouça:

Leia Mais

Na Ilha

Enme Paixão e Yhago Sebaz são selecionados para festival internacional

A indicação ao festival é mais uma vitória para os artistas, que vêm conquistando seu espaço no cenário musical regional e nacional.

(Foto: Reprodução/ @clockworkfilmes)

Os artistas maranhenses Enme Paixão e Yhago Sebaz anunciaram hoje (10), em suas redes sociais, que alguns dos seus trabalhos foram indicados para o Festival Internacional “Lift-Of Sessions 2020”, que acontece no Reino Unido.

A drag queen e rapper Enme Paixão participa do festival com os videoclipes de Batidão, lançado em fevereiro deste ano, e Killa, lançado em agosto de 2019, ambos produzidos pela produtora ClockWork Filmes e dirigidos por Jessica Lauane.

O cantor e compositor Yhago Sebaz participa com o videoclipe de Você Bagunçou Comigo, lançado em maio de 2019, também produzido pela ClockWork Filmes e dirigido por Jessica Lauane.

A Rede Global Lift-Off é uma organização que abrange eventos exibidos ao vivo em todo o mundo, além de distribuição, cerimônia de premiação e uma rede de criadores de filmes independentes. Criado como um festival de cinema, o Lift Global Off Network se tornou uma plataforma para artistas emergentes, incluindo conteúdos como longas-metragens, curtas, comerciais, clipes musicais, entre outros.

Confira os clipes indicados dos artistas:

Leia Mais

Na Ilha

The Caldo de Cana lança os singles “Você Me Usou” e “Aliciando”, prévias do disco de estreia

Ambas as faixas já estão disponíveis nas principais plataformas de música digital. Duo foi selecionado no edital do Itaú Cultural em 2020

(Capa do single "Você me usou". Ilustração: Gabriel Hislla)

Com inspiração em sonoridades regionais, a dupla The Caldo de Cana está prestes a lançar o seu primeiro álbum de estúdio. Para dar o gostinho do que está por vir, Benedicto Lima e Felipe Costa Cruz (conhecidos na cena musical maranhense como “Bené” e “Felipe Mestre”) lançam os primeiros singles da carreira: as dançantes “Você Me Usou” e “Aliciando”, disponíveis nas principais plataformas de música digital.

Os primeiros singles do grupo resumem bem a alma do projeto, criando uma energia ímpar para criar uma grande festa. As músicas são composições de Benedicto Lima e Felipe Costa Cruz, que trabalham juntos no duo desde 2017. O estilo musical da dupla foi criado pela própria The Caldo de Cana: o “Afrorróbaioquebeat”, uma mistura que vai do afrobeat ao forró, passando pelo baião e ritmos caribenhos, com espaço ainda para o folk, xaxado, brega, bolero e a techno-embolada.

“O propósito da The Caldo de Cana é justamente esse: de divertir todo mundo. De criar essa vontade de se mexer, abraçar, dançar, suar, beber, beijar, talvez chorar um pouco pra rir bastante logo depois”, pontua o compositor. 

“A The Caldo de Cana foi criada em 2017 e logo no início já tínhamos algumas composições próprias. Queríamos fazer algo apenas autoral, e aí surgiu a ideia de levar em frente a banda, com esse objetivo. Começamos a compor muito, juntando mais composições as que já existiam. Assim nosso repertório foi ganhando corpo. E acabamos selecionando pra dupla as músicas que mais tinham a ver com a sonoridade que queríamos no momento”, afirma Bené.

“Você Me Usou” foi composta em 2016 e carrega, em sua melodia e suas referências, as memórias do município de Alcântara e das lembranças de grandes artistas brasileiros do brega, como Reginaldo Rossi, Altemar Dutra, entre outros.

Já “Aliciando”, feita em 2019, está entre as composições da dupla que foram criadas à distância – ambos trocando tanto letras quanto melodias por WhatsApp. “A princípio, era uma bossa nova e transformamos em brega. […] Bené veio pra São Luís e, em uma semana, terminamos a música. E já pensávamos com um formato brega”, analisa Felipe. A faixa, inclusive, foi premiada na edição 2019 do Festival Nacional de Música de Imperatriz (FMI), como Melhor Música.

“Tanto ‘Você Me Usou’ e ‘Aliciando’ se traduzem em uma simples, mas importante mensagem: ‘Curta esse momento. Aqui, agora. A vida é uma festa’”, comenta Felipe.

As faixas “Você Me Usou” e “Aliciando” antecipam o primeiro disco homônimo da The Caldo de Cana, que foi gravado na CASA LOCA, com produção de Adnon Soares (Casa Loca, Marcos Lamy, Gu7o, RAUCHOA, Bimbo, Soulvenir, Paulão, entre outros). A previsão de lançamento do álbum é para o inicio do segundo semestre de 2020.

Ouça Você me usou:

Ouça “Aliciando:

Itaú Cultural

Em 2020, o duo maranhense The Caldo de Cana esteve entre os 200 trabalhos selecionados no segundo edital da série Arte como respiro: múltiplos editais de emergência, do Itaú Cultural.

O edital, que tem o objetivo de acolher e apoiar os artistas sujeitos a atuar isoladamente e sem remuneração durante o período de recolhimento, selecionou o duo do Maranhão entre mais de 12 mil trabalhos inscritos.

Além da The Caldo de Cana, outros quatro artistas maranhenses foram selecionados. São eles: Banda Cena Roots, Jefferson Carvalho, Boi do Una e Dicy.

Leia Mais