Connect with us

Livros e HQ's

‘His Dark Materials’ ganha relevância com o pecado da Igreja

Saga destoa de seus pares ao confrontar o autoritarismo da Fé

Uma das mais repetidas anedotas da cultura pop é a de que Philip Pullman escreveu sua trilogia de aventura épica His Dark Materials (As Fronteiras do Universo) como uma provocação, ou resposta, às Crônicas de Nárnia, de C. S Lewis.

Pode ter sido, não há como negar que se em uma o poder celeste é a música que dá origem às coisas enquanto crianças lutam bravamente ao lado do Leão de Judá, na outra a Igreja e um anjo buscam controlar o cosmos com mão de ferro suprimindo todo direito de livre pensamento e práticas científicas consideras heréticas.

Mas para além da fé de seu compatriota, Pullman escreveu uma alegoria sobre o poder terrestre da Igreja (seja ela qual for) sobre as pessoas. Como bem aponta Andrew Liptak, do The Verge, As Fronteiras do Universo destoa das sagas mais recentes de histórias para jovens adultos, em se tratando de luta contra o autoritarismo, quando coloca a figura da Igreja, da Fé e, claro, do Deus da tradição judaico-cristã como esse assento de poder a ser derrubado.

Uma adaptação da saga já feita para o cinema deixou de lado apenas isso, o nervo central da trama do britânico, ao distanciar o Magisterium da Autoridade, da Igreja, por uma pressão de comunidades tradicionais cristãs nos Estados Unidos e no Reino Unido. Amargando em crítica e bilheteria, o que seria uma franquia cinematográfica jamais viu a luz do dia novamente.

BBC – Reprodução

Agora a empreitada da BBC e da HBO (que entra como produtora na segunda temporada) trará para a TV a saga de Lyra Belacqua contra o Magisterium, pontualmente em meio à uma litania de escândalos de violência sexual dentro da Igreja Católica e de várias congregações protestantes evangélicas por todo o Ocidente.

Enquanto inocentes sangram nas garras de padres e pastores que nada tem de santos, uma menina de 12 anos corre para impedir que seus amigos tenham a alma separada do corpo em um experimento traumático da Igreja com crianças, pelo menos na TV.

É pesaroso o quão relevante a obra de Philip Pullman se torna com o passar o tempo e com o aumento do escrutínio sobre os pecados em solo sagrado. Não é atoa que sua trilogia figura na lista dos 100 livros mais banidos nos Estados Unidos, segundo a The American Library Association, entre 2000 e 2009, junto com Harry Potter, por exemplo. Se serve de aviso, leia enquanto não é proibido no Brasil.

Tayna Abreu – Site Volts

His Dark Materials, a série de TV, ganhou, aliás, o seu primeiro teaser neste domingo, mostrando Dafne Keen como a protagonista Lyra, James McAvoy como seu tio Lord Asriel, Ruth Wilson como a Senhora Coulter, Lin-Manuel Miranda como o aeronalta Lee Scoresby e Clarke Peters como Dr Carne.

No teaser é possível ver um dos principais artifícios da história, o aletiômetro, enquanto outro igualmente importante ficou estranhamente de fora: não há um dæmon sequer nas imagens, o que só pode significar que os efeitos especiais não ficaram prontos, uma vez que seria impossível Lyra sem o seu Pam ou Coulter sem o macaco dourado.

His Dark Materials estreia ainda este ano, com oito episódios cobrindo o primeiro livro da trilogia, A Bússola de Ouro. Os demais volumes, A Faca Sutil e A Luneta Âmbar servirão para as próximas temporadas, assim como os outros contos do autor no mesmo universo.

Não há, ainda, planos para inserção na adaptação televisiva do material da nova trilogia da mesma saga, The Book of Dust, cujo primeiro volume, La Belle Sauvage, foi publicado em 2018.

Geek

Aposentadoria de Alan Moore é oficial

Britânico vai fazer falta em novas publicações, mas seu trabalho é à prova do tempo.

Le enfant terrible e salvador dos super-heróis, o britânico Alan Moore está se aposentando mesmo, após 40 anos de serviços prestados à cultura pop.

Anarquista, Moore é autor de obras essenciais de ficção especulativa que contestam a sociedade ocidental, sua moral e política, como V de Vendeta, Watchmen, From Hell, A Small Killing, A Piada Mortal, para citar os mais famosos.

Dono de um texto singular, será facilmente canonizado no hall dos maiores escritores ingleses modernos. Como apontou o jornalista Sam Thielman, do The Guardian, antes dele e Frank Miller, Dave Sim e dos Irmãos Hernandez, “a ideia de que histórias em quadrinhos fossem fazer frente à literatura série era algo risível, e que adultos pudessem apreciar sem ironia, uma estranheza”.

A aposentadoria de fato chega após o lançamento de seu trabalho mais recente, o sexto e último capítulo de “The League of Extraordinary Gentlemen: The Tempest”, com arte de Kevin O’Neill . Mas suas ideias e suas birras com a DC se renovarão com a chegada da série de TV Watchmen, que se dependesse dele jamais veria a luz do dia, assim como todas as adaptações de seus trabalhos.

Para se ter uma ideia da dimensão da influência do trabalho de Moore, basta lembrar que quando a máscara do cara de barbicha pontuda aparece em algum protesto vamos chamar de V, e não de Guy Fawkes, e lembrar que o governo deveria temer o seu povo, não o contrário.

Alan Moore está enjoado do Batman, e vai fazer falta em novas publicações, mas seu trabalho é à prova do tempo.

Continue Reading

Livros e HQ's

Editora relança saga Wheel of Time com novas capas

Mudança faz parte da nova leva promocional da história que será adaptada pela Amazon

A editora americana Tor Books revelou como serão as novas capas da saga Wheel of Time de Robert Jordan, e finalizada por Brandon Sanderson. A mudança faz parte da nova leva promocional da historia que começou a ser escrita nos anos 1990 e tem interesse renovado com a adaptação em série de tv pela Amazon.

O novo trabalho de arte contém bem menos elementos que as capas anteriores, que vinham com ilustrações de passagens dos livros. Mas apenas seis delas foram reveladas até agora, e estarão disponíveis no mercado internacional à partir de outubro deste ano.

No release, a editora diz que as novas capas estão “sabiamente coincidindo com a adaptação da Amazon”. O lançamento dos dois últimos livros, Memory of Light e a prequel A New Spring, será no verão de 2020; podemos então esperar que a série de tv estreie logo após?

Outro ponto de destaque é a harmonização entre as capas da Tor, a editora americana, e as lançadas pela Orbit, a editoria britânica, em 2014.

No Brasil, a saga recebeu o nome de A Roda do Tempo e é publicada pela editora Intríseca, mas nem todos os volumes estão traduzidos.

Continue Reading

Especiais

Lista de 5 | Obras de Neil Gaiman que – ainda – não foram adaptadas para as telas

Cinco obras para você conhecer Neil Gaiman – e torcer por adaptações

Uma imaginação fascinante, e às vezes assustadora. Essa é a característica marcante do escritor britânico Neil Gaiman. Horror, fantasia e magia são elementos que aparecem constantemente em seus romances, quadrinhos e contos. Ele escreve para crianças e adultos, para livros e televisão e por isso conquistou uma série de fãs ao redor do mundo.

Caso você não conheça o autor, talvez conheça algumas de seus trabalhos: Belas Maldições (Good Omens), Coraline, American Gods, O livro do Cemitério (The graveyard book), Stardust e Sandman. Com exceção de Sandman que ainda está em produção, todas as outras obras citadas já foram adaptadas para a TV e para o cinema. A série Lúcifer, aquela transmitida originalmente pela Fox e posteriormente resgatada pela Netflix, é baseada em um personagem de Sandman. Então, se você não teve a chance de ler esses títulos, ao menos já assistiu uma dessas produções – ou viu alguma imagem que circulou pela internet.

Além dos que foram adaptados, Gaiman possui trabalhos que com certeza merecem sua atenção e valem o seu tempo. São romances/ficções/quadrinhos que carregam a essência excêntrica do escritor. Sem mais delongas, vamos conhecer esses títulos!

1 – O Oceano no fim do Caminho

Um britânico de meia idade retorna a cidade onde viveu na infância para um funeral. Uma sinopse simples, não é? Mas em uma história de Neil Gaiman, nada é simples.
O personagem principal não tem nome, mas, apesar dessa falta de apresentação, acabamos conhecendo sua história, à medida que lembranças dos detalhes de sua infância esquecida vem à tona.
Melancolia. Memória. Magia. Esses são os sentimentos que o livro nos dá, além de momentos de conexão com Lettie, uma divertida menina que acreditava que um pequeno lago na parte de trás de uma casa era o Oceano.

2 – Os Filhos de Anansi

Aqui é possível encontrar um padrão das obras de Neil Gaiman: acontecimentos extraordinários e mirabolantes narrados de forma completamente natural. Na história, Charles – Fat Charlie – Nancy. É filho de um deus que é uma aranha e uma pessoa. Ah, e ele tem um irmão. E outra coisa, Charlie descobre tudo isso durante a viagem para o funeral do pai. Durante o livros, conhecemos mais sobre a vida de pai e filho, em uma narrativa contemporânea e mítica.

3 – Entremundos

Interworlds, no original, é a obra mais ficção-científica do escritor. Isso porque Neil divide a autoria com Michael Reaves, autor americano que já realizou outros trabalhos Sci-Fi durante a carreira. A trilogia Entremundos começa com o estudante Joey Harker ficando perdido, mas tão perdido, que acaba parando em outra dimensão. A missão dele a partir disso é trabalhar em parceria com outras versões de si mesmo para salvar o multiverso.

4 – Fumaça e espelhos

Uma coletânea de 31 textos, entre contos e poemas, escritos aleatoriamente. Em cada um, é possível perceber o lado sombrio do autor, mas com o toque cômico característico dos britânicos. Em um dos contos, acompanhamos o assombro que é o fim do mundo, mas na perspectiva de um lobisomem. Neil Gaiman sabe subverter todas as expectativas, até mesmo na criação de personagens. Referências a H.P. Lovecraft podem ser encontradas nesse livro.

5 – Os livros da Magia

Esse título é uma Graphic Novel e foi lançada durante a a publicação de Sandman. Não que uma coisa tenha a ver com a outra, mas é só uma curiosidade. Acompanhamos o menino Timothy e seu primeiro contato com a magia. Para o garoto, essa foi uma grande descoberta, mas para os praticantes das artes mágicas, sua presença já era conhecida, pois ele estaria predestinado a se tornar o maior mago do mundo. Muitos querem vê-lo alcançar esse destino, enquanto outros escolhem tentar matá-lo. Constantine, Doutor Oculto, Mister Io e Vingador Fantasma formam a Brigada dos Encapotados na história, primeira organização a se aproximar do futuro grande mago.

Neil Gaiman possui diversas outras obras que não foram adaptadas, mas chamamos a atenção para essas, que carregam o estilo peculiar deste sombrio autor. Atualmente, não há previsão de lançamento para novos livros do autor, mas ele está trabalhando em conjunto com a Netflix na adaptação de Sandman.

Continue Reading