Nossas Redes

Filmes

Cinema e TV suam para driblar pandemia de coronavírus e não prejudicar projetos

Com home office e reuniões por videochamadas, estúdios fazem de tudo para não atrasar roteiros e projetos futuros.

Produções de Os Eternos (Marvel) e Amor de Mãe (Globo) estão se virando como podem (Foto: Fanart/Divulgação/Globo)

Que o vírus covid-19 tem atrapalhado grande parte dos eventos sociais que tendem a aglomerar muitas pessoas no mesmo espaço, como visto AQUI, isso todo mundo já sabe. Alguns trabalho da TV, como exemplo da novela Amor de mãe tiveram suas mudanças para se adequar ao surto de coronavírus, devido a preocupação com toda staff por trás do trabalho. A novela da rede Globo de televisão, teve que ganhar um fim de temporada, sendo substituída pela reprise da novela Fina Estampa. É a primeira vez na história que o Brasil fica sem exibir um capítulo inédito de uma novela das 21hr, o horário nobre.

Mas alguns trabalhos, principalmente na área televisiva e cinematográfica, ainda podem ser feitos de casa, de forma virtual, como exemplo da criação do roteiro, que podem ser passados por e-mails e trabalhados com ajuda de aplicativos de transmissão de videoconferência.

O trabalho continua no Brasil

Ainda sobre a Amor de Mãe, novela de Manuela Dias que não parou completamente seu trabalho. A autora, em entrevista para o site UOL disse: “Acho que a Globo demonstrou responsabilidade, competência e preocupação com o ser humano exemplares nesse momento de pandemia. Nós roteiristas podemos escrever de casa e fazer reuniões virtuais. Assim vamos manter a novela ativa adiantando os roteiros, o que depois favorece a produção.”

Casos semelhantes ocorrem com produções independentes, como exemplo das filmagens da segunda temporada de “Aruanas”, série do Globoplay estrelada por Camila Pitanga, Taís Araújo e Leandra Leal. Embora a Marinha Farinha Filmes, produtora independente por trás de Aruanas tenha parado as gravações da série, ainda tem conseguido trabalhar com outros projetos como é o caso do documentário “Longevidades”.

“Por sorte, havíamos dobrado o nosso núcleo de desenvolvimento nos últimos meses. Roteirista e pesquisadores estão trabalhando de casa, em novas séries, filmes de ficção e documentários. Montadores, produtores, coordenador de pós, financeiro estão trabalhando de casa. Cada departamento está se organizando e se encontrando diariamente online”. Explica Mariana Oliva, CEO da produtora.

O mesmo procedimento está sendo utilizado pela O2 Filmes, de Fernando Meirelles. As filmagens da segunda temporada de “Segunda chamada”, exibida pela Globo, foram paralisadas por conta do surto. “Os roteiristas continuam trabalhando de casa. A pós-produção também permite que sejam feitos vários trabalhos remotos. O que não estamos fazendo é aglomerar pessoas. Pouquíssima gente está indo para a produtora.” Diz a sócia Andrea Barata Ribeiro sobre a pausa das gravações.

Roberto D’Ávila, diretor da Moonshot Pictures, responsável por filmes como “Última parada 174” e programas como “The Taste Brasil”, do GNT, fala sobre grandes projetos que a empresa tem trabalhado de casa:

“Seguimos com trabalhos de desenvolvimento, que envolve pesquisa, concepções, escrita, revisão, aprimoramento de roteiros e desenvolvimento de novas histórias e propriedades intelectuais. Essa frente, aliás, segue com muita força, aproveitando inclusive o momento de reclusão. Seguimos também com alguns processos de pré-produção para um filme e uma série, no limite do possível, mas já avançando bastante com pesquisa, concepção e desenho de arte, estudo de referências de linguagem, pesquisa e desenvolvimento de casting.”

Cada produtora tenta se adequar em meio à crise, criando novas maneiras para lidar com a situação sem precisar parar seus avanços. A Maria Farinha, por exemplo, utiliza a plataforma Videocamp para disponibilizar suas produções. “É uma forma que acreditamos que pode ajudar a fortalecer a nossa saúde mental nesse momento tão difícil para todos”, diz Mariana.

A O2, foca na publicidade, que atende clientes como a marca de beleza Neutrogena, o banco Santander e a operadora de TV por assinatura SKY. “A publicidade está trabalhando em alguns formatos que possam ser feitos à distância. Dá pra fazer pequenas coisas, mas mesmo sendo pequeno, você pode gerar impacto”, conta Andrea.

Enquanto isso, Roberto da Moonshot afirma: “A maior preocupação de fato, como em outros setores, é gerenciar as condições para atravessar esse período. Apoiar os colaboradores para que consigam se sustentar e passar bem por esse problema, ao mesmo tempo que buscamos recursos para sobreviver e sair com plenas condições operacionais.”

O trabalho continua fora do Brasil

Não apenas no nosso país as empresas têm usado a criatividade para continuar os trabalhos na época do coronavírus. Embora grande parte dos filmes tenham suas estreias adiadas, notícias sobre o esperado filme “Eternos” da Marvel, já comentado AQUI no site Volts, e que tem previsão para sair aos cinemas em outubro de 2020, mostra que o filme continua em plena produção.

O longa de Chloé Zhao já finalizou as filmagens principais, e está atualmente na fase de pós-produção. A empresa Scanline VFX, que trabalha nos efeitos especiais do filme, colocou todos seus funcionários em trabalho home office durante a pandemia.

São 650 colaboradores na Scanline, que trabalham em sete escritórios ao redor do mundo e que agora trabalharão de casa. A empresa tem sedes em Los Angeles (EUA), Vancouver e Montreal (Canadá), Londres (Reino Unido), Munique e Stuttgart (Alemanha) e Seoul (Coreia do Sul). “Isso nos dá independência das restrições dos governos locais, e permite que todos trabalhem em segurança”. Afirmam.

Em comunicado, a Scanline afirma que os projetos que estavam em desenvolvimento continuarão em progresso, porém a empresa está aberta a novas comissões. “Se você precisa de colaboradores confiáveis neste momento, não hesite em falar conosco”, escreveram.

Além dos efeitos especiais de “Os Eternos”, a empresa tem trabalhado ainda com possíveis refilmagens, edição e mixagem de som, além da montagem de todo filme em si. O longa, que tem data prevista para estreia no dia 29 de outubro no Brasil, continua com a data sem mudanças.

Em contra parte, dois filmes de super heróis foram adiados esse ano, sendo Viúva-Negra, da Marvel, que chegaria no final de abril e ainda não tem uma nova data e Mulher-maravilha 1984, da DC, que teve sua estreia transferida para agosto.