Connect with us
Image Map

Teatro

Chico, Eu e Buarque se apresenta nesse final de semana em São Luís

Maior espetáculo de dança do Maranhão se apresenta no Teatro Arthur Azevedo sábado e domingo.

Published

on

A poesia de Chico Buarque e a dança dos bailarinos do Núcleo Arte Educação (NAE/Teatro Arthur Azevedo). Essa é a fórmula do espetáculo “Chico, Eu e Buarque”, sucesso de público e de crítica, que retorna ao palco do Teatro Arthur Azevedo nos dias 1 e 2 de dezembro.

Após duas temporadas com lotação máxima no Teatro Arthur Azevedo, o espetáculo abriu o Festival Internacional de Dança de Fortaleza – FENDAFOR, em junho deste ano. Dançou também, no aniversário do Teatro Municipal Severino Cabral de Campina Grande – PB, nesta última quinta passada. O Espetáculo ainda tem dentro de sua Tournée Nacional compromisso com o Festival Internacional Janeiro de Grandes Espetáculos em Recife – PE dia 19 de Janeiro, dia 14 de abril fará a abertura Oficial do Festival Internacional da Bahia – VIVA DANÇA, em abril ainda passará por Brasília e em Junho fará Rio/São Paulo.

A cada apresentação o elenco demonstra um amadurecimento na fluidez de movimentos, o que já se tornou marca registrada do grupo coreografado pelo paulista Anderson Couto. A participação na XII Semana Maranhense de Dança, em outubro, coroou espetáculo que pretende levar ao público partilhas sensíveis entre a música, a dança e o cotidiano.

Este final de semana, para quem ainda não viu, tem mais essa oportunidade antes do retorno a tournée nacional e para quem viu e deseja ver novamente, haverá duas apresentações, dia 1º (sábado), a apresentação ocorre às 21h e no dia 2 (domingo) às 19h. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Arthur Azevedo. Valores: Plateia e Frisa: R$ 50,00 Camarote: R$ 40,00 Balcão: R$ 30,00 Galeria: R$ 20,00 “Chico, Eu e Buarque” foi desenvolvido a partir da obra poética do compositor brasileiro Chico Buarque de Hollanda, idealizado pelo diretor do Teatro Arthur Azevedo, Celso Brandão, em homenagem aos 200 anos da casa que é berço do grupo NAE, formado por jovens bailarinos da turma de aperfeiçoamento em dança. Além de constituir um elo da obra do artista com o nosso Estado, o espetáculo se mostra indispensável à formação sensível dos bailarinos intérpretes.

Chico, Eu e Buarque é sem dúvida um grande espetáculo do Maranhão. Aja vista os convites que temos recebido para dançar em diversas cidades brasileiras, nos mais variados eventos de dança. Fazer sucesso com nosso trabalho e ainda com uma obra genuinamente maranhense, com elenco 100% da nossa terra é duplamente gratificante, quem assiste sempre sai do Teatro melhor do que chegou, é realmente uma obra de uma sensibilidade absurda, dirigido e coreografado de forma magistral pelo paulista Anderson Couto, ressalta o diretor do Teatro Arthur Azevedo, Celso Brandão.

O dinamismo entre o lado político, a trajetória poética também com influências da cultura popular do artista se associam à composição coreográfica de múltiplas camadas e significados, onde foram incitadas a dança visceral de cada intérprete para destacar a condição atemporal da obra de Chico Buarque.

Dividido em três atos, o espetáculo perpassa pela década de 60, período em que a conjuntura política motivou os jogos semânticos de Chico, explícitos em canções como “Construção”, “Cálice” e “Geni e o Zé Pelim”.

No segundo ato, os bailarinos envolvem-se num enredo que faz menção as relações humanas e à alteridade, com “Samba e Amor” e “João e Maria”, vinculando os intérpretes uns aos outros. O espetáculo finda mesclando clássicos do cantor com a cultura popular maranhense. Neste último ato, o diretor, Anderson Couto, e os intérpretes contam com o auxílio das bailarinas Lucena Marques e Elisete Campos para trazer traços do Bumba meu Boi, Tambor de Crioula e Tambor de Mina.

Na Ilha

Musical “João do Vale: O Gênio Improvável” encerra programação do GEMA

A montagem retorna ao palco do Teatro Arthur Azevedo para quatro apresentações nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro.

Published

on

Após o grande sucesso da última temporada, o musical João do Vale, O Gênio Improvável encerra a programação do GEMA – Grandes Espetáculos do Maranhão. Serão quatro apresentações nos dias 21 de fevereiro, às 21h; no dia 23 de fevereiro, às 18h e às 21h; e no dia 24 de fevereiro, às 19h. As apresentações marcam a preparação para a turnê nacional prevista para iniciar ainda neste semestre.

O músico e compositor maranhense João do Vale é a inspiração do espetáculo produzido e idealizado pelo diretor do Teatro Arthur Azevedo, Celso Brandão. “Quando assumi a direção da casa em 2016, me deparei com o enorme privilégio de estar aqui nas vésperas dos seus 200 anos. E eu pensei que precisaria fazer algo que marcasse esse bicentenário. A fascinação por João do Vale sempre foi muito presente na minha vida e na minha carreira. Ele é uma figura excepcional, que representou o Maranhão Brasil afora e precisava de uma homenagem como essa que veio a casar com os 200 anos da maior casa de espetáculos do nosso Estado”, conta.

Desde 2017, o musical já percorreu diversas cidades do interior do Estado com a turnê “De Teresina a São Luís”. São Luís, Caxias, Codó, Coroatá, Pedreiras e também a capital do Piauí, Teresina, estiveram no roteiro do espetáculo, que lotou praças e espaços públicos por onde passou.

“Ficamos maravilhados com as pessoas expressando seu encanto por prestigiar o musical. Muita gente comentou que precisava de mais espetáculos como esse. Teve um rapaz que fez questão de dizer que precisava disso no dia a dia. Isso faz uma diferença enorme na vida da gente, levar para o maior número de pessoas possível uma produção 100% maranhense, com elenco 100% maranhense, fortalecendo a nossa arte e levando uma superestrutura para ocupar espaços públicos do nosso estado”, ressalta Celso.

“João do Vale, O Gênio Improvável” retrata a trajetória de João do Vale, um homem simples, natural da cidade de Pedreiras, no interior do Maranhão, que ainda na adolescência abandonou a sua terra para viver o sonho de ser compositor. Suas canções ganharam destaque nas ondas do rádio nas décadas de 60 e 70, na voz de grandes interpretes da música brasileira como Nara Leão, Zé Kéti, Chico Buarque e muitos outros.

Sobre o festival

O GEMA trouxe para o palco do Teatro Arthur Azevedo grandes produções maranhenses. A comédia “O Auto da Compadecida” teve duas sessões lotadas nos dias 2 e 3 de fevereiro. No dia 10, foi a vez do espetáculo “O Miolo da Estória”, que emocionou a todos com a dramática história do operário João Miolo. “Chico, Eu e Buarque” mostrou porque é considerado o melhor espetáculo de dança do nosso Estado sendo sucesso com uma única apresentação no dia 15, seguida de “Pai e Filho, nos dias 16 e 17, que encantou o público e foi sucesso de crítica.

Os ingressos para assistir ao musical João do Vale no GEMA estão sendo vendidos nos pontos da Bilheteria Digital (Rio Poty Hotel, Shopping da Ilha e Rio Anil Shopping), na bilheteria do Teatro Arthur Azevedo (aberta de terça a domingo, das 14h às 18h30) ou pelo site (bilheteriadigital.com). Os valores são: plateia e frisa R$ 50,00, camarote R$ 40,00, balcão R$ 30,00 e galeria R$ 20,00. Para mais informações ligue: (98) 99167-2696 ou acesse o site (cultura.ma.gov.br/taa) e as redes sociais do Teatro Arthur Azevedo

Continue Reading

Teatro

Espetáculo inspirado em High School Musical Brasil estreia no Arthur Azevedo

Essa é a primeira adaptação da franquia americana para os palcos brasileiros.

Published

on

Trazendo a leveza das tramas juvenis, o espetáculo musical High School Musical Brasil estreia nesta quinta-feira (7), às 20h, no Teatro Arthur Azevedo. Com trinta atores maranhenses, o espetáculo vem à público após sete meses de produção, assinada pela Oficina de Interpretação SLZ e Troupe Parabolandos, de Suzano (SP). O pioneirismo marca esta produção, que é a primeira adaptação da franquia americana High School Musical para os palcos brasileiros. 

Com 11 músicas e diálogos com muitas doses de humor, High School Musical Brasil foi bem recebido em sua pré-estreia em Suzano (SP), realizada na primeira semana de janeiro. “O público foi caloroso à comédia, música e energia do espetáculo”, comenta Leda Lima, produtora executiva do espetáculo.

Os fãs da trama podem se preparar para cantar durante a apresentação, que traz músicas dos três filmes da série, como “Mantenha o Status” (adaptação de Stick to the Status Quo), “Se liga no jogo” (adaptação de Get’cha head in the game) e “Humuhumunukunukuapua’a”. A maior parte das músicas ganhou versão em português para o espetáculo, mas algumas serão cantadas sua língua original, como “What I’ve been looking for” e “Right here, right now”.  O elenco, que é formado por atores de 10 a 29 anos, canta e dança no palco as canções coreografadas com elementos circenses.

Sobre a trama

Original do canal Disney Channel, a série de filmes dirigida por Kenny Ortega lançada em 2006 conquistou fãs em todo o mundo. Os filmes que marcaram gerações trazem a história dos jovens da East High School, uma escola comum na pequena cidade americana de Albuquerque. O prodígio do basquete, Troy Bolton, e a garota gênio Gabriela Montez provocam uma revolução na escola ao quebrarem as expectativas de todos e entrarem no musical escolar. “Essa história é especial por falar de pessoas que vão atrás de seus sonhos e mostra a força que uma equipe tem quando trabalha junto. Essa história liberta os jovens e adolescentes de padrões impostos. Fala sobre ser você mesmo”, diz Carol Marcondes, da Troupe Parabolandos, diretora do espetáculo.

Na adaptação brasileira, os jovens são interpretados por Andressa Victória (14) como Gabriela, Pedro Danilo (16) como Troy Bolton, Ana Clara D’eça (15) como Sharpay Evans e Rodrigo Santos (15) como Ryan Evans. 

Quem reforça o time são a preparadora de elenco Tatá Pacheco, o iluminador Otávio Rodrigues, o preparador acrobático Daniel Max, a OutroPlaneta Produções, co-produção local, e Mariá Vieena, que assina a cenografia junto de Leda Lima.  

Continue Reading

Teatro

Segundo fim de semana do GEMA terá apresentação de O Miolo da Estória

Espetáculos do GEMA ocorrem durante todo mês de fevereiro, no TAA.

Published

on

A Santa Ignorância Cia de Artes apresenta o espetáculo O Miolo da Estória no dia 10 de fevereiro, às 19h. A apresentação fará parte do segundo final de semana do Grandes Espetáculos do Maranhão (GEMA), evento realizado pelo Governo do Maranhão e Secretaria de Estado da Cultura e Turismo por meio do Teatro Arthur Azevedo.

A obra de ficção baseada na leitura, observação e no depoimento de brincantes de Bumba Meu Boi, conta a história de João Miolo, um operário da construção civil que sustenta o desejo de ser cantador de boi. Quando descobre não ser aceito para integrar os vocais do grupo onde brinca, o operário enfrentará um conflito entre a própria fé e suas relações sociais.

Lançado em 2010, em São Luís, a montagem acumula premiações em diversos festivais, entre eles o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz, e Prêmio Sated-MA, em 2011, nas categorias melhor espetáculo e melhor ator.

Com turnê marcada para diversas capitais da Região Norte, o espetáculo também já se apresentou em Piracicaba (SP), Teresina (PI) e Macapá (AP). Em 2013, circulou o país através do projeto Sesc Palco Giratório, num total de 20 capitais e 17 cidades do interior. Em 2019, a estória será transformada em longa-metragem de ficção através de financiamento da agência nacional de cinema ANCINE-BRDE.

Sobre o GEMA

O GEMA ocorrerá durante todo o mês de fevereiro, sempre aos finais de semana. Após o sucesso da abertura, com o espetáculo O Auto da Compadecida, o evento continua com o Miolo do Estória; na sequência é vez do espetáculo de dança Chico, Eu & Buarque, do Núcleo de Arte e Educação (NAE) do Teatro Arthur Azevedo; Pai e Filho, da Pequena Companhia de Teatro; e o fechando a primeira edição do evento, sobe ao palco o musical João do Vale: o Gênio Improvável.

Os ingressos para o GEMA estão sendo vendidos nos pontos da Bilheteria Digital (Rio Poty Hotel, Shopping da Ilha e Rio Anil Shopping), na bilheteria do Teatro Arthur Azevedo (aberta de terça a domingo, das 14h às 18h30) ou pelo site (bilheteriadigital.com). Os valores são: plateia e frisa R$ 50,00, camarote R$ 40,00, balcão R$ 30,00 e galeria R$ 20,00.

*Com informações da assessoria.

Continue Reading

Em alta agora