Connect with us

Séries

Black Mirror faz uma brincadeira com a nova tecnologia do iPhone X

Famosa série da Netflix faz uma pequena brincadeira com a novidade da Apple.

Na última terça-feira (12), a Apple mostrou ao mundo os novos iPhones diretamente do mais novo teatro da empresa, o Steve Jobs Theater, no Apple Park. A novidade mais interessante saiu justamente da edição dos 10 anos do iPhone, o iPhone X: os animoji.

Os animojis são emojis animados que reconhecem a face do usuário por vários sensores instalados na frontal do aparelho. Aproveitando a novidade, o perfil oficial da série Black Mirror fez uma pequena brincadeirinha no Twitter para lembrar um famoso episódio da segunda temporada da série. Trata-se do Waldo, um boneco totalmente feito com animações 3D que era atração de uma televisão que se torna candidato político.

Será que a realidade do episódio chegou aos dias atuais? Brincadeiras a parte, a série da Netflix já tem uma quarta temporada prevista, porém, ainda sem data para estreia.

Leia Mais
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Séries

Lea Michele é novamente acusada por mau comportamento e perde contrato de publicidade

Em nota, a empresa anunciou o rompimento do contrato com Michele e afirmou não aceitar seu nome envolvido em polêmicas do gênero.

Reprodução / The Independent

Parece que as acusações sobre o comportamento da atriz e cantora Lea Michele nos bastidores da série Glee não param. Dessa vez, a atriz Heather Morris, que interpretou a personagem Britanny na série, veio ontem (3) à público, por meio de seu Twitter, declarar que trabalhar com Lea na série foi bastante desagradável.  

“Deixe-me ser bem clara, Ódio é uma doença nos Estados Unidos que nós estamos tentando curar, então eu nunca desejaria que o ódio fosse espalhado para mais ninguém. Tendo dito isso, ela [Lea Michele] foi desagradável de se trabalhar? Bastante; para Lea tratar os outros com o desrespeito que ela tratou pelo tempo que ela fez, eu acredito que ela deva sim ser exposta”, afirmou atriz em seu tuíte. 

Mas ela não se eximiu da responsabilidade pelo mau comportamento da colega. Ainda no tuíte publicado, Morris assume que também possui culpa por permitir que tudo isso tenha acontecido sem falar nada e completou que isso é algo que está aprendendo graças aos protestos do movimento Black Lives Matter nos EUA. 


Pedido de desculpas

Após as acusações feitas pela atriz Samantha Marie Ware, revelando que Lea Michele  transformou a experiência dela na TV um “inferno”, a intérprete de Rachel se pronunciou sobre o caso. A atriz pediu desculpas pelo que ela considerou ser um comportamento imaturo, mas disse que não se lembra do ocorrido.   

“Enquanto eu não lembro de ter feito essas afirmações específicas e não ter nunca julgado outros por sua história ou cor de sua pele, isso não é importante, o que importa é que eu claramente agi de forma que machucou outras pessoas”, declarou em seu Instagram. 

“Tenha sido minha posição privilegiada e a perspectiva que me fizeram ser percebida como insensível ou inapropriada às vezes ou tenha sido apenas minha imaturidade e eu sendo desnecessariamente difícil, eu peço desculpas por meu comportamento e por qualquer dor que tenha causado”, continuou Michele. 


Mesmo com o pedido, a atriz perdeu o contrato de publicidade com a HelloFresh, empresa do ramo alimentício. Em nota, a empresa destacou que não admite ter seu nome envolvida em polêmica como essa. “Levamos isso muito a sério e encerramos nossa parceria com Lea Michele, com efeito imediato”, afirmou a HelloFresh. 

Leia Mais

Séries

Episódios finais de Fuller House driblam a falta de Lori Loughlin, mas dão explicação

O seriado, reboot de Três é Demais, chegou ao fim após cinco temporadas na Netflix.

Nove episódios foram acrescentados à quinta temporada para cumprir o desfecho da série. (Foto: divulgação)

Chegando ao final do reboot de três é demais, a segunda parte da quinta e última temporada de Fuller House foi adicionada nessa terça-feira (2), na Netflix. Ao liberar os episódios, o serviço explicou que para alguns idiomas a dublagem atrasou, já que a prioridade no momento é a saúde dos dubladores.

Os nove episódios finais recriaram diversos momentos marcantes da série original dos anos 80/90 e continuaram centrados em temas importantes ligados à família, principalmente criação e crescimento dos filhos. Com destaque, é claro, no casamento tripo dos casais DJ e Steve, Stephanie e Jimmy e Kimmy e Fernando, anunciado na primeira metade da quinta temporada.

Contudo, o elenco teve que lidar com a ausência de Lori Loughlin, que interpretou a ‘Tia Becky’. A atriz e o marido se envolveram em um esquema de suborno, em 2019, para que as duas filhas do casal pudessem ser aceitas numa universidade da Califórnia e, portanto, estão cumprindo pena na prisão.

Mas o jeito Fuller House de ser, acostumados à falta das gêmeas Olsen no papel de Michele, driblaram, também, a falta de Lori. No 15º episódio, a ausência da Tia Becky é justificada com o fato que ela estaria em Nebraska ajudando a mãe.

Já a personagem Michele não deixou de ser mencionada. no 17º episódio, a personagem Kimmy (Andrea Barber) dá uma alfinetada ao se referir a um objeto de Michele que está na casa dos Tanner. “Se ela não veio buscar até agora, é porque não vem mais”, diz a personagem, se referindo a Mary Kate e Ashley Olsen, que recusaram retornar ao reboot.

Leia Mais

Séries

Cinco anos após o término de Glee, elenco continua se envolvendo em polêmicas

Desta vez, um comportamento de Lea Michele revelado por Samatha Marie foi apontado como racismo.

Samatha Marie e Lea Michele estão no centro da discussão mais recente envolvendo o seriado. (Foto: reprodução)

Na ficção eles cantavam Don’t Stop Believin e encorajavam uns aos outros a enfrentarem seus problemas. Mas, na realidade, lidavam com aspectos negativos que geravam e continuam gerando problemas entre o elenco.

Glee, seriado de 2009, durou até o ano de 2005 e tem diversas marcas negativas em seu histórico. E não são problemas de direção, roteiro e muito menos atuação. O lado sombrio do seriado é fruto de acontecimentos dos seus bastidores.

O público e fã da série já precisou enfrentar, por exemplo, a confissão de Mark Salling, o Noah Puck, quando relatou seu envolvimento com pornografia infantil que resultou na prisão do ator. Mais tarde, aos 35 anos, Mark foi encontrado morto em sua residência, em janeiro de 2018.

Além disso, outro episódio traumático já havia acontecido em 2013, quando Cory Monteith, que interpretava Finn Hudson morreu por overdose. Na série e na vida real ele possuía um relacionamento amoroso com Lea Michele, a Rachel. A atriz ja teve seu nome mencionado pela equipe de Glee por comportamentos de alguém que se considerava superior aos demais, papel não muito diferente do desempenhado por ela nos episódios do seriado.

Um desses comportamentos veio à tona ontem (1º) e continuou ressoando hoje (2) nas redes sociais após Lea ter feito uma publicação sobre a morte de George Floyd, nos EUA em que se posicionou contra o acontecido. “George Floyd não merecia isso. Não foi um incidente isolado e isso deve acabar”, escreveu ela.

Foi, então, quando Samantha Marie, que contracenou com Lea Michele em alguns episódios de Glee, compartilhou a publicação da atriz e a acusou de ter feito de sua estreia na televisão um inferno. “Rindo muito! Você se lembra de quando fez do meu primeiro trabalho na TV um inferno? Porque eu nunca vou esquecer. Acho que você disse para todo mundo que, se tivesse a oportunidade, ‘cagaria na minha peruca’, entre outras pequenas agressões traumáticas que me fizeram me questionar sobre a carreira em Hollywood”, disse Samantha.

O comentário de Samantha foi seguido de manifestações de outros integrantes da série. Entre eles Alex Newell, Amber Riley e Dabier Snell, que apoiaram o comentário de Samantha. Até o momento, Lea não se manifestou sobre o assunto. De acordo com a revista americana Variety, a assessoria da atriz não retornou às tentativas de contato da imprensa.

Leia Mais