Connect with us

#EmAlta

Assista ao videoclipe de ‘Horny’, do maranhense JAN

“Principal intuito (…) foi exaltar a beleza única de cada ser humano”, disse o artista.

Foto: Divulgação.

“O principal intuito do clipe sempre foi exaltar a beleza única de cada ser humano, o processo que chamo de endeusar-se, abrir os olhos tapados por tarjas que censuram e colocam um padrão de beleza que não convém a ninguém”, conta o artista maranhense JAN ao Volts sobre Horny, sua estreia em lançamentos audiovisuais.

Assista abaixo:

“(…) esse processo de endeusar-se está nitidamente explicito no clipe, e tudo vai muito além, desde a quebra desse padrão estético errado de beleza negra, do cara sarado, grande , super model negro. Todo negro é lindo, todo ser humano é lindo, todos tem uma beleza endeusada por dentro e por fora, acho muito importante pontuar isso”, conta o artista, que assina a direção geral do videoclipe.

“Sempre desde os primeiros passos de criação de roteiro sabia que teria que ser algo mais visual, estético para chamar atenção. A mensagem visual do clipe tem uma ligação direta com a sensualidade também, fazendo referência ao nome da música”, acrescenta JAN.

Em entrevista ao Volts, o artista revela que já produzia músicas instrumentais desde cedo, mas as deixava guardadas, sem levar a sério. “Eu sempre fui muito curioso, quando ganhei meu primeiro computador em 2012, eu baixei todos os programas de edição audiovisual, a qual aprendi a mexer sozinho, e isso foi uma base fundamental para mim. (…) Me recordo nitidamente que quando tava produzindo Horny, foi uma coincidência que deu muito certo. Eu tinha acabado de largar a faculdade de filosofia na UFMA. Precisava desta vez lutar pela minha arte e fazer algo que fosse muito além do que eu já fazia, fotografia, ilustração, literatura, etc”, pontuou.

Decidido a trabalhar sua arte musical em 2018, JAN retornou a suas composições – e, posteriormente, a investir em produções audiovisuais. “Estava decidido em jogar-me de vez em um mundo que apenas sentia: o da música. Eu tinha todas as ferramentas e pessoas necessárias possíveis para tudo ocorrer. Comecei a produzir em meados de abril. Em uma certa noite, eu tinha produzido uns beats, uns acordes de baixo e tinha achado tudo muito horrendo, estava cansado e salvei. Pensei que estou me forçando demais, e esperei uma luz para que tudo fosse melhor no dia seguinte”, revela.

No dia seguinte, após ouvir novamente os beats de Horny, JAN acreditou na música e chamou a amiga Nayra Pereira para fazer o backing vocal. “Em menos de três dias, terminei ela e estava super animado”, disse. A ideia do videoclipe não demoraria a vir – o clipe da faixa foi gravado em diversos pontos de São Luís, como a Avenida dos Africanos e a Praia de São Marcos.

O clipe foi lançado oficialmente no último dia 17 de agosto, no Santa Lounge, um casarão no Centro Histórico, próximo ao Teatro Arthur Azevedo (TAA).

Já disponibilizado no YouTube, o vídeo conta com direção de fotografia assinada por Adeta Holanda, Letícia Nascimento e Ítalo Campos, além de produção de Henrique Ribeiro.

Para mais informações sobre JAN, clique aqui.

Em alta agora