Connect with us

TV

As 10 Melhores Séries da Atualidade, segundo o Volts

Ao todo, 56 séries foram votadas, entre dramas, comédias, suspenses, etc.

Foto: Divulgação.

“Ei, me indica uma série aí”. A frase, utilizada constantemente atualmente, é utilizada por muitos como forma de filtrar quais séries merecem uma maratona ou não. Com tantos serviços via streaming disponíveis (Netflix, Amazon Prime, Globo Play, HBO GO, etc.), o que não faltam são opções.

A redação do Volts decidiu votar e elencar quais são as melhores séries da atualidade, considerando aquelas em atividade até este ano.

Ao todo, 56 séries foram votadas, com variações entre dramas, animações, comédia, terror, suspense, entre outros gêneros.

Veja, abaixo, quais foram as preferidas entre os redatores:

10 – Bojack Horseman // 15 pontos

Descrita pela New York Times como “hilariante e irreverente”, a série Bojack Horseman é uma das produções mais elogiadas do catálogo da Netflix. Criada por Raphael Bob-Waksberg, a sitcom é estrelada por Will Arnett, que dubla o personagem principal: BoJack Horseman. Além das dublagens de Aaron Paul, Amy Sedaris e Alison Brie, por exemplo, a comédia se passa em um mundo onde os seres humanos e animais antropomórficos vivem juntos, com foco na vida decadente do protagonista após a fama de estrela de seriado de comédia dos Anos 90.

09 – American Horror Story // 15 pontos

Sucesso de audiência, com produção certeira de Ryan Murphy e Brad Falchuk e um elenco cheio de grandes nomes, como Evan Peters, Taissa Farmiga, Jessica Lange, Zachary Quinto, Joseph Fiennes, Sarah Paulson, Emma Roberts, Kathy Bates, Angela Bassett, Lady Gaga, entre outros, American Horror Story se tornou um fenômeno televisivo, com cada temporada contando histórias independentes e surpreendentes.

08 – (Des)encanto // 15 pontos

Os Simpsons 2.0? Não (mesmo)!!! (Des)encanto estreou em 2018 surpreendendo a todos que esperavam um mais do mesmo do criativo Matt Groening, mesmo criador de Futurama e da já citada séries dos “amarelinhos”. Sucesso entre o público adolescente e adulto, o mundo fantasioso de  (Des)encanto não só conquistou os usuários do Netflix com a história de Bean, Elfo e Luci, como garantiu várias temporadas – e todo um grande universo a ser conhecido.

07 – The Handmaid’s Tale // 18 pontos

Aclamada pela crítica e premiada com Emmy, The Handmaid’s Tale entrou rápido no ranking das melhores séries já exibidas na televisão norte-americana. Criada por Bruce Miller, a série é baseada no romance homônimo de 1985 da escritora canadense Margaret Atwood. No elenco, Elisabeth Moss, Joseph Fiennes e Yvonne Strahovski roubam a cena no futuro distópico adaptado pela trama.

06 – Sherlock // 19 pontos

As histórias do detetive Sherlock Holmes seguem vivas – seja em referências na música, no teatro, no cinema e, é claro, na televisão. Sobre o último item, vale destacar a série Sherlock, outro fenômeno de crítica adaptado em drama policial em produção criada por Steven Moffat e Mark Gatiss, e estrelada por Benedict Cumberbatch (o próprio Sherlock Holmes) e Martin Freeman (Doutor John Watson).

05 – How To Get Away With Murder // 24 pontos

As reviravoltas, o suspense e as elogiadas atuações colocaram a série How To Get Away With Murder em um lugar de destaque entre as produções desta década. Protagonizado pela aclamada e premiada atriz Viola Davis (As Viúvas, Um Limite Entre Nós, Histórias Cruzadas), o seriado envolve o espectador em mistério a cada novo episódio, deixando pequenos ganchos sobre a história de cada personagem da trama.

04 – Grey’s Anatomy // 27 pontos

Para os fãs de Grey’s Anatomy, a série tem um incontável número de contribuições ao mundo: vários astros revelados dentro do seriado, como Ellen Pompeo, Sandra Oh, Katherine Heigl e Patrick Dempsey, por exemplo; tramas e subtramas bem trabalhadas, com grandes repercussões, alta audiência e ainda sob a batuta da criativa Shonda Rhimes; e uma trilha sonora invejável (de Adele a Beck, passando por Nouvelle Vague, Snow Patrol, Kanye West, KT. Tunstall, Coldplay, The Fray, entre outros), isso só pra elencar alguns. A série, que não tem previsão de encerramento, conquista novos fãs a cada nova temporada.

03 – Black Mirror  // 27 pontos

Além de ter se tornado um fenômeno televisivo, Black Mirror virou um fenômeno (meme) da internet – o que só corrobora com o discurso analítico da série sobre a sociedade moderna e as suas novas tecnologias. Com a assinatura de Charlie Brooker e episódios marcantes como The Entire History of You e San Junipero, a antologia de ficção científica transformou o modo de se pensar série e, principalmente, de refletir sobre os avanços tecnológicos e o (nosso) papel em sociedade.

02 – Stranger Things // 28 pontos

A Netflix é uma figurinha carimbada desta lista. E Stranger Things é uma das séries que melhor representa isso. Com referências aos anos 80 e apostando na mistura entre ficção científica, comédia e terror, a produção não economizou nas referências às obras de Steven Spielberg, John Carpenter e Stephen King, por exemplo, o que garantiu milhares de fãs ao redor do mundo – além de diversos prêmios, elogios da crítica e temporadas garantidas para o futuro.

01 – Game of Thrones // 28 pontos

Com a “parte final” bastante aguardada para 2019, Game Of Thrones, mesmo sem temporada neste ano, garantiu o primeiro lugar entre os redatores deste site. Baseada na série de livros As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R. R. Martin, GoT gira em torno do Trono de Ferro dos Sete Reinos, a partir de histórias sobre alianças e conflitos entre as famílias nobres, com todas lutando pelo trono.

MENÇÃO HONROSA
11 – The Good Place (15) pontos;
12 – Big Mouth (14) pontos;
13 – The Walking Dead (12) pontos;
14 – WestWorld (9) pontos.

Também foram votadas as séries:

Bates Motel, The Exorcist, Demolidor, Lúficer, Justiceiro, La Casa de Papel, 13 Reasons Why, Fear The Walking Dead, 3%, 9-1-1, Big Little Lies, American Crime Story, Desventuras em Série, Jessica Jones, Santa Clarita Diet, Unreal, Lovesick, Atypical, The Leftovers, True Detective, Fargo, Doctor Who, Animes Crimes Division, Yuru Camp, Hataraku Saibou “Cell At Work”, O Príncipe Dragão, Darling In The Franxx, Violet Evergarden, Voltron: Legendary Defender, Boku No Hero Academia, Aggretsuko, Vikings, Peaky Blinders, Harlots, Taboo, The Terror, Brooklyn Nine-Nine, Dirk Gently’s Holistic Detective Agency, Dark, Champions, Love e Rick And Morty.

Séries

His Dark Materials | Divulgado novas imagens da adaptação

O seriado contará com oito episódios e a segunda temporada já foi confirmada.

HBO liberou novas imagens da sua próxima adaptação, His Dark Materials. A série será baseada nos livros de Phillip Pullman, Fronteiras do Universo. A série está sendo produzida em parceria com a BBC.

A trama é situada em um mundo alternativo onde a alma se manifesta como um animal que muda de forma, chamado Daemon. Acompanharemos uma jovem chamada Lyra Belacqua, que será interpretada pela atriz Dafne Keen, que viaja para o Ártico para encontrar seu amigo Roger. Ele e outras crianças foram sequestrados pela Igreja, que está fazendo experimentos com eles enquanto estuda a natureza de uma partícula elementar chamada poeira (Dust).

No elenco teremos grandes nomes como James McAvoy e Lin-Manuel Miranda, também no elenco Tyler Howitt, Ian Peck, Ruta Gedmintas, Ruth Wilson, Anne-Marie Duff, Kate Rutter e Nabil Elouahabi.

Confira as novas imagens:

Continue Reading

Séries

Stranger Things | Liberado novas imagens da 5ª temporada

Stranger Things estreia dia 4 de julho de 2019.

Liberado pela revista Entertainment Weekly novas imagens da quinta temporada de Stranger Things. Podemos ver que o ship favorito da série está mais forte que nunca nessa nova temporada. E o fofo, porém divertido bromance entre Dustin e Steve continua sendo um dos momentos mais esperados da quinta temporada.

Mike e Eleven estão juntinhos na primeira imagem lendo revistinhas na cama. Ao que parece as crianças favoritas da Netflix não são mais tão crianças assim. “Queríamos explorar o tema da mudança, a temporada acontece durante o último verão antes do ensino médio. As crianças estão crescendo, e essa transição vai ser confusa e desajeitada e dolorosa.” Diz Matt Duffer, que criou a série com seu irmão, Ross.

O divertidíssimo bromance de Steve e Dustin também terá bastante tempo de tela. “Você definitivamente vê mais disso”, diz Gaten Matarazzo, ator que interpreta o Dustin. “Isso é o que eu realmente gosto sobre Matt e Ross: Eles sabem o que os fãs gostam e eles rolam com isso.”Afirma Matt Duffer.

No elenco Millie Bobby Brown, Noah Schnapp, Gaten Matarazzo, Caleb McLaughlin, Sadie Sink, Joe Keery, Winona Ryder e David Harbour.

Confira o trailer abaixo:

Continue Reading

Séries

Shakespeare e a História da Inglaterra ajudam a entender o final de Game of Thrones

Um exercício que não seria necessário se a canção tivesse sido bem cantada.

As Crônicas de Gelo e Fogo são (não tão) vagamente inspiradas no conflito civil inglês conhecido como a Guerra das Rosas (Wars of the Roses), como já confirmado por George R.R. Martin, sendo os Stark uma versão dos York e os Lannister uma versão dos Lancaster, e as rosas deram lugar ao Lobo Gigante e ao Leão.

Na vida real, o conflito terminou quando Henry Tudor derrotou Richard III na batalha de Bowsworth e se casou com Elizabeth de York, mas na fantasia Daenerys não se casou com Sansa. É preciso olhar para o final antes do final do conflito entre Yorks e Lancasters para perceber que ele serve sim para encontrar o desfecho do conflito entre Starks e Lannisters. É uma ginástica que estamos dispostos a fazer.

Antes de ser morto pelo pretendente Tudor, Ricardo III foi coroado rei da Inglaterra após a morte de seu irmão Eduardo IV. Esses eram dois dos três ‘filhos de York’, tendo o terceiro, George, Duque de Clarence, sido executado ainda no reinado do irmão mais velho sob acusação de traição.

Transferindo os personagens históricos para As Crônicas e para Game of Thrones, é possível ligar Eduardo IV a Robb, Ricardo a Brann Stak e George a Rickon, três filhos de York para três filhos de Stark.

Ricardo, Eduardo e George de York em The White Queen, do Starz

Assim como Eduardo, Robb se casou por amor com uma mulher que não levava nenhuma vantagem bélica ou econômica para sua casa, causando insultos e tensões no reino. Assim como Robb, Eduardo era conhecido pela ferocidade em batalha e traições vindas de seus aliados imediatos. A ligação entre Rickon e George é bem menor e assim também o é a de Bran com Ricardo. Mas é ai que entra Shakespeare.

“Ricardo III”, uma das peças do Bardo que trata das Guerras das Rosas, imortalizou boa parte do conhecimento geral sobre os dois filhos mais novos de York: George teria sido afogado em um barril de vinho como punição por traição e Ricardo passa a ser o vilão corcunda que ascendeu ao trono após matar seus dois sobrinhos, filhos e herdeiros de Eduardo, na Torre de Londres.

Robb, Bran e Rickon, os três filhos de Stark, com Jon Snow

A morte de Rickon na Batalha dos Bastardos foi tão absurda como a de George na Torre de Londres. Um passou anos sumido para ser morto por não saber correr em zig-zag, e o outro cresceu à sombra dos irmãos e morreu discretamente afogado em vinho.

As ligações com Bran são difíceis de apontar com o material entregue na TV e até agora nos livros. Seria preciso assumir, em parte, que ele foi um vilão que manipulou a todos e os usou como peões em seu jogo para chegar ao poder mundano. Como Corvo de Três Olhos, Bran não é mais apenas um homem, mas vários, incluindo seu antecessor direto Brynden Rivers, e aí as coisas ficam mais próximas de uma suposta vilania e manipulação.

Brynden como Corvo teria manipulado toda a sequência de eventos que levou Bran até ele, e é isso que o Stark fica repetindo “você sempre esteve onde deveria estar”, as pessoas estavam onde o Corvo de Três Olhos sempre quis que elas estivessem. Assim, Jon foi morto e trazido de volta porque o Corvo quis, o que poderia confirmar a teoria de que o Senhor da Luz de Melisandre e a entidade Corvo de Três olhos são o mesmo.

Tomando as primeiras linhas de Shakespeare sobre a coroação de Ricardo é possível ver onde Bran se encaixa: “Now is the winter of our discontent, made glorious by this sun of York”; em português, “Temos agora o inverno do nosso descontentamento transformado em verão glorioso por esse filho de York”. Na versão original é usado “sol de York” como um trocadilho já que o sol é um dos símbolos heráldicos da Casa de York e a pronúncia se parece com “son”, “filho”. O mesmo tipo de trocadilho é apontado por Gilly na série sobre “sea” e “see” e nos livros das Crônicas é repetido sobre filhos.

“Bran” é o primeiro capítulo das Crônicas de Gelo e Fogo e é também o ponto de vista sob o qual vemos o primeiro episódio de Game of Thrones. Ele é chamado de “criança do verão” pela Velha Ama e nome de seu lobo é Summer (Verão). Ele é o herdeiro legítimo de Robb, seu “filho”, assim como Ricardo foi de Eduardo. A história de Bran está intimamente ligada à torre de onde caiu, assim como a de Ricardo à torre de onde ascendeu após a morte de seus sobrinhos.

Ninguém sabe o que realmente aconteceu na Torre de Londres, além das pessoas envolvidas no caso, o mesmo se pode dizer sobre a Primeira Torre de Winterfell de onde Bran caiu, e as duas histórias envolvem crimes entre familiares.

É preciso mais uma ginástica para não colocar Bran como Rei do Norte, Senhor de Winterfell, mas dos Seis Reinos. Mas é preciso lembrar que é esse embaralhamento dos personagens históricos que George R.R. Martin usa em seus livros. Ele pega, por exemplo, pedaços de um mesmo Richard III e coloca em Tyrion, em Eddard e agora sabemos em Bran.

Entendemos que é um exercício enorme a se fazer, e que se tudo tivesse sido bem feito nada disso seria necessário, mas, como Gandalf uma vez disse, “é tudo que podemos com o que nos foi dado” pelos showrunners de Game of Thrones. Mas é essa a história, sempre foi a história da briga entre as casas Stark e Lannister. Sobre a pretensão de um dragão, sobre as vitórias de um bastardo e sobre a ascensão do verão sobre os dias de inverno.

Martin confirmou em seu Not a Blog que o fim de Game of Thrones é “um fim” das Crônicas de Gelo e Fogo, o que significa que no sentido geral os grandes acontecimentos se repetirão nos livros, mas que também não é todo o final, porque nas Crônicas há um enxame de personagens que nem chegaram a aparecer na série.

Para ajudar ainda mais a entender algumas coisas, separamos nossa lista de artigos que falam sobre Historia da Inglaterra e Game of Thrones, além de outras curiosidades importantes sobre o universo de Gelo e Fogo.


Continue Reading