Artigo Otaku

Artigo Otaku | Pray for KyoAni

Me é custoso escrever esse texto. Ao lado de Madhouse, MAPPA, Ufotable e A1-Pictures, o estúdio Kyoto Animation é um dos meus preferidos. Nos últimos anos, trabalhando títulos como Koe no Katashi (A Voz do Silêncio, no Brasil) e Violet Evergarden, o KyoAni – como carinhosamente chamamos – vem mostrando ao mundo uma linguagem única para a equação qualidade na animação + narrativas bem desenvolvidas + posicionamento de marca bem feito = afeição dos fãs.

Infelizmente, na manhã desta quinta-feira (18) parte dessa trajetória foi maculada pelas chamas. O atentado provocado por um homem de 41 anos, ainda não identificado pelas autoridades locais, tomou a vida de 33 profissionais do estúdio situado no distrito de Uji, Prefeitura de Quioto.

https://youtu.be/i_pyIbi0oqs
Vídeo produzido pelo site de notícias FNN Prime, que acompanha o caso

Ao incendiar o principal estúdio do grupo KyoAni, que no momento tinha cerca de 70 funcionários dentro, o indivíduo deu início a uma pausa no magnífico trabalho daqueles profissionais que caminhavam de forma tão majestosa dentro da indústria de animês mesmo sem ser das mais gigantes no quesito financeiro.

Criada em 1981 pelo casal Hideaki e Yoko Hatta, a empresa é conhecida entre admiradores da Cultura Otaku por ser uma das poucas do ramo a dar mais oportunidades a animadoras e diretoras em papéis de destaque em suas produções, além de promover condições de trabalho mais qualificadas para seus profissionais. Algo que nos dia de hoje é muito criticado por participantes dentro e fora da indústria, que amarga situações de tempo de serviços prologados mal remunerados e sem prever boas condições mentais aos envolvidos.

O trabalho promovido pelo Kyoto Animation é dos mais exemplares. Além de se preocuparem com seus funcionários, o estúdio oferece-lhes desde o treinamento/formação em uma escola própria para animadores, além de outros espaços de trabalho, como é o caso do estúdio Animation Do que serve como empresa subsidiária.

Tudo isso contribuiu para a formação de uma imagem única dentro da indústria e do fandom: a de uma empresa que prima pela qualidade em seu processo criativo e sempre entrega animações de beleza indiscutíveis.

Alguns dos personagens da KyoAni em arte promocional de evento realizado em 2017

Seja nos dramas já citados ou em comédia simples, mas bem propostas, como em Amagi Brilliant Park, Musaigen no Phantom World e Kobayashi-san Chi no Maid Dragon. Citando algumas das mais recentes pelas quais me apaixonei.

Seu trabalho foi além com a criação do Kyoto Animation Awards, que premia light novels de autores estreantes e as publica (sim, eles também publicam livros!) para depois transformá-los animês. Violet Evergarden, sucesso da Netflix em 2018, produzido pelo estúdio, é a primeira light novel vencedora do concurso a ganhar nas três categorias (melhor cenário, história, ilustração).

É Pensando nisso que não dá pra imaginar o que foi perdido ali no meio do fogo. Registros, projetos e demais trabalhos pertinentes aos títulos de sucesso já citados, além de outros como: Hibike! Euphonium, Free!, K-On, Clannad, Lucky Star e Suzumiya Haruhi no Yuutsu. Que nos formaram como fãs do KyoAni.

Agora, o que dá para contabilizar é o número de mortos e feridos. Gente que saiu de suas casas pensando em produzir algo bom para nós, seus fãs, e tiveram suas missões interrompidas por um motivo que nem sabemos ainda!

Dessa forma, a hastag #PrayForKyoAni é muito mais que um lamento de melancolia pelo material perdido, o qual dependerá de árduo trabalho para se recuperar, mas sim pelas almas humanas como as nossas que deixaram em nós marcas de felicidade, amor e força de vontade para superar desafios. Nosso choro não é apenas por Tooru, Violet, Shinomiya, Hazumiya e tantas outras personagens que amamos. É também pelos familiares daqueles que nos ensinaram a amar essas waifus. Estes merecem nosso apoio com palavras gentis e de respeito.

Ações de crowdfunding promovidas por empresas parceiras e fãs – como a campanha #HelpKyotoAniHeal realizada pela Sentai Filmworks, que já reuniu mais de 900 mil dólares em menos de 24 horas – são importantes e ajudarão a empresa a se reerguer. Mas o primeiro passo que se deve dar mesmo é não deixar morrer no coração o sentimento de solidariedade com o próximo. Isso também é ser otaku.

Para os próximos anos a história do Kyoto Animation deve renascer muito mais intensa por esse sentimento que movimenta a todos desde agora. Sobre seus projetos, a empresa trabalhava recentemente na adaptação da light novel 20 Senki Denki Mokuroku (20th Century Eletricity Catalog) de Hiroshi Yuuki (texto) e Kazumi Ikeda (arte). Vencedora de menção honrosa do 8ª Kyoto Animation Awards, a obra foi publicada ano passado e teve adaptação anunciada para 2020.

Ainda em 2019, o KyoAni já tinha outros projetos para serem apresentados envolvendo a franquia Violet Evergarden: o spin-off “Eien to Jidou Shuki Ningyou“, adaptação do volume gaiden da light novel prevista para estreia no dia 06 de setembro nos cinemas japonesas. Para 2020, além do animê de 20 Senki Denki Mokuroku, o estúdio já havia confirmado o filme longa-metragem com história original de Violet Evergarden (previsto para 10 de janeiro nos cinemas japoneses), além do quinto filme da franquia Free! previsto para o terceiro semestre do ano.

Teaser de Violet Evergarden: the Movie, que chega aos cinemas japonesas ano que vem

Quanto ao fogo, parece que ele quer mesmo consumir os produtos midiáticos que alimentam nosso afetivo. Uma semana atrás, o estúdio da Warner Bros. na Inglaterra, onde foram gravados os filmes da franquia Harry Potter, também pegou fogo. Felizmente nessa ocasião não havia ninguém no lugar durante o desastre. Por isso repito: só nos resta rezar!

Até a próxima e… Sayonara!