Artigo Otaku | O que muda com a vitória de Ash

A vitória veio. Mas e agora? Essa é a verdadeira questão a ser respondida

Há várias formas de se responder essa pergunta.

Uma delas é uma que corre pela tangente devido ao nosso pouco (ou nenhum!) poder de decisão dentro da Toei Animation para definir como a série de TV que está há 22 anos no ar irá se comportar. Dito isso o que se pode formalizar aqui é que não sabemos o que pode mudar.

Não sabemos, porque é um mistério de verdade. No primeiro dia de setembro descobrimos que a nova temporada da série de TV, que comumente estreia concomitantemente ao lançamento da nova geração da franquia nos jogos (Sword & Shield), pretende retomar elementos das gerações anteriores tendo até mesmo seu logo oficial em japonês retornado ao modelo da primeira temporada em 1997.

Intensifica esse hype sobre o que aguardar na nova fase da animação a vitória de Ash Ketchum em uma Liga Pokémon. Por longo desse tempo todo, nos acostumamos a vê-lo ralando duro para chegar à liga e no final não ser recompensado com a vitória. Há quem cogite que finalmente irão aposentar a personagem, pois afinal de contas o seu plot finalmente foi alcançado. Eu duvido! Antes, vamos recapitular sua jornada.

Dos seis torneios anteriores a Alola, somente a Conferência do Planalto Índigo (Liga Pokémon de Kanto), na primeira temporada, tinha um hype menor em termos de expectativa do público pelo vencedor. Isso porque Ash era um iniciante (ficou no Top 16). Nem fazia sentido ele ganhar.

Já em Johto, na Conferência de Prata, tivemos algumas reviravoltas absurdas. Ash era um treinador melhor do que havia sido na liga anterior e até mesmo já havia conquistado um campeonato de menor expressão como a Liga Laranja. Após uma árdua batalha contra Gary Carvalho – e uma vitória – somos surpreendidos por um participante vindo da Região Hoen com pokémon desconhecidos pelo protagonista até então, que acaba caindo assim nas Quartas-de-Final (Top 08).

Na Conferência de Ever Grande (Liga Pokémon de Hoen) esses resultados favoráveis se converteram numa expectativa para a primeira vitória em torneios oficiais. Expectativas destruídas por um Meowth-de-Botas, onde Ash repetiu o Top 08. Dessa vez perdendo para o futuro campeão. Após isso ainda rolou uma aventura pela “Batalha da Fronteira” e mais uma vitória de Ash em competições menores/amadoras. Já na Conferência do Lírio da Ilha Valley, onde já não havia nenhum erro – para os fãs – que a vitória viria (ainda mais após a dura batalha contra o rival Paul), temos um tal Tobias com alguns pokémon míticos e lendários no time batendo de frente com Ash e vencendo a competição da Liga Pokémon de Sinnoh. Esse Tobias, eu desconfio, só pode ser um dos clientes de J, a Caçadora de Pokémon, porque ter um time com dois pokémon poderosos como Darkrai e Latios (e nem chegamos a conhecer os demais!) não me parece ser algo natural. Fanfic minha a parte, esse foi o Deus ex machina mais louco da franquia para evitar a vitória de Ash, que ficou no Top 04.

Teaser liberado em 01 de setembro de 2019 no canal oficial da franquia no Japão

É em Unova que realmente temos a certeza de que Ash nunca ganharia uma Liga Pokémon. Após um roteiro absurdo que transformou o herói em algo bem próximo de um iniciante, vimos Ash chegar somente ao Top 08 após batalhas sofríveis. Virgil, o treinador de eevolutions foi o campeão (quer fanservice melhor que esse?). Em Kalos, sem esperanças em nada, somos iludidos outra vez com uma campanha majestosa que gerou revolta nos fãs pelo mundo. Chegando em sua primeira final – e com um bom time – Ash perde de forma dura para Alain, que vence a Conferência de Lumiose e sagra-se campeão. Muitos contestam a vitória de Alain. Eu, pelo contrário, acredito que ela é que mais tem lógica na série de TV. Todos os demais vencedores até então apareceram somente quando da realização da Liga Pokémon. Alain, no entanto, aparece bem mais cedo e até mesmo é protagonista dos OVAs destinados ao tema das Mega Stones. Uma vitória construída.

Assim, chegamos a Liga Pokémon de Alola, que acontece em sua primeira edição. E aqui a frustração! Uma Liga Pokémon aberta, sem a necessidade de classificação por meio de Batalhas de Ginásio. Dessa forma, NUNCA a Liga Pokémon de Alola terá o mesmo peso e respeito que as anteriores. Mas deixa estar. Ash venceu uma liga oficial.

E agora?! O que muda? A iminência de um reboot assombra alguns e anima outros (muito mais anima que assombra, na verdade). Isso porque nos filmes da franquia já tivemos tal feito. Desde 2017, com Pokémon the Movie: I Choose You!, a história de Ash Ketchum recomeçou nos cinemas. o que parecia ser só um ato de celebração do 20 anos do animê deu lugar a uma sequência, Pokémon the Movie: The Power of Us em 2018, que deixou bem nítido que essa parece ser a tendência a ser seguida. Em 2019 só não se repetiu tal lógica porque optou-se por celebrar os 20 anos do filme Pokémon the Movie: Mewtwo Strike Back ( o primeiro!) com o remake do longa-metragem em um 3DCG chamado Mewtwo Strike Back Evolution. Para o ano que vem já se sabe que não teremos 3DCG no cinema. Tudo indica que a lógica do reboot iniciada em 2017 deve se repetir.

Dessa maneira, com um reboot que deu certo no cinema, por que não fazer o mesmo na TV? Parece promissor. Contudo, como fica a Região de Galar? Pelo teaser já apresentado sabemos que ela estará lá. Agora é aguardar pelo dia 29 de setembro, quando um trailer completo sobre a nova temporada será disponibilizado.

Agora, se me perguntarem o que muda com a vitória do Ash a minha resposta é:

NADA!

A série seguirá seu rumo independente de haver ou não mudanças na TV. Consolidada, Pokémon – agradando ou não – sempre será tema de debate entre roda de amigos e redes sociais, fazendo assim jus ao status de maior franquia de entretenimento do mundo.

Até a próxima e… Sayonara!

Total
0
Shares
22 comments
  1. Pingback: cialis price
  2. Pingback: ciprofloxacina
  3. Pingback: naltrexone 50 mg
  4. Pingback: chloroquine 2020
  5. Pingback: cialis otc
  6. Pingback: cialis online

Comments are closed.

Prévia

Morre o cantor português Roberto Leal

Próxima Notícia

Primeira mostra fotográfica do SobreOTatame abre nesta segunda-feira (16)