Artigo Otaku | Miyazaki e Shinkai, nomes de 10 bilhões de ienes





28/08/2019 - Atualizado às 10:34


A notícia de Weathering with You (Tenki no Ko) ultrapassando a marca de 10 bilhões de ienes arrecadados nas bilheterias japonesas não só deixou muitos mundo a fora felizes com as expectativas apresentadas pelo longa-metragem de Makoto Shinkai como também nos ajuda a definir um momento de transição definitivo na indústria japonesa de animação.

Após 34 dias desde sua estreia o filme bateu a quantia quebrando uma letra escrita três anos atrás por Your Name (Kimi no Na Wa), também de Makoto Shinkai. Não só isso, o filme entrou no TOP 10 das maiores bilheterias do cinema japonês e segue sendo a maior bilheteria do cinema local em 2019.

É impressionante ver como Makoto Shinkai tornou-se um nome respeitado no cenário mundial de animação em curto espaço de tempo. Desde seu debut em 1999 com Kanojo to Kanojo no Neko (um curta-metragem feito quase que de forma amadora), até o último filme, são dez trabalhos já produzidos (incluindo outras ações em mídia).

Vinte anos após o início de sua carreira, o japonês de 46 anos não só tem uma carreira consolidada como pode dizer que alcançou o ápice dela (ele ainda não afirmou isso, no entanto). Mais do que um realizador, Makoto Shinkai tornou-se uma celebridade que ultrapassou os limites da otakusfera e já é conhecido pelo senso comum da sociedade, graças ao seu Your Name, que ainda hoje arrebata corações.

A comunidade otaku respeita não só ele como muitos outros animadores de destaque no cinema como: Isao Takahata (1935-2018) e Satoshi Kon (1963-2010), já falecidos, ou Mamoru Hosoda, Hideaki Anno, Katsuhiro Otomo e Shinichiro Watanabe, entre os vivos. Mas nenhum deles tem tanto apelo fora da bolha como Hayao Miyazaki.

O japonês de 78 anos é o mais icônico do cenário moderno no que diz respeito a força que animação japonesa ganhou ao redor do globo. Meu Vizinho Totoro (Tonari no Totoro, 1988), O Serviço de Entregas da Kiki (Majou no Takkyuin, 1989), Princesa Mononoke (Mononoke-hime, 1997) e A Viagem de Chihiro (Sen to Chihiro no kamikakushi, 2001) são só alguns dos quase vinte títulos onde atuou como diretor sem falar em outros tantos onde figurou como produtor e animador ao longo da carreira ainda não finalizada.

Hayao Miyazaki ficou conhecido pelo mundo em 1997 quando seu Princesa Mononoke foi a escolha do Japão para compor a lista de pré-indicados ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Era a primeira vez que uma animação iria representar o país na categoria. Infelizmente, o filme não foi selecionado entre os cinco indicados, mas mesmo assim, dois anos depois foi bem recebido no cinema ocidental arrecadando 158 milhões de dólares e sendo o filme de maior bilheteria no país asiático até a estreia de Titanic.

Agora, é a vez de Weathering with You tentar quebrar essa façanha. Também já nomeado como o representante japonês para a categoria de Melhor Filme Estrangeiro, a animação de Makoto Shinkai torna-se a segunda a ter essa oportunidade e pode ser a primeira a figurar entre os cinco indicados na votação final do Oscar 2020. Sem falar nisso, são altas as chances de também ser indicado como Melhor Filme de Animação e assim, quem sabe, concorrer a dois Oscar no mesmo ano. Um fato que seria inédito.

Isso também seria relevante para a carreira de Makoto Shinkai, pois poderia ser o primeiro filme não-Ghibli a ser indicado entre as melhores animações. Obviamente, isso não o igualaria com o gênio Hayao Miyazaki, que venceu o Oscar em 2003 com A Viagem de Chihiro e em 2014 recebeu a estatueta honorária pela contribuição com a sétima arte.

O fato é que Makoto Shinkai está no caminho. Até agora somente dois diretores de animação japonesa conseguiram colocar seus nomes entre os acima de 10 bilhões de ienes na história do cinema nipônico. Seria estranho se eu não dissesse que foram Hayao Miyazaki e Makoto Shinkai.

Com cinco filmes acima de onze dígitos em arrecadação, Hayao Miyazaki tem ampla vantagem (para aqueles que gostam de ver competição em tudo). Os filmes são: A Viagem de Chihiro, O Castelo Animado, Princesa Mononoke, Ponyo e Vidas ao Vento. Já Makato Shinkai, como se sabe, tem dois filmes na lista: Your Name e Weathering with You.

Não me arrisco a dizer que o mais velho passará o bastão para o outro. Com estilos e motivos diferentes, os dois diretores tem animações distintas e com temáticas mistas. Discutindo a preservação do ambiente, amizade e a evolução do espírito humano, Hayao Miyazaki traz uma narrativa ritmada e acolhedora, enquanto que com seus temas sempre evocando a conexão profunda entre os corações, a psicologia humana e o choque entre modernidade e tradição Makoto Shinkai tem narrativas com desenvolvimento tênue, que abalam o público ao final pela forma como se concluem. Então, afirmar que haverá uma passagem simbólica de bastão é exagero. Os dois tem seus lugares cativos no panteão dos grandes nomes do cinema animado.

Com filmografias que não se cansam de nos surpreender, os dois são nomes que valem e sempre valerão 10, 20, 30, …, ‘n’ bilhões de ienes, pois contribuem com um trabalho extraído diretamente de suas almas e que nos comovem de forma ímpar a cada frame exibido na tela. E aqui entra a tal da transição cita no início desse artigo. Se antes o público médio conhecia Hayao Miyazaki, agora conhece ele e Makoto Shinkai.

Não vá esperar, no entanto, que isso projete nos realizadores veteranos uma busca pelo mesmo ápice alcançado por esses dois. Bater os 10 milhões de ienes pode até ser um objetivo para produtores e distribuidores, mas para estes homens e mulheres responsáveis pela parte criativa da coisa é apenas uma consequência. Para eles, concorrer para ser o próximo blockbuster é diminuir a qualidade de suas obras a mero produto de mercado (o que no fundo são, mas de uma maneira mais seletiva ao seu próprio olhar).

A transição definitiva, por fim, traduz-se no fato de que mais do que nunca, o sucesso das animações japonesas passará a ser avaliado a partir desses números. Contudo, isso não significa muito se considerarmos que sempre pode haver casos que fogem da curva. Sejam obras-primas que injustamente não são reconhecidas ou produtos de qualidade duvidosa que podem extrapolar o senso comum da otakusfera e se tornar fenômenos de público. Enquanto esses dois homens de 10 bilhões de ienes estiverem na cena não há com o que se preocupar, mas… Nunca se sabe!

Até a próxima e… Sayonara!