Connect with us

Destaque

HBO MAX | Tudo que você precisa saber sobre o serviço e catálogo

Em 2020 e já com planos de expansão, o sistema reunirá produções clássicas e originais

HBO já é uma das maiores plataformas em questão de conteúdo atualmente, com séries como Game of Thrones, Big Little Lies, Westworld e mais recentemente, Watchmen, a companhia é um dos maiores titãs em seu ramo, dominando inclusive premiações como globo de ouro e os emmy. Porém, em maio de 2020, o público vai ser introduzido a uma nova dimensão com a inauguração de seu sistema de stremio, o HBO MAX. MAX é uma atualização do atual HBO Now, expandindo não somente em conteúdo, mas também em qualidade os títulos (filmes e séries) produzidos pela marca. Sendo oficialmente apresentado ontem, a Warner Media em sua produção certificou a dessecação do mecanismo de sua plataforma, nós dando uma ideia não somente de conteúdos que vão ser direcionados para o HBO MAX, mas também, como a mesma vai funcionar.

HBO MAX vai funcionar como uma expansão do sistema já presente, sendo cobrado o mesmo valor atual de 15 dólares por mês, além disso, o assinante da HBO é automaticamente atualizado para o sistema MAX após o lançamento do novo domínio. A plataforma vai contar com uma interface individual e a restrição para crianças, porém, HBO vai apresentar a novidade de uma conta conjunta, permitindo que dois usuários assistam seus conteúdos juntos sem que desorganize as contas individuais dos assinantes. Além disso, na apresentação foi revelado que a HBO MAX tem o intuito de abranger todas as idades e gêneros com seus conteúdos, porém, vai ter uma grande inclinação para o público feminino.

Em questão dos conteúdos presentes, a Warner vai se voltar para diversos filmes e séries originais que foram anunciadas para 2020 e 2021, no entanto, a plataforma MAX também vai ter um enfoque muito grande nos clássicos da companhia. A partir de maio de 2020, títulos como Friends, The Big Bang Theory, Um Maluco no Pedaço, Southpark e Doctor Who se tornarão exclusivos do HBO MAX, com os últimos dois tendo sido renovados para três temporadas adicionais agregando a disponibilidade de todas as temporadas passadas na plataforma. Além disso, foi anunciado que Looney Tunes e os shows da falecida Hanna Barbera (como Johnny Bravo, a Vaca e o Frango, Eu sou o Máximo etc.) também estarão fortemente presentes, com Looney Tunes ganhando 80 curtas inéditos e exclusivos para o HBO MAX.

Como dito antes, além do enfoque na nostalgia de séries e filmes clássicos, a marca da HBO vai investir pesado em novos conteúdos originais, consolidando a marca de peso e qualidade já apresentados pela companhia. Com a apresentação feita pela Warner Media ontem, tivemos uma noção da dimensão do talento envolvido nos novos projetos da HBO, entre eles:

  • Run: criado e escrito pela ganhadora do emmy, Phoebe Waller-Bridge e estrelado por Dohmnall Gleason de Star Wars
  • The Outsider: série adaptada dos livros de Stephen King e estrelada por Ben Mendelsohn de Star Wars e o Talos dentro do MCU
  • The Undoing: estrelado por Nicole Kidman e Hugh Grant
  • Lovecraf Country: série de terror inspirada nos contos de H.P. Lovecraft e produzida por Jordan Peele de Corra ! e Nós e J.J. Abrams de Star Wars e Lost
  • Perry Manson: estrelada por Matthew Rhys de The Americans
  • Avenue 5: série espacial de comédia e estrelado por Hugh Laurie, nosso Dr. House e Josh Gad de A Bela e a Fera e Frozen
  • I Know This Much is True: série dramática focada na vida de gêmeos e estrelada por Mark Ruffalo, o Hulk no MCU
  • The Plot Against America: série estrelada pela veterana de Stranger Things, Winona Ryder
  • The Gilded Age: série de época e focada na vida de milionários de Nova York, criada por Julian Fellowes, a mente brilhante por trás de Downton Abbey e estrelada por Christine Baranski de Mamma Mia ! e Cynthia Nixon de Sex and the City.

Porém, elevando ainda mais o nível e capitalizando em cima do HBO MAX, foi anunciado séries que irão estampar o selo de MAX ORIGINALS, consolidando conteúdos ainda mais exclusivos para a plataforma, com o intuito de dimensionar uma exclusividade de domínio ainda não vista em sistema de stremios, entre eles:

  • Tokyo Vice: estrelada por Ansel Elgort de Baby Driver e A Culpa é das Estrelas. Numa série que teve sua produção completamente feita no Japão
  • Love Life: série de comédia romântica e estrelando Anna Kendrick da franquia Pitch Perfect
  • XOXO Gossip Girl: a série que vai dar continuidade a aclamada Gossip Girl de 2005 vai estampar o selo MAX ORIGINALS. Foi revelado que a série tem o enfoque num novo grupo de adolescentes, mas que o elenco original tem toda a autonomia de participar dessa nova produção
  • Grease: uma série de tv inspirada no musical dos anos 80 estrelado por John Travolta e Olivia Newton-John
  • College Girls: série criada e escrita por Mindy Kaling, conhecida por seus papeis em The Mindy Project e mais notoriamente, The Office
  • The Flight Attendant: série de drama e estrelada por Kaley Cuoco, sendo o primeiro grande projeto da atriz pós The Big Bang Theory. A série vai ser produzida por Greg Berlanti.

Apesar da presença de diversas marcas e nomes dentro desse novo sistema, a HBO e Warner Media tem grandes planos em níveis mais elevados para três de suas propriedades, criando conteúdos que devem elevar a qualidade e grandiosidade dessas franquias.

  • SESAME STREET

Sendo um dos maiores clássicos infantis e estado presente na televisão desde 1969, é natural que a Warner tenha grandes planos para Elmo e seus amigos, com o anuncio de diversas séries focadas para crianças que devem estrelar os monstrinhos da rua Sésamo. No entanto, o mais importante de todos é um talk show no estilo de The Tonight Show com o próprio Elmo como apresentador, intitulado de: Not Too Late Show… with Elmo

  • DC

o DCEU é uma das propriedades mais imponentes dentro da Warner Media e seguindo o sucesso de produções como Aquaman, que atingiu a marca do um bilhão de dólares e Joker, que se tornou o primeiro filme do gênero a ganhar o Leão de Ouro em Veneza, não foi surpresa alguma de que a DC tenha se tornado um dos cargos chefes para o HBO adentrando essa nova fase em 2020. Foi anunciado que todos os filmes, incluindo o mais recente Joker, estarão presentes dentro da plataforma , além de contar com os clássicos que levam a marca DC antes mesmo desse novo universo compartilhado, como a trilogia do Cavaleiro das Trevas e os filmes de Christopher Reeves como Superman. HBO MAX também vai extinguir o sistema individual da companhia, com as séries e futuras produções do DC Universe agora fazendo parte do catálogo da Warner Media.

Greg Berlanti vai ser um dos nomes mais presentes dentro desse novo ramo da DC, o produtor que já é conhecido por encabeçar todas as séries da CW e ter uma relação intima com os quadrinhos, tendo escrito diversos títulos para diversos personagens icônicos da companhia. Berlanti agora vai contar com dua séries HBO MAX para chamar de suas, a primeira sendo Strange Adventures, uma série que vai focar na perspectiva de homens e mulheres comuns que vivem em um mundo povoado de super heróis. Entretanto, sua produção mais importante vai acontecer no dia mais claro e na noite mais escura, com a confirmação de uma série focada no Lanterna Verde, que vai receber um orçamento gigantesco em produção (100 mil) , com o intuito de integrar dessa forma essa série dentro do DCEU, expandindo ainda mais o universo compartilhado de Jason Momoa, Gal Gadot e Margot Robbie

Por fim, a DC ganha uma nova integrante na sua família, com o anuncio de que Elizabeth Banks estará produzindo um série em live action, intitulada de DC SUPERHERO HIGH, focando em personagens clássicos da companhia em suas adolescências, seguindo o mesmo formato de shows como Gotham e Smallville.

  • GAME OF THRONES

O FOGO IRÁ REINAR, seguindo o sucesso monstruoso de Game of Thrones que definiu uma geração pelos últimos oito anos, a HBO oficializou ontem uma nova série derivada do título. House of The Dragon vai se passar 300 anos antes da história dos Starks, focando na casa dos Targaryen em um tempo antes do nascimento de Daenerys. A produção vai contar com um relacionamento intimo com George R.R. Martin, que esteve, infelizmente, ausente nas últimas temporadas de Game of Thrones. Por fim, House of The Dragon vai ser dirigida por Miguel Spochnik, um dos escritores veteranos da série original, que tem em seu currículo episódios aclamadíssimos por críticos e audiência, como A BATALHA DOS BASTARDOS na sexta temporada. The House of The Dragon vai ser a rendição da HBO para com os fãs, seguindo o controverso final de Game of Thrones este ano.

Continue lendo
Advertisement Image Map

Destaque

Prêmio Volts | Nova geração alia criatividade e renovação na música maranhense

Comunidade LGBTQI+ e a sofrência embalaram a cena musical de 2019

Nos últimos anos, o mercado fonográfico maranhense vem passando por um incrível processo criativo e de renovação artística. O ano de 2019, por exemplo, foi marcado por nomes conhecidos, e também novos, engajados em enriquecer o cenário musical do estado. O resultado de todo esse trabalho culminou em lançamentos carregados de referências regionais e com boas doses do que há de melhor na música pop atual.

Ao longo deste ano, o Volts ficou ligado em tudo que rolou no cenário e, por meio de votação aberta ao público, totalizando mais de 34 mil votos, foram eleitos os nomes que estão concorrendo na fase final nas categorias “Cantor”, “Cantora”, “Dupla, Grupo ou Banda”, “Clipe Musical”, “Feat Musical”, “Música” e “Artista Musical”.  Vamos recapitular um pouco do trabalho produzido por alguns dos indicados?

A ascensão drag

No ano passado, Frimes causou reboliço com o lançamento do videoclipe de Fadinha. A produção, que se inspirou em filmes consagrados, como Matrix, foi destaque nos principais portais de música do país e teve exibição de lançamento no Cine Praia Grande, lotando a casa.

Neste ano, a cantora resolveu repetir a dose e lançou seu segundo videoclipe, para o single Pink Money. Entregando uma nova roupagem à música, Frimes, ao lado de Lucas Sá, mesmo diretor de Fadinha, trouxe a típica estética da sua persona drag, uma mistura de dominatrix futurística com paletas de um rosa bizarro.  Não é por acaso que o clipe está entre os indicados na categoria “Clipe Musical” do Prêmio Volts.

Outra concorrente nessa categoria é a drag queen Dominica, que lançou vídeoclipe para a faixa Mais Que Nada no começo deste ano. A produção foi dirigida pelo cineasta Mabu e contou com profissionais do curso de Cinema do IEMA. No clipe, Dominica brincou com diversas referências de produções das cantoras pop internacionais, como Britney Spears, no clipe Toxic, por exemplo.

Para completar a lista, Enme vem fazendo barulho e colocando todo mundo para dançar com a faixa Killa, presente em seu EP de estreia ‘Pandú’, que já possui mais de 100 mil execuções nas plataformas de streaming. O vídeoclipe de divulgação para o single, dirigido por Jessica Lauane, é recheado de elementos típicos do Maranhão, como as pitorescas radiolas de reggae e personagens da lenda do Bumba Meu Boi.

Em recente entrevista ao Volts, Enme revelou que o clipe era um sonho de infância e também a construção de uma identidade marcante que difunda o orgulho pelo Maranhão. Não é por acaso que as fotos de divulgação de ‘Pandú’ foram destaque no site da Vogue Itália. Além de “Videoclipe Musical”, Enme concorre nas categorias “Música”, também com Killa, e “Artista Musical”.

Sentimentos à flor da pele

Para os cantores e compositores do estado, 2019 também foi momento de explorar os tons amargos e dolorosos do amor. Na frágil Não Mate o Meu Querer, single lançado mês passado pela cantora Gabi Carvalho, a solidão e a efemeridade são os sentimentos que embalam os versos da canção. Com arranjo econômico, a faixa traz elementos contidos, como as cordas e as batidas pulsante, que criam uma atmosfera soturna e melancólica para melodia. Gabi Carvalho concorre na categoria “Cantora”, ao lado de Mairla Oliveira e Manú Moura.

Já Yhago Sebaz, indicado na categoria “Artista Musical”, usou desses mesmos sentimentos para dar vida ao álbum ‘Meio Amargo’. O disco resgata experiências conflituosas e vividas pelo cantor em seu último relacionamento. Com letras que retratam relações abusivas, Sebaz buscou no soul, blues e hip-hop as inspirações necessários para transformar a dor de outrora em um catálogo de canções que narram um processo de superação.

Prêmio Volts

A cerimônia da premiação realizada pelo Volts rola na próxima sexta-feira, 29, mas você pode votar até o dia 28. Ao todo, são sete categorias dedicadas exclusivamente à música. Não perde tempo e clique AQUI para votar no seu artista favorito.

Continue Reading

Destaque

Lista de Cinco | Músicas para se preparar para a volta de My Chemical Romance

A banda se prepara para novos shows. Que tal matar a saudade?

A banda norte-americana My Chemical Romance foi formada em 2001 e é composta pelo vocalista Gerard Way, o baixista Mikey Way e os guitarristas Ray Toro e Frank Iero. Classificada como banda de rock alternativo e emocore, MCR fez um grande passeio entre estilos musicais ao longo da sua trajetória, nos apresentando um punk melodioso em I Brought You My Bullets, You Brought Me Your Love, o álbum de estreia, e um hard rock oitentista com um quê de ópera em The Black Parade, terceiro disco do grupo.

No segundo lançamento, Three Cheers for Sweet Revenge, talvez seja possível encontrar alguns resquícios sonoros de Misfits, em um álbum gótico-punk, com letras sobre amores condenados e muitas referências ao horror. O quarto e último álbum de estúdio lançado foi Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys. Ele tem uma pegada mais despojada, com músicas mais pop e com sintetizadores e bipes eletrônicos.

Em março de 2013, MCR anuncia seu fim por meio de comunicado no site oficial. Para os fãs, foi um momento de dor. Para os integrantes, um momento para seguir projetos pessoais ou lançar alguns conteúdos especiais da banda. Mas 2019 chegou com uma surpresa: por meio das redes sociais, a banda anunciou o primeiro show do grupo em sete anos. A apresentação acontece no dia 20 de dezembro, em Los Angeles. O ano de 2020 também vai contar com shows no Japão, Austrália e Nova Zelândia. Os ensaios começaram, e a prova é uma foto publicada no Instagram do grupo, que mostra os quatro músicos reunidos em um estúdio.

Ainda sem uma confirmação se vão ser lançadas novas músicas ou até um novo álbum, nos resta matar a saudade de My Chemical Romance por meio de algumas canções.

1 – Mama

Essa música é uma carta e nela, filho conta para a mãe que, adivinha só, nós todos somos cheios de mentiras e vamos para o inferno. O assombro por ter ido a uma guerra acompanha o resto da vida deste filho. Ele sofre pelas decisões que tomou, pelos companheiros de batalha que perdeu, e se sente completamente condenado. A carta em sua maior parte é escrita por Gerard Way. Com essa música, podemos sentir o quão bom compositor é o vocalista.

2 – Drowning Lessons

Diretamente do primeiro álbum, essa canção traz em suas letras temas como insanidade, morte e celebração do fim. Temáticas mórbidas, com guitarras e vocais que não são tão darkness, mas reforçam um pouco da agonia das lições de afogamento.

3 – To the End

Aqui, os solos de guitarra de Ray Toro são o ponto alto, que criam uma identidade única ao My Chemical Romance. Misture o talento de Toro com a bem composta letra de Gerard Way e o resultado é To the End, do segundo álbum do grupo.

4 – Skylines and Turnstiles

Essa talvez possa ser chamada de primeira canção do My Chemical Romance. Gerard Way presenciou os ataques de 11 de setembro, a principal referência para essa música. Compôs a música e logo depois criou a banda ao lado do irmão e mais dois amigos.

5 – Welcome to The Black Parade

Welcome to the Black Parade é um espetáculo. A introdução da música é digna de uma apresentação com performances e muita teatralidade. Ela não precisava nem mesmo de um videoclipe para mostrar sua grandiosidade, mas ainda bem que teve um. A canção pode ser considerada o coração do álbum The Black Parade e convida o público a cantar e, quem sabe, desfilar junto.

Continue Reading

Destaque

Berro de Carnaval dá início à temporada carnavalesca

Evento conta com show inédito da Banda da Escangalhada

A temporada carnavalesca de São Luís vai começar. A largada é dada pelo Berro de Carnaval, evento promovido pela Escangalhada que acontece no dia 23 de novembro no Espaço Baluarte. É nele que a banda da Escangalhada apresenta em primeiro mão o novo show, intitulado O Baile da Serpente.

No show, as lendas maranhenses são reconstruídas e inseridas no contexto de transformação social em que vivemos diariamente, o que torna O Baile da Serpente uma apresentação de representatividade, inclusão e acessibilidade unidos a elementos da cultura popular maranhense e brasileira.

O evento conta com participação especial do Grupo MOB, Enme Paixão e Fabrícia. Além disso, DJ set de Patrixia Ixia e do Trio Furdunço complementam a programação. Exposições, intervenções artísticas e exibição da Final da Libertadores também fazem parte das atividades.

O Berro de Carnaval acontece no dia 23 de novembro, a partir das 15h, no Espaço Baluart. Os ingressos podem ser adquiridos no aplicativo da Eventbrite, nos pontos fixos: Buriteco Café e Loja Salsa.

A Escangalhada

Nasceu a partir do Bloco Escangalhada durante o pré-carnaval de 2019, com o intuito de criar mais espaços de resistência e oferecer um ambiente confortável e seguro para quem deseja brincar o carnaval sem restrições e julgamentos. Em junho deste ano, promoveram o “Arraial da Escangalhada”, considerado o maior arraial LGBTI+ do Brasil, com mais de 2.000 pessoas

Continue Reading

Em alta agora