Connect with us

Coberturas

AF 2019 | Panini e Sato Company marcam 2º Dia

Anúncios e bate-papo com dubladores foram destaques

Após a JBC subir no palco às 14h deste sábado e focar no lançamento de Hokuto no Ken e destacar novidades sobre o mangá de Jaspion, foi a vez da Editora Panini e do grupo Sato Company destacarem suas novidades no Anime Friends 2019. O evento está em sua 17ª edição e acontece no Espaço Anhembi, São Paulo-SP chegando ao fim no domingo (14).

Com seus painéis acontecendo ao mesmo tempo, as duas empresas dividiram a atenção do público que estava no evento no horário das 18h ao apresentarem suas novidades.

Panini

A gigante do mercado editorial trouxe diversos anúncios ao longo de sua palestra. A empresa contou com a presença dos editores, Levi Trindade e Diógenes Diogo, que iniciaram brincando com o público ao dizer que anunciariam os mangás por último para que ninguém deixasse o lugar.

Entre os anúncios apresentados pela editora destaque para:

1 – Comics

Anunciados os títulos Círculos de Júpiter de Mark Millar e Zero Hora: Crise no Tempo, de Dan Jurgens e Jerry Ordway, ambos ainda para 2019. Também foram anunciados: DC encontra Hanna-Barbera e Mulher Maravilha: Ossos pelo selo DC Comics.

Já no selo Marvel destaque para: Capitão América: Branco, Capitão América: Sonhos Americanos, Fury e Vingadores & Novos Vingadores. Outros títulos como 100 Balas e Mister No: Revolution figuraram na lista.

2 – Mangás

Entre os mangás a Panini re-anunciou Game (pois já tinha feito antes!) e apresentou os títulos Kuutei Dragon, Re:Zero – Capítulo 2, Jagan, além do famoso Bakemonogatari.

Diogénes Diogo comentou também sobre o mangá O Marido do Meu Irmão, de temática LGBT+, que recebeu crítica de alguns fãs. Ele falou que o público precisa entender mais sobre o assunto e fez crítica ao governo federal. Outro assunto de destaque foi a periodicidade da edição definitiva de Dragon Ball, que segundo o editor não é certa se permanecerá mensal.

Sato Company

Em seu painel super especial, a Sato Company contou com a presença de Guilherme Briggs, Jacqueline Sato, Lipe Volpato, Vii Zedek e Leonardo Kitsune, dubladores do filme My Hero Academia: 2 Heróis, previsto para estrear dia 08 de agosto em diversos cinemas do Brasil. Os dubladores responderam perguntas de fãs e brincaram com as personagens de cada um no novo filme.

Em outro momento, a empresa fez uma apresentação sobre sua história no entretenimento brasileiro e destacou seu filme do herói Jaspion, além de comentar sobre o licenciamento dos animês Fire Force e Fruits Basket, que devem ir para um serviço de streaming no segundo semestre. A informação completa, no entanto, deverá ser revelada nas redes sociais.

No domingo (14), último dia de Anime Friends 2019, o palco é do serviço de streaming Crunchyroll com a presença do CEO Yuri Petnys.

————————

Agradecimentos aos perfis @jboxbr e @gasseruto pela cobertura do evento.

Coberturas

Após tentar manter calendário, SDCC volta atrás e cancela edição 2020

San Diego Comic Con precisou ser cancelada por causa da pandemia do novo coronavírus.

Por

San Diego Comic Con precisou ser cancelada por causa da pandemia do novo coronavírus (Foto: Divulgação)

Após confirmar a permanência de datas para julho apesar da pandemia, a San Diego Comic Con voltou atrás e anunciou, nesta sexta-feira (17), o cancelamento da edição 2020 da convenção. O comunicado foi publicado no site do evento, onde a organização lamenta que seja a primeira vez, em 50 anos, que o evento, que é considerado a principal Comic Con do mundo, precisou cancelar a agenda.

“Pela primeira vez nos 50 anos de história da San Diego Comic Convention (SDCC), os organizadores por trás da celebração anual da cultura pop anunciaram hoje com muito pesar que não haverá Comic-Con em 2020. O evento retornará ao San Diego Convention Center entre 22 e 25 de julho de 2021”, publicou a organização.

Os organizadores ainda afirmam que os ingressos para o evento deste ano podem ser reembolsados ou transferidos para a Comic-Con do próximo ano.

“Todos os titulares de crachás de 2020 receberão um e-mail na próxima semana com instruções sobre como solicitar um reembolso. Os expositores da Comic-Con 2020 também terão a opção de solicitar um reembolso ou transferir seus pagamentos para a Comic-Con 2021 e também receberão um e-mail na próxima semana com instruções sobre como processar sua solicitação”, explicou a organização.

Ao final do comunicado, David Glanzer , porta-voz do evento volta a lamentar a necessidade do cancelamento. “Tempos extraordinários exigem medidas extraordinárias e, enquanto estamos tristes por tomar essa ação, sabemos que é a decisão certa”, disse.

Resistência

Ainda que a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) tenha alterado calendário de eventos no mundo inteiro – pelo menos os do primeiro semestre – e colocado países inteiros de quarentena, a organização da San Diego Comic-Con permanece esperançosa. Previsto para ser realizada em julho, o evento anunciou que não vai adiar a data da convenção geek.

“Para os nossos incríveis fãs da Comic-Con e da WonderCon: nós entendemos a dificuldade que o clima atual tem sido para todos nós e agradecemos seu apoio durante esse período complicado. Ninguém está tão esperançoso quanto nós de que poderemos celebrar a SDCC juntos em julho. Continuaremos postando atualizações em nossos canais sociais enquanto monitoramos a situação com as autoridades de San Diego. Até lá, lembrem-se: ‘Um herói é uma pessoa comum que encontra força para perseverar e aguentar apesar de obstáculos esmagadores’ – Christopher Reeve”

Leia Mais

Coberturas

Apesar de pandemia, San Diego Comic-Con mantém datas de evento em 2020

Organização publicou: “Ninguém está tão esperançoso quanto nós de que poderemos celebrar a SDCC juntos”.

Por

Ainda que a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) tenha alterado calendário de eventos no mundo inteiro – pelo menos os do primeiro semestre – e colocado países inteiros de quarentena, a organização da San Diego Comic-Con permanece esperançosa. Previsto para ser realizada em julho, o evento anunciou que não vai adiar a data da convenção geek.

“Um herói é uma pessoa comum que encontra força para perseverar e aguentar apesar de obstáculos esmagadores”, publicou a organização do evento, na Califórnia, fitando uma frase de Christopher Reeves, o eterno Superman.

“Para os nossos incríveis fãs da Comic-Con e da WonderCon: nós entendemos a dificuldade que o clima atual tem sido para todos nós e agradecemos seu apoio durante esse período complicado. Ninguém está tão esperançoso quanto nós de que poderemos celebrar a SDCC juntos em julho. Continuaremos postando atualizações em nossos canais sociais enquanto monitoramos a situação com as autoridades de San Diego. Até lá, lembrem-se: ‘Um herói é uma pessoa comum que encontra força para perseverar e aguentar apesar de obstáculos esmagadores’ – Christopher Reeve”

A San Diego Comic-Con é considerada uma das principais Comic Cons do mundo, por reunir os lançamentos dos principais estúdios e receber visitas de dezenas de estrelas de Hollywood. A CCXP, comic con brasileira, tem ficado atrás. Todos os anos, o Volts faz uma cobertura 360º do evento, que, para esse ano, também não se pronunciou sobre alterações de data, já que é realizada na primeira semana de dezembro.

Esse ano, a San Diego Comic-Con 2020 segue confirmada para acontecer entre 23 e 26 de julho. A WonderCon, evento que acontece em Anaheim, na Califórnia, foi adiada do começo de abril para uma data ainda não definida.

Impacto no entretenimento

Como precaução e preocupados com a saúde, a indústria profissional de entretenimento precisou adiar e cancelar diversos projetos no mundo inteiro. Emissoras de TV, plataformas de streaming, estúdios de cinema e produtoras de evento precisaram fazer alterações importantes em seus calendários pela segurança do público e dos profissionais envolvidos nesses produtos.

Leia Mais

Coberturas

#VoltsNaMSDC Confira a programação completa da Mostra Sesc de Cinema em São Luís

Evento acontece de 19 a 28 de Novembro e exibe 70 produções brasileiras

Além da seleção lançada em Paraty, com 42 filmes das cinco regiões do Brasil, a MSDC conta com o Panorama Maranhão que traz 28 produções locais. O evento está agora em seu terceiro ano de existência, mas ao funcionar como uma plataforma de facilitação de acesso do público a um rico material cinematográfico que é a cara do Brasil, a Mostra prova sua importância e relevância para o cenário cultural do nosso país.

No Maranhão, a MSDC acontece de 19 a 27 de novembro no Cine Praia Grande com os Panoramas Brasil e Maranhão. E de 26 a 28 de novembro no Teatro Sesc Napoleão Ewerton com o Panorama Infanto Juvenil. Lembrando que toda a programação é gratuita.

Além das exibições, a MSDC também vai oferecer a Oficina de Criação e Desenvolvimento de Séries de Animação, com Otoniel Oliveira do Iluminuras Estúdio de Animação (PA).

Para ficar por dentro da MSDC, acompanhe a cobertura pelas redes sociais do Volts – e clicando AQUI você tem acesso a grade com todos os horários.

Leia Mais

Coberturas

#VoltsNaMSDC – Confira aqui as críticas do Panorama Brasil – Filmes da Região Sudeste

Os filmes selecionados vêm dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais

Ao todo, a Mostra Sesc de Cinema 2019 conta com 42 filmes e aqui no Volts você confere nossos comentários sobre todos eles. Nesse post, as produções da Região Sudeste são as estrelas. Vai vendo.

Fabiana (São Paulo, São Paulo) 89min, longa-metragem, documentário, 2018

‘Fabiana’ é o longa dirigido e escrito pela goiana Brunna Laboissière cuja proposta interessa de cara: pegar carona no caminhão da mulher trans e também lésbica que dá título ao filme. Uma figura poderosa, despachada e cheia de bagagem que segue baforando seu cigarrinho pela janela enquanto compartilha vivências.

O universo da estrada é por si só uma fonte infinita de histórias, mas Fabiana é um ponto de resistência numa profissão dominada por homens – não meramente por ser mulher e caminhoneira, mas também por sua orientação sexual. Porém, infelizmente o potencial fica perdido na estrada. A condução do filme é surpreendentemente passiva, desperdiçando a oportunidade de explorar a evidente riqueza do material.

E dá pra entender a intenção de Laboissière de não interferir, por exemplo, numa passagem em que Fabiana atende uma ligação e aparentemente recebe uma notícia ruim, desliga a chamada e fica em silêncio por longos minutos, balbucia algo e segue em silêncio até que a diretora pergunta “O que houve?” e aí ela finalmente conta. Outras sequências se limitam a contemplação pura e simples. Ou seja, a fartura do material exige mais intervenções e ao público resta sair da sessão como quem esperava uma viagem memorável e pegou apenas uma caroninha curta.

Plano Controle (Belo Horizonte, Minas Gerais)16min, curta-metragem, ficção, 2018

Se a turma do Twitter produzisse um filme, seria esse Plano Controle. Um flerte divertido com a ficção científica ensaia um Brasil onde o teletransporte é uma realidade e pode ser acionado como quem ativa um pacote de dados de internet móvel.

Escrito e dirigido por Juliana Antunes, o curta brinca com viagens no tempo pra fugir da realidade dura de 2016 com o golpe que tirou Dilma da presidência. Pra ilustrar os deslocamentos no espaço-tempo, o filme investe numa bricolagem de cenas icônicas da cultura pop nacional que vão de Van Damme dançando com a Gretchen no palco do Gugu a clássicos musicais dos anos 90. Sendo assim, onde “Plano Controle” falta em fazer sentido, sobra no senso de humor. 16 minutos bem aproveitados.

Navios de Terra (Belo Horizonte, Minas Gerais) 70min, longa-metragem, ficção, 2018

Esse longa de ficção dirigido por Simone Cortezão é um investimento pesado na estética do marasmo. Conceitual e visualmente promissor, o filme pensa a exploração de minério como o “deslocamento de montanhas” do Brasil a China e vice-versa. Seu protagonista (Rômulo Braga) sai de Minas e vai de navio ao outro continente em busca desses encontros muito subjetivos que ninguém sabe direito explicar. Nesse meio tempo o que se vê é um filme lentíssimo e frequentemente até arrastado onde quase nada acontece.

Jéssika (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro) 19min, curta-metragem, ficção, 2018

Jéssika, filme de Galba Gogóia, propõe uma discussão pertinente sobre a importância do acolhimento familiar em diversos níveis ao trazer a travesti do título de volta a casa onde cresceu como menino, pra reencontrar a mãe.

Pouco criativo na direção, o filme gira em torno de um diálogo na mesa do café (em plano e contraplano) onde muitos “não-ditos” e mágoas ficam evidentes assim como o amor entre as duas personagens, que é o que acaba gritando mais alto no fim das contas, mas tanto na vida quanto no filme, não é só o que importa. Infelizmente para Jéssika, como para tantas outras, apenas ser chamada pelo nome, já é uma imensa prova de aceitação pra quem cresceu acostumada a viver na defensiva.

Leia Mais