5 fatos que fizeram do BBB20 um dos melhores da história

O BBB teve um alcance médio diário de 37 milhões de pessoas em seus canais lineares (TV aberta e Multishow).

Dizer que uma temporada é a melhor de todos os tempos é uma afirmação absolutamente arriscada. Muitas vezes só categórica. Mas no caso do Big Brother Brasil 20 talvez seja um consenso pela versatilidade de histórias, dinâmicas e sensações que o reality promoveu. Logo a temporada que começou sendo vaiada por misturar anônimos e influenciadores, terminou arrebando a tudo e a todos, com diversos recordes e momentos que vão entrar para a história do maior reality show do Brasil há 18 anos.

Neste material, resumimos em cinco o número de fatos que fizeram o BBB20 o maior e melhor de todos os tempos:

Elenco equipado

Logo que foi anunciado o elenco com participantes convidados, a internet logo colocou as asinhas de fora e valorizou impressões bastante pessimistas sobre nova temporada que viria – o que faz com absolutamente tudo, diga-se de passagem. Mas a internet também não tem medo de parecer contraditória. Logo na primeira semana, a má impressão se revertera tamanho era o carisma do elenco.

O combo conflitos externos trazidos pelos convidados + Flayslane bebendo água da piscina + memes da Manu já foram o primeiro passo. Logo os grandes debates surgiram sobre assédio, machismo, racismo e lealdade que foram costurando o jogo, tanto com personagens que refletiam pouco ou nada sobre o assunto quanto por quem refletia em excesso. Neste momento, impossível pensar como este elenco poderia ter sido melhor.

Crontrariou enquetes do UOL

Desde o fim da década passada, entre 2008 e 2010, as enquetes do portal UOL se popularizaram a ponto de se tornarem o principal guia de resultados do programa. Quem não queria esperar até tarde da noite para saber o resultado de um paredão, bastava acessar o portal para receber o spoiler. Quase sempre (mesmo) o resultado se confirmava. Há alguns anos, por isso, o programa começou a desestimular que o público votasse em enquetes que não fossem as oficiais.

Em 2020, a enquete não-oficial UOL errou mais vezes que o de costume. O público da página apontou que Manu sairia para o Prior, que Thelma sairia para Gabi, que Thelma sairia para Flay, que Manu sairia para Mari, que Thelma sairia para Babu e que quem venceria a temporada seria Rafa. Mas foi Thelma. Enfim, nessa edição, o gostinho da imprevisibilidade voltou.

Elenco externo à casa

A relevância e alcance da internet na dentro da realidade do programa foi debatido do começo ao fim. E desde o começo o roteiro do BBB20 bateu na tecla de que os participantes se igualavam ao entrar na casa, independente do número de seguidores. Uma narrativa também construída do início ao fim, com êxito, graças à sensibilidade de Thiago Leifert, do talento de Rafael Portugal e da equipe de edição do programa. Sem essa tríade, talvez o tom desta temporada não tivesse sido tão equilibrado e hoje estaríamos discutindo como foi equivocada a decisão de colocar famosos no elenco. Boninho deve estar aliviado.

Surtos leves e tênis

Nem só de tretas vive um reality show, afinal. O BBB20 teve a sorte de, ao longo da temporada, conseguir construir histórias iam além dos conflitos diretos. Rivalidades foram o fio condutor dessa edição. Petrix e Pyong não precisaram partir para baixaria para chamar atenção. Em seguida, Hadson versus mulheres explodiu por consequência de uma estratégia infeliz.

Rafa e Bianca, Pyong e Prior, Victor Hugo versus o rótulo de planta, Rafa e Mari, Gabi e Bianca, Rafa e Flay, Thelma e Flay, enfim, mais que brigas por pura afronta, as rivalidades movimentaram o jogo a ponto de famosos, anônimos e esportistas se envolverem na disputa. Assim o BBB quebrou recordes. Nem Boninho sonhava com mais de 1 bilhão e meio de votos em um paredão – com direito a Guinness World Records. No final das contas, foi uma temporada emocionante por contar histórias com começo, meio e fim. E quem acompanha o programa que histórias bem contadas não são características de qualquer elenco.

Repercussão e audiência

Desde que o Big Brother estreou na televisão, os tempos mudaram muito. Os valores mudaram, a inflação também, as estatísticas de audiência têm novos parâmetros e a internet chegou para agregar em repercussão. O final da 20ª temporada não teve a maior audiência da história, mas conseguiu cravar a maior audiência da década, com 34 pontos, superado a do BBB18, marcada pela disputa entre Gleici e Kaysar, que marcou 33.

Com transmissão 24 horas disponível no Globoplay e ampla cobertura no Multishow, o BBB20 não só alavancou a audiência do streaming como colocou o canal pago entre os líderes de audiência da TV fechada. Segundo o jornal O Globo, com o programa, o Globoplay já tinha registrado um crescimento de 275% nas horas de consumo da plataforma antes da quarentena. Nas próximas semanas, certamente a Globosat deve emitir um balanço de audiência e faturamento, já que a boa avaliação dessa temporada é de esbanjar para todo mundo ver mesmo.

Total
3
Shares
Prévia

Festival ‘Varilux em casa’ libera 50 títulos da filmografia francesa em streaming

Próxima Notícia
Estatuetas do Oscar

Filmes exibidos na internet durante a pandemia poderão concorrer ao Oscar 2021