Connect with us

Críticas

Qual o legado que Sense8 – Episódio Final deixa para o público

A série tem suas duas temporadas completas disponíveis na Netflix.

A Netflix liberou na sexta-feira (8) o final de uma de suas produções originais mais controversas já lançada até hoje: Sense8. Em um longo capítulo/filme de 2h30, Amor Vincit Omnia (O Amor Conquista Tudo) vem com o objetivo de encerrar a história do nosso cluster favorito deixada em aberto no final do 11º episódio da segunda temporada, lançada em 2017.

O objetivo do episódio foi de trazer uma finalização épica, mostrando a guerra global pelo futuro do homosensorum, espécie que nosso grupo de oito queridinhos são, contra a OPB. O final do 11º episódio nos mostra os sensates reunidos em carne e osso pela primeira vez na série, e assim eles permanecem durante este episódio final, o que é um grande passo para o show que teve outros 22 episódios onde suas ligações eram apenas mentais.

O ritmo é lento no início, e esse talvez seja o maior erro do episódio final. O telespectador precisa de cerca de meia hora para sentir a série voltando a ter o ritmo eletrizante que o final da segunda temporada. Wolfgang está preso, e seus parceiros possuem Milton, um dos grandes chefes da OPB e que está desenvolvendo um trabalho secreto que promete exterminar os outros sensates para o manter vivo eternamente. O vilão se mantém também apagado até cerca de uma hora do episódio, onde temos o primeiro plot intenso: os sensates tentam trocar o vilão pelo parceiro de cluster, Wolfgang.

Como bem podemos imaginar, dai a história realmente se desenrola de vez, principalmente no que diz respeito a ação. Essas cenas, inclusive, não deixam a desejar. Se tem uma coisa que o seriado sabe entregar bem são cenas de luta e as trocas de personagens (como sempre) muito bem ensaiadas. Majoritariamente ambientado em Paris e Nápoles, o episódio também nos presenteia com visuais impressionantes. Outro ponto que Sense8 nunca pecou.

Amor Vincit Omnia é um grande filme cheio de ficção científica e ação que paralisa, mas no fundo foi um final todo pensado como presente aos fãs que tiveram o seriado cancelado pelo streaming. São vários easter eggs dados em 2h30 que remetem a cenas das duas temporadas anteriores que se tornaram completamente virais, tais como a música de Riley, a bomba do Wolfgang ou, talvez a mais conhecido: a suruba.

Fora isso, o episódio final ressaltou a mensagem que é intrínseca em todos os 24 episódios do seriado: o amor une. Nomi e Amanitta possuem, bem no finalzinho, uma cena super marcante, ambientada em cima da Torre Eiffel, que provavelmente traz o diálogo mais lindo de todo Sense8. Sabemos que quando se trata de assuntos como amor, gênero e aceitação, o seriado, que foi criado e dirigido por Lana e Lilly Wachowski, é capaz de deixar qualquer um sem palavras.

Bem, para um seriado que foi cancelado, podemos dizer que Sense8 foi agraciado por (ao menos) ter ganhado um final digno, graças aos seus fãs e feito para seus fãs. Foi o final adequado, fechando o ciclo do primeiro episódio sem deixar abertura para nada mais nem nada menos. Infelizmente, Will, Riley, Nomi, Capheus, Sun, Lito, Kala e Wolfgang não vão mais aparecer em episódios inéditos lutando, fazendo sexo ou ouvindo a mesma música em 8 partes diferentes do mundo, mas no coração de todo fã da série essas pequenas coisinhas que foram ressaltadas do episódio final ficarão guardadas pra sempre em sua memória.

Parabéns, Sense8. Sua mensagem foi e é muito linda, válida e de importância extrema. O amor une.

Em alta agora