Connect with us

Críticas

Crítica | Os Farofeiros (2018)

Mais uma comédia brasileira feita para TV que brinca de fazer cinema.

Foto: Divulgação

O que esperar de uma comédia brasileira nos cinemas? É uma resposta pronta que certamente você deve ter em mente e Os Farofeiros (2018) sabem disso. Mesmo assim, a comédia não tem medo de dar um abraço apertado e cheio de ironia nesse esteriótipo.

Colegas de trabalho, Lima, Alexandre, Rocha e Diguinho decidem sair juntos em uma viagem com suas famílias para curtir o feriadão. Os planos de um passeio perfeito vão definitivamente por água abaixo quando descobrem que a casa que alugaram estava abandonada e caindo aos pedaços. Sem ter para onde ir, eles irão se meter em confusões hilárias e ainda terão que administrar os problemas de convivência para superar aquele que será o feriado mais infernal de suas vidas.

Mesmo com um elenco experiente em fazer humor, é impressionante como Os Farofeiros não ousa em quase nada. Encarnando o papel de uma dondoca problemática, Danielle Winits, por exemplo, passa os primeiros 40 minutos de filme, literalmente, gritando todos os seus diálogos. Paulinho Gogó é o periférico que faz piadas bobocas e Cacau Protásio, que concentra as melhores cenas de humor do longa, não mostra nada de diferente do que já fazia em Vai Que Cola (2015) ou em seus últimos trabalhos.

A montagem é picotada – os mais atentos conseguem perceber vários problemas de continuidade. A maioria das cenas conta com diálogos poucos espontâneos, apesar do esforço de parecer que há improviso. Aline Riscado foi um elemento interessante para quem a conhece de outros palcos. Cumpre bem a missão, apesar de não ser um papel muito exigente.

Previsível como uma de suas características mais fortes, Os Farofeiros funciona bem com o público infanto-juvenil (falo com a propriedade de quem sentou ao lado de pré-adolescentes na sessão), mas parece que não pretendia ser lembrado nem como boa indicação nas rodas de conversa. É uma boa diversão para um sábado a tarde na frente da televisão, tem algumas boas sacadas, mas não vale o preço da entrada do cinema – exceto se for meia-entrada no dia mais barato.

Em alta agora