Connect with us

Na Ilha

12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos ocorre em dezembro, em São Luís

O ator e diretor Milton Gonçalves será o homenageado na Mostra.

Milton Gonçalves é considerado um dos mais prolíficos artistas do país, com mais de 70 filmes no cinema. Foto: Divulgação/Rede Globo.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, que em 2018 completa 70 anos, será o tema da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos que ocorre nas 26 capitais do país e no Distrito Federal, entre os meses de novembro e dezembro.

Em São Luís, a mostra será realizada de 5 a 12 de dezembro, no Palacete Gentil Braga, localizado na Rua do Passeio, Centro. Ao todo, serão exibidos 40 filmes, divididos em 4 mostras: Temática, Panorama, Mostrinha (dedicada ao público infanto-juvenil) e Homenagem, que celebra a carreira do ator e diretor Milton Gonçalves. As sessões são seguidas de debates com o público.

A mostra é uma iniciativa do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), com realização do Instituto Cultura em Movimento (ICEM). A programação é totalmente gratuita.

Sobre a programação

Os filmes abordam as diversas temáticas dos Direitos Humanos, como memória e verdade, questões de gênero, população negra, população indígena, população LGBT, imigrantes, direito das pessoas com deficiência, direito da criança, direito dos idosos, direito da mulher, direito à saúde, direito à educação, diversidade religiosa e meio ambiente.

Para permitir a acessibilidade, todas as sessões contam com closed caption, e em sessões selecionadas haverá áudio descrição e intérpretes de Libras. Os espaços onde ocorrem as exibições também possuem estrutura acessível para receber os diferentes públicos, além de contar com a programação em Braille para consulta.

O tema escolhido para este ano, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, surgiu em 1948 como um grito de liberdade e o clamor por respeito, contra o fascismo e as milhões de mortes da 2ª Guerra Mundial. Segundo a Diretora de Promoção e Educação em Direitos Humanos do MDH, Juciara Rodrigues, a Mostra promove ações públicas que transcendem governos, por isso já está em sua 12ª edição.

Milton Gonçalves será homenageado

O ator e diretor Milton Gonçalves, um dos mais prolíficos artistas do país com mais de 70 filmes no cinema, será o homenageado na Mostra. Presente nas telas e palcos desde a década de 50, participou da história da televisão, do teatro e do cinema brasileiros.

Sua versatilidade dramática e seu talento venceram as barreiras que normalmente são impostas aos artistas negros no país.

Veja abaixo os filmes que irão compor a programação:

Mostra Temática – 5 filmes;

Café com Canela – Direção: Ary Rosa e Glenda Nicácio/ Local: Brasil/ Ano: 2017/ Duração: 100’/ Gênero: Drama;

Eduardo Galeano Vagamundo – Direção: Felipe Nepomuceno/ Local: Brasil/ Ano: 2018/ Duração: 72’/ Gênero: Documentário;

Henfil – Direção: Angela Zoe / Local: Brasil/ Ano: 2017/ Duração: 74’/ Gênero: Documentário;

Heróis – Direção: Cavi Borges / Local: Brasil/ Ano: 2018/ Duração: 70’/ Gênero: Documentário;

Histórias da Fome no Brasil – Direção: Camilo Tavares / Local: Brasil/ Ano: 2017/ Duração: 52’/ Gênero: Documentário;

Mostra Homenagem – Milton Gonçalves- 5 filmes;
Carandirú – Direção: Héctor Babenco/Local: Brasil/Ano: 2013/Duração: 146′;
Lúcio Flávio – Direção: Héctor Babenco/Local: Brasil/Ano: 1977/Duração: 118′;
O Que é Isso Companheiro? – Direção: Bruno Barreto/Local: Brasil/Ano: 1997/ Duração: 110′;
Rainha Diaba – Direção:Antônio Carlos da Fontora/Local: Brasil/Ano: 1974/ Duração: 110′;
Eles Não Usam Black Tie – Direção: Leon Hirszman /Local: Brasil/Ano: 1981/Duração:134′;

Mostra Panorama – 25 filmes;
Nós – Direção: Thiago dos Santos Simas/Local: Brasil/Ano: 2016/Duração: 5′ 30″/ Imigrantes;
Do Outro Lado – Direção: Bob Yang e Frederic Evaristo/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 14’/ População LGBT;
Um Café e Quatro Segundos – Direção: Cristiano Requião/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 15’/ Memória e Verdade;
A rua das casas surdas – Direção: Gabriel Mayer e Flávio Costa/Local: Brasil/Ano: 2016/Duração: 8’/ Memória e verdade;
Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones – Direção: Elias Norberto da Silva, Juana Morais, José Gutin Rodriguez, Maurício Nunes e Sandro Livramento /Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 25’/Direito da pessoa com deficiência;
Batuque Gaúcho – Direção: Ségio Valentim e Mestre Paraquedas/Local: Brasil/Ano: 2014/Duração: 26’/Diversidade religiosa;
Lacerda, O Corvo da Guanabara – Direção: Sayd Mansur/Local: Brasil/Ano: 2017/Duração: 18′ 38″/ Memória e Verdade;
Monocultura da Fé – Direção: Joana Moncau e Gabriela Moncau/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 23’/População Indígena;
As Sementes – Direção: Beto Novaes e Cleisson Vidal/Local: Brasil/Ano: 2015/Duração: 32’/ Meio Ambiente;
À Espera – Direção: Nivaldo Vascencelos e Sónia André/Local: Moçambique/Ano: 2016/Duração: 22’/ Direito a criança e adolescente e questão de gênero;
Enrolado na Raiz – Direção: Camila Caracol/Local: Brasil/Ano: 2015/Duração: 23’/ População Negra;
Repense o Elogio – Direção: Estela Renner/Local: Brasil/Ano: 2016/Duração: 48’/Questão de gênero;
Waapa – Direção: David Reeks, Paula Mendonça e Renata Meireles/Local: Brasil/Ano: 2017/Duração: 20’/População Indígena;
Outro Olhar – Direção: Renata Sette/Local: Brasil/Ano: 2016/Duração: 34’/ Direitos da pessoa com deficiência;
Marcos Medeiros – Codinome Vampiro – Direção: Vicente Duque Estrada/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 71’/ Memória e Verdade;
Tente entender o que tento dizer – Direção: Diego Paiva /Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 85’/Direito à saúde;
Nunca Me Sonharam – Direção: Cacau Rhoden/Local: Brasil/Ano: 2017/Duração: 84’/Direito à educação;
Chega de Fiu Fiu – Direção:Amanda Kamanchek e Fernanda Frazão/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 73’/ Questão de Gênero;
Menina de Barro – Direção: Vinícius Machado/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 97’/ Bullying;
O Começo da Vida – Direção: Estela Renner/Local: Brasil/Ano: 2016/Duração: 97’/Direito da Criança;
A Rua é NOIZ – Direção: Eduardo Cunha Souza e Pedro Cela/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 14’/Cultura, Educação e Direitos Humanos;
Narrativas de um crime – Direção: Alison Zago/Local: Brasil/Ano: 2017/Duração: 15’/ Combate à violência e LGBT;
Uma Bala – Direção: Piero Sbragia/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 2’/Defesa aos defensores dos Direitos Humanos;
Nomes que Importam – Direção: Muriel Alves e Angela Donini/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 15’/ População LGBT;
Sociedade etiquetada – Direção: Helena Araújo/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 5’/Direitos Humanos;

Mostrinha – 5 filmes;
Príncipe da Encantaria – Direção: Izis Negreiros/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 11′;
Louise – Direção: Andressa Fernandes, Amanda Gomes e Nathanael Cruz/Local: Brasil/Ano: 2017/Duração: 5′;
A Natureza Agradece – Direção: Ana Maria Cordeiro e Ricardo Podestá/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 14′;
A Bicicleta do vovô – Direção: Henrique Dantas/Local: Brasil/Ano: 2018/Duração: 22′;
A câmera de João – Direção: Tothi Cardoso/Local: Brasil/Ano: 2017/Duração: 22′.

Cinema na Ilha

Filme maranhense é destaque na Mostra Nacional de Cinema de São Paulo 2020

Este filme é a terceira parte da “Trilogia Dantesca”, cuja produção é baseada nas obras de Nauro Machado.

O longa “As órbitas da água”, do cineasta maranhense Frederico Machado, foi selecionado para a Mostra Nacional de Cinema de São Paulo 2020. Este filme é a terceira parte da “Trilogia Dantesca”, cuja produção é baseada nas obras de Nauro Machado, um dos maiores poetas do Brasil e pai do cineasta.

O evento começa nesta quinta-feira (22), segue até o dia 4 de novembro e é aberto à votação popular. Além de “As órbitas da água”, também fazem parte da trilogia “O exercício do caos” e “O signo das Tetas”. Com o objetivo de serem obras abertas, os filmes privilegiam a poesia e buscam por novas possibilidades subjetivas.

Sobre “As órbitas da água”, o cineasta destacou que se trata de um filme feito inteiramente com recursos próprios da Lume Filmes, co-produzido por um pool de outras quatro produtoras do Maranhão, Guarnicê Produções, Freela Conteúdos, Ruido Filmes e JF Serviços.

Ainda de acordo com o cineasta, o custo final da produção foi de R$ 150mil, grande parte do elenco e da equipe entrou no filme como produtores associados, por acreditarem no caráter autoral da obra e na trajetória dele.

O filme tem no elenco Antonio Saboia (“Bacurau”), Rejane Arruda (“O Veneno da Madrugada”), Auro Juricie (“O Exercício do Caos”), Flavia Bittencourt (cantora maranhense fazendo sua estreia no cinema) e Tácito Borralho, o grande nome do teatro maranhense.

A mostra vai ser disponível para todo o Brasil, de forma online. É composta de cinco seções: Apresentação Especial, Competição Novos Diretores, Mostra Brasil, Mostra Brasil – Competição e Perspectiva Internacional. O festival também reflete a pandemia e o futuro do audiovisual no IV Fórum Mostra.

Leia Mais

Na Ilha

Frimes lança o EP ‘F1’ com cinco músicas inéditas

A artista se prepara para lançar um videoclipe em 3D de “I Love U”.

Por

“F1” é o primeiro EP da drag queen maranhense Frimes conhecida pelo som pop eletrônico. O conjunto de músicas inéditas, serve como primeira amostra de uma coleção de outros quatro mini-álbuns, ainda sem data de lançamento.   

O trabalho de estreia produzido e escrito por Frimes pode ser descrito como um compilado de músicas sarcásticas e sexuais, feita para aqueles buscam e apoiam um empoderamento sexual. As letras exploram a combinação de humor e sexualidade de forma moderna, utilizando referências cibernéticas e cinematográficas para construir críticas ao comportamento da juventude atual, enquanto a produção é ambientada principalmente por elementos do hyperpop.  

“F1” chegou às plataformas com cinco faixas inéditas. A artista se prepara para lançar um videoclipe em 3D da faixa “I Love U” em breve. Na capa do EP, Frimes aparece como uma stripper cybernetica produzida pela AQC Studio Criativo. Inspirada no filme sci-fi “O Quinto Elemento”, a fotografia da capa é assinada por Mateus Motta e finalização da drag queen.  

“Fadinha”, primeiro single da artista foi lançado em maio de 2018 e alcançou mais de 600 mil visualizações em seu clipe oficial no YouTube. A faixa segue com a temática anos 2000 dos próximos lançamentos de Frimes, influenciada por artistas como Ayesha Erotica, Britney Spears e Danny L Harle. 

Leia Mais

Na Ilha

Veja as regras sanitárias para o funcionamento de cinemas e teatros no Maranhão

Sessões devem ter limite máximo de 150 pessoas e uso de máscara será obrigatório.

Por

Portaria publicada pela Casa Civil do Governo do Maranhão estabeleceu as regras sanitárias para o retorno das atividades nos cinemas e teatros. As normas, que evitam a disseminação do coronavírus, já estão valendo. 

A portaria vale para todo o estado, mas os prefeitos podem editar regras mais rígidas. 

Cinemas e teatros podem funcionar desde que sigam essas novas regras e as anteriores, de validade geral. Entre elas, estão:

  • O uso de máscara, a limpeza das mãos e o distanciamento social. 
  • Não pode haver mais de 150 pessoas reunidas ao mesmo tempo. 
  • O espaço não pode ultrapassar a metade da capacidade habitual 
  • Deve haver pelo menos um assento desocupado entre dois assentos ocupados, em fileiras alternadas (fileira sim/fileira não).
  • Não pode haver aglomerações nem dentro e nem fora, nas filas. Deve haver distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas. 
  • Elevadores só devem ser usados por pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção. 
  • O local deve ter limpeza constante. As lixeiras devem ser acionadas por pedal. As salas devem ser higienizadas antes da entrada do público e deve haver aumento do intervalo entre as sessões para dar tempo de fazer a limpeza.
  • As regras de higiene também valem para as bombonieres e para as bilheterias. É permitido o consumo de alimentos na sala de exibição.
  • Pessoas do grupo de maior risco ou que apresentem sintomas não devem frequentar o espaço. Os clientes devem ser questionados sobre a presença de sintomas. 

Os protocolos de segurança sanitária foram regulamentados pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública do Estado do Maranhão (COE COVID-19), após a sugestão da Secretaria de Estado de Indústria Comércio e Energia (SEINC) e da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP).

O governo afirma que a reabertura foi autorizada por conta da diminuição da taxa de letalidade da Covid-19 no estado, tornando necessária a retomada gradual das atividades. As prefeituras municipais poderão editar outras medidas restritivas, caso sejam necessárias.

Leia Mais

Games

Conheça Lunar Axe, jogo point-and-click de aventura inspirado em São Luís

Versão de demonstração do jogo Lunar Axe está disponível gratuitamente na steam.

Por

Após um grande terremoto no centro da cidade, ruínas de um prédio antigo desabam e você acaba dentro de um casarão abandonado. Encontre uma saída e desvende o mistério dos inexplicáveis tremores. Você conhecerá o espírito guardião de um poderoso artefato místico e sua relação com os recentes acontecimentos, antes que seja tarde demais.

Lunar Axe é um jogo point-and-click de aventura com objetos escondidos que possui locais e enredo inspirados em histórias reais com uma incrível arte feita à mão. Casarões e ruas do centro histórico de São Luís, capital maranhense, são o palco do mistério, além de lendas e histórias da fundação da cidade fazem parte do enredo.

Você deve mostrar suas habilidades de solucionar quebra-cabeças e desvendar a trama antes que a cidade seja destruída. Atualmente o jogo Lunar Axe está em desenvolvimento e pode ser jogado na Steam.

A versão completa do jogo tem previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2021, até lá você pode acompanhar as novidades nas redes sociais do estúdio e adicionar na lista de desejos da Steam.

A desenvolvedora do jogo é a Ops Game Studio, uma empresa de desenvolvimento de jogos independentes de São Luís que atua desde 2018 desenvolvendo jogos para mercado e projetos autorais.

Leia Mais