Connect with us

Séries

É hora de assistir ‘The Marvelous Mrs. Maisel’, nova série de Amy Sherman-Palladino

A série é uma original Amazon Prime e os oito episódios já estão disponíveis no streaming.

Quando a criadora de Girlmore Girls, Amy Sherman-Palladino, lança uma série que não envolve duas Loralais, uma delas chamada Rory, era se de esperar que todo mundo assistisse. Não foi o caso aqui, mas vamos remediar esse deslise agora, porque The Marvelous Mrs. Maisel é mesmo uma maravilha.

A assinatura de Sherman-Palladino, que consiste em uma série focada no lado feminino da história, com diálogos rápidos e inteligentes está lá. Mas Mrs. Maisel ainda é abençoada com os figurinos do começos dos anos 1960 e um texto ferino sobre o ideal dona de casa perfeita.

Aspirante à comediante na noite de Nova York, o ex-marido de Mirian a deixa pela secretária (sim, foi uma piada). Sozinha, 26 anos, com dois filhos para criar e morando de volta na casa dos pais, ela resolve tentar a sorte como comediante, ela mesma, após duas noites de sucesso em um pequeno bar. Ela é bem melhor que o ex-marido ingrato.

Marvelous Mrs. Maisel não se esquiva de nenhum dos estereótipos dos anos 50/60. Do casal dormindo em camas de solteiro, a esposa que faz a maquiagem de dormir – e de acordar – enquanto o marido ronca, os filhos perfeitos (calados e ausentes), passando (infelizmente) por todo o preconceito com minorias.

Miriam Maisel, interpretada de forma gloriosa por Rachel Brosnahan (De Blacklist, House of Cards e indicada ao Globo de Ouro de Melhor Atriz de Comédia para 2018), é judia, muito judia, e as piadas não perdoam os estereótipos dos grupos sócio-religiosos que fazem os Estados Unidos, com especial trato para os judeus e os metodistas.

A vida nos palcos não é fácil hoje, e o era bem menos há 60 anos. Adicione à isso o sonho de brilhar de uma dona de casa, com formação acadêmica inaplicável fora do ambiente acadêmico. Mas elas estiveram lá.

Marvelous Mrs. Maisel não é sobre uma única mulher real, por mais que possa parecer, mas sobre todas as comediantes que pavimentaram o caminho para que pessoas como Amy Poehler hoje pudessem achar chatas as perguntas sobre como ser uma mulher comediante. E elas contaram com a ajuda de pessoas fora dos holofotes, da noite, como a personagem durona de Alex Borstein.

Pense na série de Palladino como uma homenagem à Lucy Ricardo (I Love Lucy), Barbara Eden (Jeannie é um Gênio) e Elizabeth Montgomery (A Feiticiera) e tantas outras, menos conhecidas da nossa TV.

Comediantes Stand-Ups como Phyllis Diller e Joan Rivers, mulheres de língua afiada e opiniões sobre suas vidas e o que se esperava delas, com palavrões no currículo, que desafiaram as normas e subiram nos palcos dos bares na noite de Nova York.

A série é uma original Amazon Prime e os oito episódios já estão disponíveis no streaming. O primeiro episódio pode ser conferido de graça no Youtube do Prime Vídeo ou aqui:

Continue Lendo
INSCREVA-SE NO VOLTS PLAY
Comments

Em alta agora